Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

13+ Produtos da “moda” que possuem análogos mais econômicos

A alimentação saudável é uma tendência, e sempre que vamos ao mercado tentamos escolher os produtos mais saudáveis. As palavras mágicas “vitaminas”, “antioxidantes” e “mínimas calorias” nos levam a encher nossas cestas com produtos que nos prometem juventude e um corpo perfeito. Mas nem sempre é necessário pagar a mais para ter uma alimentação saudável.

Nós, do Incrível.club, olhamos as prateleiras dos supermercados, estudamos as opiniões dos nutricionistas e agora sabemos exatamente como fazer um cardápio saudável com alto valor nutricional e, o que é melhor, sem gastar muito.

A carne de peru não ajuda a diminuir o colesterol

A carne de peru é considerada um excelente produto dietético. Mas estudos afirmam: aqueles que consomem aves e os que comem carne vermelha têm os mesmos níveis de colesterol. Níveis elevados de proteína no peru não são bons para quem tem problemas renais. E o presunto ou salsichas de carne de aves não são recomendados devido ao alto teor de sódio.

Por isso, em geral, a carne de peru pode simplesmente ser substituída por frango. Isso muito provavelmente não afetará os níveis de colesterol no sangue.

Azeitonas enlatadas têm mais sabor do que valor nutricional

As azeitonas têm uma excelente reputação, e muito merecidamente. Mas há uma pequena observação: isso só é válido para o produto fresco. Quando em conserva, adiciona-se muito sal e, portanto, os benefícios para a saúde são reduzidos drasticamente.

As azeitonas são “reverenciadas” principalmente pelo seu alto teor de ácidos graxos. Uma fonte alternativa desses componentes está presente nas sementes de girassol ou de abóbora. Além disso, sementes de girassol contêm muita vitamina E.

Jogamos fora as partes mais benéficas do abacaxi

O abacaxi é praticamente um “rei” no ramo da nutrição. Essa fruta ganhou popularidade por sua concentração em bromelaína (enzimas proteolíticas). A verdade, no entanto, é que a maior concentração dessa substância está presente no caule, na parte superior e na casca da fruta. Durante o processo de conserva e enlatamento, os benefícios nutricionais do abacaxi são completamente perdidos: a carne delicada da fruta não suporta manipulação térmica excessiva.

Quando sua dieta envolver o consumo de abacaxi, você pode substituí-lo por kiwi. Mesmo que o abacaxi seja mais barato que o kiwi, nós aproveitamos muito pouco dos benefícios da fruta por conta do que foi mencionado acima. O kiwi, por sua vez, contém uma substância muito semelhante à bromelaína, a actinidina, que também ajuda a perder peso.

Frutas desidratadas são manipuladas com conservantes para preservar a cor

As frutas secas são ricas em microelementos. E representam, ao mesmo tempo, um “assalto” de açúcar. Portanto, não é aconselhado exagerar no consumo. Além disso, não escolha frutas com cores muito vívidas, pois sulfitos são usados para preservar a cor. Tais substâncias podem causa alergia.

Portanto, é melhor fazer um lanche com frutas comuns ou chá com mel. Frutas comuns fornecem vitaminas ao corpo da mesma forma que as frutas desidratadas, e o mel ajuda a compensar a falta de microelementos no organismo.

Os benefícios dos espinafres são extremamente supervalorizados

O mito do espinafre como um “quebrador de recordes” em concentração de ferro tem sido mantido por décadas. Depois, verificou-se que os dados estavam exagerados em 10 vezes. Há uma suposição de que na descrição do produto alguém tenha colocado uma vírgula errada e, por isso, todos tinham certeza de que havia 35 mg (em vez de 3,5 mg) em 100 g da verdura. Além disso, a planta contém ácido oxálico que impede a absorção desse mesmo ferro.

Portanto, você pode comprar tranquilamente o repolho comum que tem em sua composição um complexo vitamínico bastante similar ao do espinafre.

O atum é conhecido como o “lixo do mar”

O atum é frequentemente encontrado em listas de produtos saudáveis. Como todos os peixes, ele contém ácidos graxos e fósforo. Além dessas substâncias realmente benéficas, muitas vezes também encontramos nesse peixe algo que nós não precisamos consumir — mercúrio. Isso é resultado da poluição marinha, a qual o atum é particularmente susceptível.

Portanto, se quiser peixe para o almoço, você pode escolher muitas outras opções, como tilápia, sardinha e badejo. O fósforo também está presente nesses peixes, mas o mercúrio não é tão intensamente absorvido como no atum.

Açúcar mascavo também é açúcar

A popularidade desse produto começou com o aumento da busca pelo estilo de vida saudável. Sentimos informar, mas, na realidade, o açúcar mascavo não é assim tão diferente do açúcar branco que estamos habituados.

Portanto, não tenha medo de comprar o açúcar branco (de preferência o não refinado), e seu organismo não notará a diferença.

Mirtilos não são os “frutos da juventude”

“Mirtilos contêm muitos antioxidantes, e os antioxidantes combatem o câncer e o envelhecimento” — muitos vão ao mercado com essa ideia na cabeça. Mas cientistas sugerem que não existe uma ligação direta entre comer mirtilos e estar livre de diagnósticos desagradáveis. Há um outro ponto de vista: mirtilos foram estudados mais a fundo do que outros frutos e frutas e, por isso, eles são considerados líderes em benefícios para a saúde.

Aqui podemos recomendar uma variedade de frutas: experimente diferentes frutas, como uvas, por exemplo. Os benefícios nutricionais das uvas são falados há centenas de anos, e não é à toa. Existe algo que se chama de ampeloterapia — tratamento por uvas. As melhores variedades da fruta são aquelas com a pele mais escura. Nelas também há a presença de resveratrol, que é uma substância muito benéfica para o sistema cardiovascular e todo o corpo.

Smoothies e coquetéis não substituem a fruta

Combinar os benefícios de todas as frutas em um coquetel é uma ótima ideia à princípio. Mais uma vez, é preciso controlar a quantidade de açúcar que vai na bebida. Além disso, o teor de vitamina C dos alimentos triturados é bem menor do que em frutas inteiras.

A alternativa é simples: coma a fruta inteira. É a melhor forma de obter todas as vitaminas, aminoácidos e fibras que precisamos para o funcionamento correto do organismo.

O leite vegetal foi criado, basicamente, para pessoas que têm alergias

Novos sabores, ausência de gorduras animais e lactose — são esses os principais motivos pelos quais as pessoas buscam consumir leite vegetal, que pode ser de amêndoas, aveia ou soja. Mas o leite vegetal muitas vezes contém a mesma quantidade “exagerada” de açúcar que os leites comuns, mas não compete nos quesitos “concentração de Cálcio” e “vitamina D”.

Nem todas as pessoas são alérgicas à lactose e, por isso, na ausência de condições médicas que te impeçam de consumir leite de origem animal, não faz sentido optar pelos leites de origem vegetal, que são normalmente bem mais caros (tirando os vegetarianos e veganos, é claro).

O abacate não é a única fonte de potássio e ácidos graxos

O abacate ganhou seu lugar permanente como “superalimento” no âmbito da nutrição saudável. Uma de suas vantagens é o alto teor de potássio, necessário para o funcionamento correto do sistema cardiovascular e dos músculos esqueléticos.

Mas o potássio não está presente apenas nessa fruta deliciosa. Altas concentrações desse elemento essencial estão presentes no feijão e na beterraba. Quanto aos ácidos graxos, que são abundantes no abacate, podem ser obtidos a partir de óleos vegetais, como de nozes e sementes.

A toranja pode ser substituída por repolho

A toranja (ou “grapefruit” em inglês) pode não ser muito comum no dia a dia, mas é uma das melhores opções para quem quer emagrecer ou está tentando manter os níveis de vitamina C no organismo. É possível, no entanto, substituir essa fruta exótica por opções mais comuns como o simples repolho branco. Há menos calorias no repolho e maior concentração de vitamina C.

A romã não é o único produto com alto teor de ferro

Na carência de ferro, consumir romã é uma excelente opção para a reposição desse microelemento. E muitos buscam essa alternativa. Há muitos outros produtos, no entanto, que contêm ainda maiores concentrações de ferro, como os ovos ou algas marinhas comestíveis.

Bônus: a gordura animal provou ser mais benéfica do que a gordura vegetal

Uma boa banha de porco, por exemplo, não custa muito barato. Muitos seguidores do estilo de vida saudável, no entanto, recusam-se a consumir tal alimento, não pelo seu preço, mas por acharem que são prejudiciais para a saúde. Hoje, os cientistas sugerem escolher exatamente as gorduras animais para frituras. Um estudo recente de um professor da Inglaterra “reabilitou” o uso seguro de gorduras animais. De acordo com o estudo, os óleos vegetais liberam mais substâncias cancerígenas, quando aquecidos, do que as gorduras animais.

Se você não estiver muito preocupado com a quantidade de calorias, experimente as gorduras animais em frituras. E reserve os óleos vegetais para as saladas.

É claro que vamos continuar a consumir muitos dos produtos listados pelo sabor, e não necessariamente pelo benefício nutricional. Mas achamos que fazer essa comparação seria válido para que você tenha mais opções quando for ao mercado, sem comprometer sua dieta. Quais são os produtos que, na sua opinião, não valem o preço que custam? Comente!

Compartilhar este artigo