Incrível

7 Efeitos positivos dos abraços para sua saúde física e mental

6-25
601

Todos nós precisamos de um abraço de vez em quando. Esse gesto sempre transmite uma sensação de calor humano. Nos abraçamos quando estamos felizes, quando estamos desencorajados, quando queremos que o abraço faça bem ou simplesmente quando queremos dizer a uma pessoa que sentimos sua falta. O abraço é uma verdadeira maneira de mostrar conforto e aceitação. No entanto, abraçar outras pessoas pode trazer mais benefícios à saúde do que poderíamos imaginar.

Incrível.club adora abraços longos e fortes. Por isso, este post traz alguns dos efeitos positivos que os abraços podem ter no seu dia a dia.

1. Reforçam seu sistema imunológico

Os abraços podem diminuir o risco de doenças infecciosas provocadas pelo estresse, como mostra um estudo publicado na revista Psychology Science. O teste foi realizado em 400 adultos saudáveis, ​​por meio de um questionário que buscava medir seu nível de estresse diário. O ato de receber abraços foi avaliado na pesquisa por meio de entrevistas telefônicas em 14 noites. Os participantes foram expostos a um vírus que causa um resfriado comum e foram monitorados em quarentena para avaliar sinais de infecção e doença. Entre os participantes infectados, os que receberam mais sinais de afeto, como abraços, apresentaram sintomas menos graves da doença.

2. Equilibram seu sistema nervoso

Outro estudo, esse conduzido pelo Departamento de Psiquiatria, Habilitação e Reabilitação do Neurodesenvolvimento da Universidade de Kyoto, no Japão, sugere que o contato físico pode ser um método fácil e eficaz para inibir a excitação relacionada a emoções negativas. Portanto, nesse sentido, os abraços podem ser um excelente remédio. Para essa pesquisa, foram avaliados 12 voluntários do sexo masculino completamente saudáveis ​​(entre 19 e 29 anos). Eles foram monitorados por um polígrafo enquanto eram expostos a ruídos altos, de aproximadamente 110 dB. Ao mesmo tempo, uma pressão era aplicada à pele usando estímulos que mediam a força. O estudo mostrou que, após a exposição ao ruído alto, os participantes apresentaram menos estímulo de reações negativas quando estavam sob o efeito da pressão da pele. Essa pressão pode ser interpretada justamente como um abraço. Portanto, um abraço forte pode ser o melhor remédio para acalmar qualquer reação a uma situação negativa.

3. Regularizam a pressão

Outro grupo de pesquisadores conduziu um estudo que descobriu a relação entre um breve contato social e físico entre casais e a reação da pressão arterial. O estudo envolveu adultos saudáveis, divididos em dois grupos: com contato caloroso e sem contato caloroso. O primeiro grupo passou por um período de espera de 10 minutos enquanto assistia a um vídeo romântico. Esse tempo foi seguido por um abraço de 20 segundos no parceiro. Enquanto isso, o segundo grupo descansou em silêncio por 10 minutos e 20 segundos com o parceiro, mas sem interação física. Os resultados mostraram que as pessoas que entraram em contato com o parceiro apresentaram pressão arterial sistólica e pressão arterial diastólica mais baixas.

4. Reduzem os níveis de estresse e açúcar no sangue

Um estudo mostrou que o contato físico é essencial para a interação social e pode amenizar a angústia física e também psicológica. Os cientistas chegaram a essa conclusão após examinar as alterações no cortisol, o hormônio do estresse, antes e depois de uma conversa com um aparelho de comunicação que podiam abraçar.

Os participantes conversaram por 15 minutos com um parceiro remoto por meio de um robô humanoide ou um telefone celular. A experiência revelou uma redução significativa nos níveis de estresse naqueles que tiveram conversas com o aparelho que podiam abraçar.

5. Elevam a autoestima

Em um estudo publicado na revista Psychological Science, os cientistas provaram a hipótese de que pessoas com baixa autoestima podem resolver suas preocupações sentindo-se conectadas a outras pessoas. Um pesquisador abordou os participantes enquanto eles caminhavam pelo campus de uma universidade e lhes entregou alguns questionários. No entanto, alguns desses estudantes receberam o papel sendo tocados levemente no ombro ou nas costas, de forma muito sutil e não invasiva.

Surpreendentemente, os participantes com baixa autoestima que receberam esse toque relataram menos ansiedade em relação às perguntas do questionário (elas tratavam de morte) do que aqueles que não foram tocados. Esse não foi um trabalho de mágica, mas o toque agia como um amortecedor contra a perturbação social dos participantes ao terem de falar conscientemente sobre a morte.

6. Reduzem as possibilidades de sofrer de ansiedade e/ou depressão

Nas unidades especiais de terapia intensiva neonatal dos hospitais infantis, foi demonstrado que o contato pele a pele entre recém-nascidos e seus pais promove a saúde mental e emocional positiva de ambos, bem como um maior vínculo emocional. Uma pesquisa avaliou o efeito que esse contato tinha na frequência cardíaca e na pressão arterial dos pais. Os resultados encontraram diferenças estatisticamente significantes nos dados dos pais no momento anterior e no momento após o contato com os filhos. Isso, por sua vez, é respaldado por outros benefícios demonstrados, como diminuição da depressão e ansiedade dos pais enquanto estão no hospital.

7. Ajudam a suportar a dor

Um estudo testou a eficácia de 6 tratamentos terapêuticos para a dor e na qualidade de vida de pessoas com síndrome da fibromialgia. Os resultados confirmam que aqueles que receberam contato terapêutico tiveram uma diminuição significativa da dor em cada tratamento de contato antes e após a terapia, além de uma melhora significativa na qualidade de vida ao longo do tratamento. Portanto, o abraço pode ser um tratamento eficaz para aliviar a dor e melhorar a qualidade de vida das pessoas com síndrome da fibromialgia, mas também daquelas que não sofrem dessa doença.

Ninguém pode negar que a sensação de um abraço é tão reconfortante que apenas um não é suficiente. Sempre existem bons pretextos para abraçar as pessoas queridas e mostrar carinho e afeto de uma maneira especial. Todos esses estudos confirmam a ideia de que o amor pode tudo.

Você já foi abraçado com tanto carinho que chegou a sentir que tudo recomeçava? Acha que a “terapia de abraços” realmente funciona para todos? Queremos saber seus comentários.

6-25
601