9 Hábitos considerados bons, mas que podem causar problemas

O conceito de sustentabilidade ambiental é uma nova tendência que conquistou milhões de pessoas em todo o mundo. Pode ser aplicado tanto ao cuidado com o meio ambiente quanto à saúde em geral. Todos os dias surgem dezenas de novos hábitos “saudáveis”. Pode parecer paradoxal, mas segui-los cegamente pode até ser prejudicial à saúde.

Nós do Incrível.club decidimos descobrir quais dos hábitos “saudáveis” que estão no auge da moda, não são, na verdade, tão bons como parecem.

9. Uso de protetor solar todos os dias

Inicialmente recomendava-se o uso de protetor solar para ir à praia, mas atualmente ele é utilizado até durante um simples passeio. No entanto, em 2019 o FDA (Food and Drug Administration) (em português — Administração de Comidas e Remédios) alertou que certos componentes presentes no protetor solar podem ser absorvidos pela pele e passou a realizar alguns estudos. O resultado será a atualização da regulamentação que existe desde 2011.

Até que potenciais riscos sejam avaliados adequadamente, os especialistas recomendam o uso dos filtros solares minerais tais como óxido de zinco e o dióxido de titânio, pois eles formam uma barreira física que reflete os raios solares e não são absorvidos pela pele, portanto, seguros e eficazes.

8. Uso indiscriminado de suplementos vitamínicos

Atualmente, os suplementos vitamínicos são muito difundidos e podem ser adquiridos livremente não apenas nas farmácias. No entanto, tomá-los de forma indiscriminada sem consultar um médico pode prejudicar a saúde. Por exemplo, estudos recentes mostram que doses muito altas desses suplementos com alto teor de magnésio, vitamina B6 e ferro podem afetar negativamente a saúde dos idosos.

Antes de tomar qualquer suplemento, é melhor sempre consultar um especialista. Obter todas as vitaminas de que precisamos é muito importante para a saúde, mas é melhor obtê-las através de uma dieta balanceada. A opinião de que os suplementos podem ser tomados com segurança sem prejudicar a saúde não é correta. O excesso é tão prejudicial quanto a falta.

7. Restrição de laticínios

Recentemente, os laticínios passaram a ser “demonizados” sem fundamentos, atribuindo-lhes propriedades nocivas que pouco têm a ver com a realidade.

Se você não tem contraindicações (alergias ou intolerâncias) a esses produtos, excluí-los de sua dieta o privará de nutrientes muito importantes, sem falar que pode afetar negativamente sua digestão. Os produtos lácteos contêm cálcio e vitamina D, essenciais para os ossos.

6. Escovação dos dentes após cada refeição

Os dentistas recomendam escovar os dentes duas vezes ao dia, de manhã e à noite, porém, muitas pessoas o fazem após cada refeição, no intuito de manter a limpeza e a saúde bucal.

Para determinar o regime de escovação adequado, precisamos considerar a dieta alimentar. Se você acabou de ingerir alimentos ou bebidas ácidas, evite escovar os dentes imediatamente. Os ácidos contidos nesses alimentos enfraquecem o esmalte que protege os dentes, e escovar logo após o contato pode remover essa proteção.

5. Limpeza dos ouvidos com cotonetes

Pode ser que alguns leitores fiquem surpresos, mas na própria embalagem de cotonetes está escrito que eles não devem ser inseridos nos ouvidos. O fato é que, ao tentar limpar o canal auditivo com cotonetes, podemos empurrar a sujeira cada vez mais para o fundo e, além disso, danificar o tímpano.

4. Consumo de barras de proteína

As barras de proteínas são imprescindíveis após um treino intenso e exaustivo, dizem alguns treinadores. Mas será mesmo?

As barras com alto teor de proteína não são vegetais ou frutas frescas, e muitas pessoas esquecem que elas contêm, além de muitas calorias, também gorduras e açúcar. Não é exatamente o que o corpo precisa após um treino vigoroso na academia e, com certeza, o consumo regular de barras de proteína não é recomendado.

3. Limpeza das mãos com álcool em gel

Hoje em dia, a desinfecção frequente e completa das mãos está se tornando especialmente importante, razão pela qual o uso de álcool em gel se tornou extremamente popular. No entanto, o CDC (Centers for Disease Control and Prevention) (em português — Centros de Controle e Prevenção de Doenças) insiste que lavar as mãos regularmente com água e sabão é ainda a melhor proteção contra micróbios e bactérias.

combinação de água e sabão remove todos os micróbios das mãos, enquanto álcool em gel só funciona com alguns tipos e também não é capaz de remover produtos químicos nocivos e metais pesados ​​da pele. No final das contas, fica claro que álcool em gel é uma boa opção apenas na ausência de água e sabão, mas não pode substituí-los.

2. Uso diário de absorventes

Os absorventes diários são muito convenientes e podem tornar-se indispensáveis ​​para as mulheres, por isso a tentação de usá-los todos os dias é muito grande. No entanto, os especialistas avisam que eles podem irritar a sensível pele da área íntima, especialmente os aromatizados.

1. Uso de pano de cozinha ou esponja não higienizados

Não há dúvida de que a cozinha precisa de limpeza cuidadosa e regular, incluindo bancadas, pias e demais superfícies de trabalho. Normalmente usamos para isso uma esponja ou pano de cozinha, que após a limpeza deixamos secando em um canto da pia.

Infelizmente, panos e esponjas não higienizados corretamente podem espalhar bactérias e micróbios por toda a cozinha. Para proteger sua casa, use o seguinte truque: coloque esponjas e panos úmidos no micro-ondas por 60 segundos para secá-los. Lembre-se de que eles devem estar molhados.

E você, tem recomendações que poderiam ser incluídas nessa lista? Compartilhe com a gente nos comentários!

Imagem de capa Depositphotos.com
Compartilhar este artigo