Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

11 Formas de as emoções atingirem sua saúde

Nossas emoções têm uma conexão direta com o nosso organismo e isso tem um grande impacto não só no nosso estado mental, mas também no físico. Mas, com o conhecimento adequado, é possível observar como são poderosas e como podem ajudá-lo a gerenciar seu humor e a mantê-lo saudável.

Você já se perguntou o que poderia fazer para beneficiar seu corpo com a ajuda das emoções que muitas pessoas tentam esconder? Se analisarmos nossos sentimentos, quando nos incomodam, podemos também trazer harmonia para o nosso estado mental e físico. O Incrível.club tem o prazer de compartilhar com você pontos chave para manter a saúde e ter uma vida feliz. Acompanhe as dicas e não perca o bônus publicado no final.

1. Amor

Quando você está apaixonado, há um aumento do batimento cardíaco e as mãos ficam cada vez mais suadas. Isso se deve à estimulação da adrenalina e da norepinefrina, diz Kat Van Kirk, uma sexóloga clínica, terapeuta conjugal e familiar. Ao mesmo tempo, a oxitocina, o hormônio do amor, faz você se sentir feliz, seguro e acaba com a dor ao ativar as áreas "analgésicas" no cérebro, fazendo você se sentir muito melhor fisicamente. Como prova disso, dizem que as pessoas casadas vivem mais do que as solteiras.

2. Raiva e ansiedade

A raiva está relacionada ao ressentimento, irritabilidade e vingança. Isso pode provocar desde dor de cabeça, insônia, problemas de digestão e até mesmo acidentes vasculares cerebrais (AVC), doenças de pele e ataques cardíacos. O que é pior, se você sempre se preocupa demais com tudo, esse sentimento pode piorar as coisas ao fortalecer os sintomas do transtorno de ansiedade generalizada. Para evitar que a raiva volte, faça uma pausa, descubra por que está com raiva e converse com as pessoas sobre o que pensa e o que está sentindo. Encontre uma solução para o problema e abandone os padrões de pensamento não saudáveis ​​ou negativos.

3. Depressão

A depressão é um distúrbio cerebral que pode levar à angústia emocional. Esse estado aumenta o risco de uma série de doenças que enfraquecem seu sistema imunológico. Isso também causa insônia pela incapacidade de a pessoa se sentir confortável ou bem consigo mesma e sempre ter muitos pensamentos negativos. Esse sentimento, aliado à exposição ao estresse, leva ao risco de ter um ataque cardíaco. A pessoa deprimida também pode ter problemas com a memória ou com tomadas de decisões.

4. Medo

Quando estamos assustados, o sangue literalmente 'foge' do nosso rosto, deixando-nos pálidos. Isso ocorre graças ao sistema nervoso autónomo, responsável pelo controle da luta ou fuga. Quando nos confrontamos com um problema que desencadeia situações fortes, os vasos sanguíneos comprimem o fluxo para o rosto e os membros, enviando mais sangue para o nossos músculos e para o restante do corpo, causando o efeito mencionado acima, que nos prepara para lutar ou escapar de uma situação.

5. Aborrecimento, desgosto ou aversão

Sentir desgosto o aversão por alguma coisa, ou pior, por alguém, é uma das emoções mais difíceis de controlar por qualquer pessoa. Ao contrário de outros sentimentos como o medo ou a raiva, que aceleram os batimentos cardíacos, esse sentimento faz com que a frequência cardíaca diminua um pouco. Você também pode sentir náuseas ou uma sensação irritante no estômago.

​​​Isso acontece porque a antipatia tem muitos dos mesmos elementos fisiológicos que compõem o sistema digestivo. Para evitar esses sintomas, respire profundamente, perceba que são apenas suas emoções tentando controlar seu pensamento e faça o oposto do que está sentindo: seja gentil com as pessoas.

6. Vergonha

No caso da vergonha saudável, a pessoa não perde a autoestima e o livre arbítrio; já a considerada tóxica é quando se torna um tipo de trauma para a pessoa. Isso causa problemas como a produção excessiva de cortisol, o principal hormônio do estresse, o que leva a um aumento da frequência cardíaca e redução das artérias.

Para superar a vergonha, pare de se comparar com os outros. Aprenda a se sentir seguro e não tenha medo do que as pessoas dizem ou pensam. Deixe que façam o que quiserem e se lembre de que só você que sabe a verdade. Desafie-se, vença a batalha e se ame.


7. Orgulho e desprezo

O orgulho irracional surge por causa de pensamentos negativos sobre outras pessoas, juntamente com a sensação de que não há ninguém melhor do que você. Essa conexão pode fazer você se sentir estressado, o que leva à azia, dor de estômago, hipertensão arterial e coisas desse tipo. Se é difícil dizer "sinto muito", tente estas dicas: pare de ser um perfeccionista e considere suas falhas como uma oportunidade para agir melhor. Seja mais empático e tente entender os sentimentos dos outros. Aceite as pessoas como elas são, escreva suas desculpas e não fique muito envergonhado, porque essa é uma das razões principais que nos impedem de ser livres.

8. Ciúmes, inveja

Algumas pessoas acham que o ciúmes são algo doce, mas apenas quando não são exagerados. Os ciúmes normais aparecem quando as pessoas estão preocupadas ou com medo de perder um ente querido, enquanto os não saudáveis podem destruir corações, relacionamentos e famílias. O estresse por causa dos ciúmes acelera a frequência cardíaca e aumenta a pressão arterial. Você também pode ter outros sintomas que trazem essas emoções negativas, como a falta de apetite, perda ou ganho significativo de peso, insônia, problemas no estômago, entre outros.

Primeiro, comece a acreditar em seu parceiro, por mais que difícil que pareça. Pare de se comparar com os outros e não confunda fantasia com realidade. Estes são os conselhos mais eficazes para vencer os ciúmes nos relacionamentos de qualquer tipo.

9. Felicidade

Aristóteles disse: "a alegria é o significado e o propósito da vida, o objetivo e o fim da existência humana". A felicidade e a boa saúde andam de mãos dadas, deixando nossos corações mais saudáveis, fortalecendo o sistema imunológico e tornando nossas vidas mais longas. Também nos ajuda a superar o estresse. De acordo com um estudo publicado em 2015 por pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte, EUA, descobriu-se que o bem-estar positivo tem um efeito benéfico na sobrevivência, reduzindo o risco de morte em 18% em pessoas saudáveis e em 2% em pessoas com doenças pré-existentes.

Aumente sua felicidade agora mesmo abraçando alguém com quem se preocupa, vestindo-se para impressionar não só os outros, mas você mesmo e não se esqueça de sorrir. Além disso, lembre-se de se manter ativo, passar seu tempo ao ar livre, descansar bem e meditar, mesmo se você sabe como fazê-lo! E o ponto mais importante: aproveite a vida!

10. Emoção espontânea na síndrome de Cornelia de Lange e síndrome de Rubinstein-Taybi

Pessoas com duas síndromes genéticas raras, a CdLS e a RTS possuem padrões únicos de 'escaneamento de rostos'. Um estudo publicado no site especializado Journal of Neurodevelopmental Disorders, do Reino Unido, examinou os olhares de algumas pessoas com essas síndromes, buscando entender como se comportam diante de expressões neutras e expressões alegres ou tristes. Os resultados indicaram que as pessoas com essas síndromes mostraram uma preferência por emoções na comparação com os chamados rostos neutros.

11. Depressão e ansiedade aumentam o risco de morte por doença hepática

Além do risco de doença cardíaca, sofrer de ansiedade ou depressão pode levar à doença hepática. Um estudo mostrou que o transtorno mental pode levar ao aumento do risco de danos cardiovasculares. Por sua vez, doenças desse tipo podem ser umas das causadoras do desenvolvimento do fígado com gordura e não alcóolico, que pode progredir para a cirrose. Portanto, sofrer de ansiedade ou depressão pode aumentar significativamente o risco de morte por doença hepática.

Bônus: alguma dúvida de que a atividade física faz bem ao seu cérebro?

Muitos estudos mostram que as pessoas que se exercitam regularmente recebem um impulso positivo em seu humor e experimentam menores taxas de depressão. Quando você pratica esportes, seu corpo libera substâncias químicas chamadas endorfinas. Elas se cruzam com os receptores em seu cérebro e reduzem sua percepção de dor.

Quando se trata de nossas emoções, as endorfinas desempenham um papel importante. Elas são produzidas como resposta a certos fatores que desencadeiam o estresse, o medo ou a dor e estão principalmente conectadas aos receptores das células do nosso corpo que estão em regiões do cérebro responsáveis ​​por bloquear a dor e controlar a emoção. A maioria dos seus sentimentos é tratada pelo sistema límbico de seu cérebro, que inclui o hipotálamo, a região que processa uma série de funções que vão da respiração à fome e reação emocional. Existem também receptores opióides nele e, quando as endorfinas o atingem, você experimenta a sensação de prazer e de satisfação.

Conte o que você achou mais útil nos comentários. Compartilhe isso com seus amigos!

Imagem de capa shutterstock.com
Compartilhar este artigo