Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

11 Mitos divulgados sobre o leite que devem ser desmentidos

Desde a infância, todos nós escutamos muitas informações a respeito dos benefícios do leite. Mas o ser humano tem uma personalidade questionadora por natureza. Então, depois de crescer, muita gente se torna cética sobre os benefícios desse alimento. Para piorar, muitos acabam acreditando em mitos sobre o leite que circulam de boca em boca.

O Incrível.club decidiu pesquisar o assunto e, de uma vez por todas, refutar os mitos mais comuns e preocupantes sobre o leite.

Mito #1: A dose diária de cálcio pode ser completamente suprida pelo leite

Um adulto precisa ingerir de 800 mg a 1.200 mg de cálcio por dia. Um copo de leite integral contém até 315 mg de cálcio. Portanto, para obter a dose diária apenas pelo leite, é preciso tomar de 3 a 5 copos por dia. Em teoria, isso é possível, mas, na prática, é pouco provável.

Acredita-se também que, após os 3 anos de idade, nosso organismo perca sua capacidade de quebrar as proteínas do leite (caseína), o que impede a absorção do cálcio presente nesse alimento. E para a absorção do cálcio, é necessário que o organismo receba a quantidade ideal de vitamina D. Ou seja, é muito difícil repor a quantidade de cálcio necessária apenas com leite.

Mito #2: O leite com uma vida útil de mais de 5 dias carece de propriedades benéficas

Existe a opinião de que o leite saudável é o que estraga rapidamente. O produto começa a azedar devido às bactérias que surgem durante a ordenha da vaca, o transporte, a filtragem, etc. O leite pasteurizado pode ser armazenado na geladeira por um período entre 3 dias e 2 semanas. Nesse caso, dado que o método de tratamento térmico foi o mesmo, o leite com vida útil diferente seria igualmente saudável. O tempo de armazenamento depende da qualidade das matérias-primas, dos equipamentos modernos e das embalagens. Portanto, quanto melhor for o produto final, menor quantidade de bactérias terá e, portanto, sua vida útil será mais longa.

Mito #3: As crianças precisam de muito leite

É recomendável que as crianças pequenas tomem 2 copos de leite por dia. Já as crianças de 4 a 8 anos devem tomar 2,5 copos. E os adolescentes precisam de 3 copos por dia. Mas tenha em mente que um copo de leite equivale a um copo de iogurte ou a 42,5 g de queijo. Por isso, não é necessário que as crianças tomem apenas leite ao longo do dia. Sua dieta pode ser mais variada.

Mito #4: Não se deve beber o leite recém-tirado da vaca

O leite é considerado cru (não pasteurizado) até 4 horas após a ordenha. Esse estado é valioso e saudável. Sua vantagem inquestionável é uma proteína chamada lactoferrina contida nele. Ela tem um efeito benéfico no sistema imunológico. Essa proteína não é encontrada no leite industrializado, pois é destruída durante o processamento.

Você pode tomar leite fresco, mas com algumas precauções. A vaca deve ser completamente saudável e as condições de armazenamento e os padrões de higiene devem estar nos níveis mais altos. Se não tiver certeza de que essas condições foram meticulosamente respeitadas, não ingira o leite, pois ele pode conter bactérias nocivas.

Mito #5: Existem tantas vitaminas no leite vegetal quanto no leite de vaca

O leite de soja é o mais semelhante ao de vaca devido à sua composição. Ele contém a mesma quantidade de proteína. Mas outras variedades do produto contêm pouca ou nenhuma proteína.

Portanto, 250 ml de leite de amêndoas e de leite de coco contêm 4 g de proteína (enquanto no leite de vaca, há cerca de 9 g). A porcentagem de vitaminas e minerais também é diferente: 100 g de leite integral contêm aproximadamente 120 mg de cálcio e, no leite de coco, a quantidade é de apenas 16 mg. E o leite de arroz tem um teor muito baixo de potássio se comparado com o leite de vaca.

Por outro lado, as diferentes variedades de leite vegetal também contêm substâncias nutritivas, com predomínio de algumas em cada uma delas. Por isso, para uma boa nutrição vale a pena alternar entre os tipos diferentes da bebida.

Mito #6: Os adultos não precisam de leite

Esse mito surgiu da convicção de que o leite não é digerido pelo trato gastrointestinal dos adultos. No entanto, pesquisas mostram que apenas uma parte da população mundial tem problemas para digerir produtos lácteos. Por exemplo, entre 10% e 30% dos europeus, 90% das pessoas do Sudeste Asiático e quase 100% dos afro-americanos têm intolerância à lactose. A causa é a atividade reduzida da lactase, o que causa justamente a intolerância à lactose. Para essas pessoas, é produzido o leite sem lactose, enriquecido com vitaminas e minerais.

Os produtos lácteos são importantes para as pessoas de qualquer idade: eles contêm substâncias necessárias para o organismo (proteínas, gorduras, carboidratos, vitaminas e minerais). A rejeição de tais alimentos pode levar a uma ingestão insuficiente de cálcio, com o consequente risco de desenvolver osteoporose.

Mito #7: Ferver o leite reduz suas propriedades benéficas

Acredita-se que, durante o cozimento, não só as bactérias, mas todos os nutrientes são destruídos. Na verdade, não é bem assim. Quando se ferve o leite, as bactérias nocivas são mortas, assim como são destruídos alguns tipos de enzimas, imunoglobulinas e vitaminas instáveis, como a C, que está presente no leite em pequenas quantidades.

Mas, depois de ferver, restam os macronutrientes, outras vitaminas, o cálcio, as proteínas do leite e as gorduras. Somente o leite da fazenda deve ser fervido. O leite processado industrialmente pode ser consumido sem ferver.

Mito #8: O leite contém muito açúcar

O leite contém lactose, que pode ser chamada de “açúcar do leite”, um carboidrato natural. A lactose é frequentemente comparada com o açúcar comum ou com o leite com chocolate, que contém sacarose. Mas essa é uma comparação incorreta, já a lactose no leite integral é um carboidrato natural e, no chocolate, é um aditivo. Por exemplo: 100 g de leite integral contêm de 3 a 4 g de lactose, enquanto no leite com chocolate há o dobro de sacarose.

Mito #9: O leite contém antibióticos

Esse medo se deve principalmente ao fato de que, quando as vacas estão doentes, são tratadas com antibióticos, que se acumulam no leite. É verdade, só que esse leite é coletado e descartado. As fábricas de laticínios fazem testes para detectar a presença de antibióticos em seus produtos. Se forem detectados, o leite também é descartado.

Mito #10: Você pode engordar por ingerir leite

Bem, o problema não está no leite, em si, mas na quantidade e no teor de gordura. Claro, se você tomar leite integral (aproximadamente 6% de teor de gordura) acompanhado de chantilly e de queijo cottage todos os dias, provavelmente ganhará peso. Mas um copo de leite por dia com um teor de gordura entre 2,5% ou 3,2% não causará qualquer dano ao seu corpo.

Você ganhará peso extra somente se consumir mais calorias do que gasta. Portanto, se tiver um estilo de vida ativo, pode tomar leite com qualquer teor de gordura. Basta verificar as calorias consumidas.

Mito #11: Há tanto açúcar no leite com chocolate quanto no refrigerante

Cada 100 g de leite com chocolate contêm aproximadamente 9 g de açúcar, enquanto a mesma quantidade de refrigerante contém 11 g. Mas há uma grande diferença entre as bebidas: devido ao dióxido de carbono (o gás), o açúcar no refrigerante é imediatamente absorvido pelo sangue.

O leite com chocolate é recomendado para quem gasta muita energia. Se você também é fã dessa bebida, mas não é alguém muito ativo, então é melhor você mesmo prepará-la, para ter certeza da quantidade de açúcar.

Bem, o que você acha? Conseguimos refutar os mitos sobre o leite ou você ainda acredita em alguns deles?

Imagem de capa depositphotos