Uma oftalmologista respondeu a 7 questões sobre a visão

Dicas
há 11 meses

Olá a todos! Meu nome é Lyudmila Panyushkina, sou oftalmologista e também tenho um blog sobre saúde ocular. No meu trabalho, muitas vezes encontro mitos e preconceitos: alguns ainda acreditam que os mirtilos ajudam contra doenças dos olhos, e outros têm a certeza de que a visão se deteriora com o uso de óculos.

Especialmente para o Incrível.club, responderei às perguntas mais comuns sobre esse tópico e contarei como manter a saúde dos olhos por muito tempo. Este post não substitui uma consulta com um especialista e não é de natureza estritamente científica, apenas pretende informar. Por isso, não esqueça de visitar seu médico se tiver mais dúvidas ou se estiver sentindo algum desconforto.

1. A radiação das telas é prejudicial aos olhos?

É difícil imaginar a vida moderna sem computadores e telefones celulares. Naturalmente, muitos se preocupam com a seguinte questão: os dispositivos eletrônicos são prejudiciais à saúde ocular?

Aqueles que são forçados a trabalhar por um longo tempo com um computador às vezes se queixam de fadiga ocular e vermelhidão, e uma sensação de ter areia nos olhos. Vou surpreendê-lo, mas a luz na tela não tem nada a ver com isso. Tudo se deve ao trabalho ininterrupto a uma curta distância (com computador, documentos, livros ou telefone), que é acompanhado por piscadas insuficientes e, como resultado, o desenvolvimento da síndrome do olho seco. O problema é resolvido com a observação de um regime visual e com a aplicação de lágrimas artificiais (gotas hidratantes).

Os fabricantes de óculos para uso em frente ao computador (também chamados de filtros bloqueadores de luz azul) utilizam, como principal argumento da promoção de seus produtos, os resultados de estudos sobre os efeitos nocivos desses raios das telas na retina ocular. A luz azul, segundo alguns estudiosos, pode causar alterações visuais irreversíveis e contribuir para a redução da visão.

Mas o fato é que esses estudos foram realizados em animais, ou foram pesquisas experimentais de células da retina in vitro. Por outro lado, em geral, os experimentos são realizados sob condições extremas (altas doses de radiação), que ninguém jamais sonharia em reproduzir na vida real.

O efeito da radiação solar no olho humano também tem sido estudado em condições extremas em pessoas que permaneceram ao ar livre por muito tempo e raramente usavam óculos escuros. Mas a luz solar é muito mais brilhante do que qualquer outra usada em ambientes fechados, e o impacto da radiação azul da tela do computador é muito menor do que o efeito cumulativo da exposição ao sol.

Sendo assim, por enquanto, não existem estudos que confirmem que a exposição prolongada à luz azul a partir das telas dos dispositivos pode causar alterações irreversíveis no olho humano. Potencialmente, a radiação azul pode ser prejudicial à retina, mas até agora não sabemos qual dose ou duração da exposição podem causar mudanças irreversíveis. Até agora, todos os estudos nesta área funcionam mais como publicidade do que como qualquer outra coisa, e não devem ser tomados como parâmetro.

Lembre-se de que os óculos que bloqueiam a luz azul não são classificados como dispositivos médicos e, portanto, não exigem a aprovação do FDA, órgão mais rigoroso e imparcial para supervisionar a qualidade e a segurança de medicamentos e tecnologias médicas. Usá-los ou não depende apenas de você.

Também é importante lembrar que a luz azul desempenha um papel importante na regulação dos ciclos de “sono-vigília”, e o uso prolongado desses filtros bloqueadores pode levar à sonolência durante o dia. Em contraste, à noite (aproximadamente 2 horas antes de deitar), recomenda-se evitar o uso de dispositivos digitais ou usar filtros/programas especiais que bloqueiem a luz azul. Como você deve ter notado, isso não é importante para a saúde dos olhos, mas está relacionado à qualidade e duração do sono.

2. Trabalho muito no computador e meus olhos ficam cansados. O que posso fazer?

Como já vimos, queixas de fadiga, desconforto, vermelhidão e ressecamento dos olhos não surgem da radiação dos monitores, mas de um ambiente de trabalho incorretamente organizado e de piscadas pouco frequentes.

Como evitar o aparecimento de sintomas desagradáveis? É muito mais fácil do que parece:

1. Respeite o regime visual. Por exemplo, você pode usar a regra “20-20-20”: a cada 20 minutos, olhe por 20 segundos para um objeto que esteja a 20 pés de distância (aproximadamente 6 metros).
2. Certifique-se de que as dioptrias nos seus óculos são as corretas para trabalhar com o computador (depois de 40 a 45 anos, as lentes para ver de longe e os óculos para trabalhar com o computador são diferentes).
3. Use gotas hidratantes para evitar a síndrome do olho seco.
4. Ao organizar seu local de trabalho, tenha em mente as seguintes regras:

  • O monitor deve estar afastado dos olhos a uma distância de cerca de 50-60 centímetros, de preferência cerca de 20 centímetros abaixo do nível dos olhos.
  • A altura da cadeira deve ser ajustada de modo que os pés fiquem totalmente apoiados no chão. Não esqueça de adaptar o assento para que as crianças também sigam estas regras, especialmente se o computador for de uso comum da família.
  • Coloque o computador longe de outras fontes de luz para minimizar a reflexão na tela.
  • Reduza a iluminação ou use protetores de tela.

3. A miopia infantil surge por causa do uso de dispositivos eletrônicos?

Muitos pais acreditam que a TV é o principal culpado no desenvolvimento da miopia em crianças. Vamos ver se isso é realmente assim.

A maioria das crianças nasce com hipermetropia (isto é, uma dioptria leve de valor positivo). À medida que elas crescem, o globo ocular se estica e se alonga e tal condição é corrigida sem qualquer intervenção. Se o olho cresce com muita intensidade, a miopia aparece. Neste caso, para enxergar bem, a criança precisa de óculos de valor negativo.

As causas do aparecimento da miopia ainda não são totalmente conhecidas. O papel principal é atribuído à herança e aos fatores ambientais externos. Entre os últimos, o mais estudado é o efeito protetor da luz solar sobre o risco de desenvolver miopia. De acordo com dados de vários estudos importantes sobre o assunto, caminhadas ao ar livre podem reduzir a probabilidade de surgimento e progressão dessa condição.

E a sobrecarga ocular de curta distância, que durante muito tempo foi considerada o principal fator causador da miopia? Pesquisas modernas não encontraram uma confirmação dessa teoria. Os adolescentes que assistem muito à TV ou gastam bastante tempo usando o computador têm uma alta probabilidade de desenvolver ou sofrer um avanço da miopia, porque se privam da luz do sol e não passam tempo ao ar livre, e não por causa dos dispositivos em si. Apesar dos pais temerem que as crianças permaneçam na frente das telas, um oftalmologista não deve limitar isso. É necessário mudar o foco de atenção dos pais dos dispositivos para a organização do lazer de crianças fora de casa, ao ar livre.

Recomendações para a limitação do tempo diante de uma tela ou monitor são importantes não para a preservação da visão, mas para o desenvolvimento normal do sistema nervoso da criança. A Academia Americana de Pediatria (American Academy of Pediatrics) recomenda privar completamente as crianças menores de 2 anos de idade de assistir à televisão e permitir que usem dispositivos eletrônicos por um tempo muito limitado. Em uma idade mais avançada, é necessário limitar o tempo total de uso da TV a 1 ou 2 horas por dia, e recomenda-se que as crianças de 2 a 5 anos não usem dispositivos digitais mais de 1 hora por dia.

4. É necessário usar óculos escuros?

Tanto adultos quanto crianças, independentemente do tipo de pele que tenham, correm um risco elevado de danificar os olhos em razão de uma exposição excessiva à radiação UV. É importante lembrar que o dano da radiação UV é cumulativo, vai se juntando ao longo da vida. As pessoas com a cor da íris clara (azul ou verde) têm um risco maior de desenvolver doenças oncológicas, como o melanoma da íris ou o melanoma uveal.

A radiação UV não é bloqueada pelo nevoeiro ou pelas nuvens. Corre-se o risco de receber mais dela ao meio-dia, em altas altitudes e quando a luz é refletida na água ou na neve. Portanto, é importante escolher bons óculos de sol para você e seus filhos.

Óculos de sol devem bloquear 100% da radiação prejudicial. Escolha aqueles com a marca UV 400 e lembre-se: a intensidade da cor das lentes não afeta este parâmetro. As lentes de vidro escuro podem proteger os olhos tão bem quanto as claras. Óculos também diferem no nível de transmissão de luz. Existem 5 categorias de filtros que são identificadas com números de 0 a 4 (geralmente este valor é indicado na superfície interna do vidro, ao lado da marca CE). Um filtro marcado com “0” passa de 80 a 100% da luz, um marcado com “4”, de 3 a 8%. Na cidade, para dirigir um carro, por exemplo, o filtro de primeira ou segunda categoria será suficiente, enquanto para uma viagem à praia ou às montanhas você precisará de um de terceira ou quarta.

Outro detalhe importante: é melhor não usar óculos de sol do que usar aqueles sem a proteção UV adequada. Quando expostas ao sol, nossas pupilas diminuem seu diâmetro por reflexo, o que limita os efeitos nocivos da radiação UV na lente e na retina. Se você se expuser à luz do sol com óculos sem filtro adequado, a pupila permanecerá grande, de modo que uma radiação ainda mais prejudicial penetrará no olho. Se você tiver dúvidas sobre a qualidade das lentes, não compre.

5. É verdade que mirtilos e cenouras melhoram a visão?

Frutas e vegetais são necessários para o corpo humano, mas o benefício de algumas delas é claramente exagerado: assim, por exemplo, nasceu o mito de que mirtilos e cenouras têm um efeito benéfico na visão. Os primeiros realmente contêm vitaminas e oligoelementos, mas isso não significa que sua inclusão na dieta irá proteger de problemas oculares.

Não há um único estudo que possa confirmar o fato de que esta fruta seja útil para a visão humana. Com as cenouras acontece a mesma coisa. Em geral, as doenças dos olhos raramente estão associadas à falta de vitaminas, e uma dieta normal satisfaz as necessidades nutricionais dos olhos. Portanto, em caso de problemas na área, será muito mais eficaz recorrer a um oftalmologista e não consumir quilos de vegetais, frutas e bagas, esperando por uma cura mágica.

6. É verdade que o procedimento de correção da visão a laser não pode ser realizado em mulheres que não tiveram filhos? Quais os fatores de risco?

É um mito. A correção a laser é um procedimento bastante seguro e seus riscos durante a execução são mínimos. Mulheres que nunca tiveram filhos, as nulíparas, podem sim, fazê-la. As razões deste mito são explicadas a seguir. Antes da operação é realizada uma inspeção minuciosa: são analisados detalhadamente os parâmetros dos olhos (dioptrias, espessura e topografia da córnea, estado da retina e do nervo óptico e assim por diante) e descartadas doenças inflamatórias e patologias da córnea, que podem afetar negativamente o resultado da correção.

Para calcular os parâmetros de exposição do laser corretamente, você precisa ter certeza de que a miopia não está progredindo, e que o valor negativo medido no exame pré-operatório está correto e não vai mudar depois de alguns dias ou meses.

E é aí que chegamos à questão da gravidez e do parto. O fato é que, como resultado de alterações hormonais, a córnea de mulheres grávidas e lactantes pode inchar levemente, o que levará a um aumento no valor negativo. Esse fenômeno é temporário e acontece após o parto ou no final da amamentação. É por isso que ninguém fará uma correção a laser durante este período, pois é fácil cometer erros com os cálculos e fazer uma supercorreção. Em qualquer outro momento, com miopia estável e sem outras contraindicações, você pode optar por esta operação sem hesitação. A ausência de crianças ou seu planejamento não deve ser um obstáculo para uma boa visão.

7. A visão piora com o uso de óculos?

O oposto. Se a visão é imperfeita e não é possível focar uma imagem na retina, veremos o mundo ao nosso redor completamente borrado ou desfocado. Isso acontece com miopia, hipermetropia e astigmatismo. Óculos ou lentes de contato que melhorem o foco e nos devolvam uma visão clara podem ser muito úteis. Não há nenhum sentido para temer os óculos. As lentes corretamente escolhidas não podem prejudicar seus olhos.

Uma boa correção em crianças é especialmente importante. A visão é uma habilidade adquirida. À medida que a criança aprende gradualmente a andar, a mesma coisa acontece com a visão. Um pré-requisito para o desenvolvimento do aparato visual é a chegada de uma imagem clara ao cérebro. Se isso não acontece (devido a uma visão imperfeita), então o cérebro obtém informações distorcidas e simplesmente se acostuma a ver mal: desenvolve-se o “olho preguiçoso”. Se uma correção adequada não for feita a tempo, na idade adulta não haverá óculos que permitam a leitura das últimas linhas da tabela optométrica e pode-se desenvolver estrabismo.

Muitos acreditam que, com um pequeno valor negativo, os óculos são opcionais. Na realidade, nem sempre existe uma relação direta entre a magnitude disso e a visão sem correção. Muitas vezes, os pacientes nem percebem o quão mal veem porque estão acostumados a ver dessa maneira. As dores de cabeça, a sensação de peso nos olhos e os problemas de foco podem desaparecer quando se selecionam os óculos corretos.

Recomendações gerais para a preservação da saúde ocular

Se você leu esta matéria até aqui, é possível que já tenha adivinhado que não haverá dicas sobre os mirtilos, a ginástica visual, a limitação de tempo na frente de telas e outras coisas semelhantes. A saúde dos olhos depende principalmente da sua saúde e estilo de vida em geral.

Se estivermos falando sobre a visão das crianças, para que ela se desenvolva adequadamente, é importante lembrar de realizar uma correção completa (óculos ou lentes), longas caminhadas e consultas regulares com um oftalmologista. De acordo com as recomendações da Academia Americana de Pediatria, o primeiro exame deve ser feito antes dos 6 meses de idade. Isso permitirá excluir patologias graves que possam interferir no desenvolvimento normal do aparato visual, como catarata congênita, glaucoma, opacidade corneana, etc. Entre 1 e 3 anos a consulta com o médico deve ser feita anualmente. O objetivo disto é identificar as condições que podem causar o desenvolvimento do “olho preguiçoso” (hipermetropia e miopia, astigmatismo e estrabismo). Recomenda-se a realização de um exame oftalmológico com o diagrama ocular a partir dos 3 ou 4 anos, e depois aos 5, 6, 8, 10, 12 e 15 anos.

As principais causas de problemas de visão em adultos são diabetes, catarata, glaucoma e degeneração da retina relacionada à idade. Por isso é muito importante fazer consultas regulares com seu oftalmologista, de acordo com a idade:

  • De 40-54 anos: a cada 2-4 anos.
  • De 55-64 anos: a cada 1-3 anos.
  • A partir de 65 anos: a cada 1-2 anos.

Não se esqueça de usar óculos escuros, ter uma dieta variada, controlar a pressão arterial e a glicose no sangue, além de cuidar do seu peso. Pare de fumar e faça atividade física. Tudo isso será muito melhor do que os suplementos dietéticos e técnicas milagrosas de que se fala, e o ajudará a enxergar bem o máximo de tempo possível. Tenha uma vida saudável!

Imagem de capa depositphotos.com

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados