Como viver mais: 11 hábitos recomendados pela ciência para aumentar a longevidade e bem-estar

Dicas
há 10 meses

Você já se perguntou como algumas pessoas se tornam centenárias ou têm uma saúde de ferro mesmo na terceira idade? Qual será o segredo para viver mais e melhor? Hoje, trazemos alguns fatos comprovados cientificamente que, se aplicados no dia a dia, te ajudarão a viver por mais tempo e com muito mais qualidade de vida. Confira!

Uma pesquisa liderada por uma neurologista demonstrou que quem pratica atividades artísticas pode viver 10 anos a mais. Se envolver com alguma arte durante 45 minutos reduz o principal hormônio de estresse no organismo, o cortisol.

Escutar música ativa múltiplas vias cerebrais, estimulando o córtex auditivo (que processa o som), a amígdala (glândula responsável pela detecção, geração e manutenção das emoções relacionadas ao medo, reconhecimento de expressões faciais de medo e coordenação de respostas apropriadas à ameaça e perigo) e o hipocampo (memória). Confira a lista de algumas das atividades que podem te ajudar a viver mais!

1. Cantar

Você com certeza já ouviu o famoso ditado “quem canta seus males espanta”, e ele não poderia ser mais verdadeiro! Um estudo demonstrou que cantar melhorou a saúde mental de várias pessoas e aumentou a longevidade. Cantar pode ajudar a diminuir a pressão arterial e melhorar a saúde cerebral a ponto de reduzir os riscos de demência, assim como também ajuda a diminuir os sintomas da depressão.

Quando cantamos, temos uma circulação sanguínea melhor, permitindo que mais oxigênio chegue até o cérebro. Melhora também a concentração e a memória. Cantar, ainda, libera endorfina, um elemento químico no cérebro que nos faz sentir animados e felizes. Cientistas identificaram um órgão minúsculo no ouvido chamado sáculo, que responde às frequências criadas pelo canto. A resposta desse órgão cria uma sensação imediata de prazer, independentemente de a pessoa cantar bem ou não. Soltar a voz pode melhorar o humor, pois nos distrai dos problemas do cotidiano.

2. Visitar museus ou galerias de arte

Se você está precisando de ideias sobre o que fazer no final de semana, que tal considerar uma visita a uma galeria de arte ou museu? Espaços culturais como esses, muitas vezes, são passeios que podem ser feitos de graça, são interessantes e, além de tudo, ainda te ajudam a viver mais!

Pesquisadores da faculdade University College London da Inglaterra descobriram que pessoas que interagem com as artes com uma certa frequência (em um intervalo de poucos meses) tem 31% menos chances de sofrer morte prematura do que aqueles que nunca frequentam esses locais.

Normalmente, pensamos que para viver mais é preciso apenas ter bons hábitos como comer de forma saudável, praticar exercícios físicos ou dormir bem, e claro que isso é verdade, mas a saúde mental também tem um papel importantíssimo quando se trata de longevidade. Interagir com artes pode ajudar a aliviar o estresse e desenvolver criatividade, o que permite que as pessoas se adaptem melhor às mudanças que possam passar na vida e, consequentemente, sofram menos.

3. Trabalhar com argila/cerâmica

Foi descoberto em um estudo que quem trabalha com atividades artísticas experiencia redução do nível de estresse, sendo um artista amador ou profissional. Trabalhar com argila melhora o foco e coloca a mente em uma espécie de mundo particular, onde só existe você e a argila. Praticar essa atividade com frequência faz com que você treine sua mente para fazer uma coisa de cada vez.

Isso ajuda na capacidade de fazer as coisas mais rapidamente, pensar com mais clareza e ter mais produtividade em outras áreas da vida. Trabalhar com argila nos ajuda a expressar sentimentos e pensamentos, sendo uma prática altamente terapêutica. Também melhora o humor e pode ser considerada um exercício físico leve que fortalece braços e mãos, ajudando até pacientes com artrite reumatoide.

4. Manter o cérebro ativo

Estudos demonstram que é possível evitar o declínio mental no processo de envelhecimento e uma pessoa que se mantém estimulada mentalmente tem uma memória melhor. Alguns exemplos de exercícios mentais que podem ser feitos diariamente: resolver quebra-cabeças ou fazer palavras-cruzadas; resolver contas matemáticas simples de cabeça; ler regularmente; participar de jogos que estimulam a mente como xadrez e bingo; interagir com outras pessoas; aprender coisas novas; começar a estudar algo novo; sair de casa.

5. Criar uma playlist

Música ajuda o cérebro a liberar dopamina, substância química chave para nossa motivação e, por isso, tanta gente gosta de música. Quando combinada à dança, ela é comumente utilizada na recuperação de pacientes que sofreram infarto ou sofrem com Mal de Parkinson. A canção perfeita pode te beneficiar em propósitos específicos.

Por exemplo, se você acabou de sair do trabalho e seu objetivo é começar a diminuir o ritmo para ter uma noite de sono tranquila, experimente escutar esta música. Mas se o que você quer é se sentir energizado para começar o dia animado, tente esta. Percebeu a diferença entre as duas? Assim, fica fácil entender como montar uma playlist para diferentes propósitos pode te ajudar a entrar na energia perfeita para diferentes coisas. O mais importante é incluir músicas que gostamos.

Criar uma playlist pessoal pode ajudar a liberar ansiedade, consequentemente ajudando a ter uma vida menos estressada e mais longa.

6. Escrever

Viver sob estresse constante pode piorar problemas da nossa saúde física, como aumento de risco de sofrer infartos ou desenvolver diabete, além de também baixar a imunidade. Por isso, quem é constantemente estressado pode viver menos. Uma ótima forma de liberar o estresse é escrevendo.

Um estudo mostrou que, quando escrevemos sobre nossos sentimentos por dias consecutivos, os glóbulos brancos do corpo (responsáveis pela defesa contra infecções), se replicam mais rapidamente e apresentam resposta de defesa mais ágil. Outra pesquisa demonstrou que a escrita expressiva pode acelerar a recuperação após uma biópsia, e também parece reduzir a pressão arterial e melhorar a capacidade pulmonar.

Escrever também ajuda a abrir espaço em nossas mentes para pensar em outras coisas e, se feito antes de dormir, pode melhorar a qualidade do sono.

7. Colorir ou pintar

Colorir ajuda o cérebro a relaxar, tendo o mesmo efeito da meditação, reduzindo os pensamentos de mentes inquietas. Isso gera atenção plena e tranquilidade, permitindo um descanso para a mente após um dia de trabalho ou estudos. Colorir melhora a capacidade motora e a visão, o sono e aumenta o foco.

Já pintar melhora a capacidade de resolver problemas, ajuda a ter uma memória melhor, eleva a autoconfiança, a capacidade de comunicação e assim como colorir, também ajuda a liberar estresse e melhorar a concentração. Os benefícios de um corpo menos estressado acarretam em uma vida mais longa.

8. Praticar jardinagem

De acordo com uma pesquisa realizada em 2018, praticar jardinagem reduz o estresse e aumenta a exposição à vitamina D, por ser uma atividade comumente feita no sol. Mexer com a terra aumenta a sensação de propósito e as interações sociais, fatores que influenciam positivamente na expectativa de vida. Além disso, foi descoberto que a prática diária de jardinagem está associada com a diminuição do risco de desenvolver demência.

9. Interações sociais positivas

Não existem efeitos colaterais quando se trata de tempo de qualidade com quem amamos e cultivar relacionamentos novos e existentes. Quem tem vida social ativa e positiva tem uma expectativa de vida 50% maior do que quem não tem relacionamentos fortes e presentes. A solidão aumenta o risco de doenças cardíacas, infarto e morte.

A explicação para isso é que pessoas socialmente isoladas são mais propensas a desenvolver padrões de saúde prejudiciais como vícios, ter uma alimentação ruim, além de ser mais estressado, o que pode causar grandes problemas no organismo, contribuindo, até mesmo, para o envelhecimento precoce.

10. Praticar tricô ou crochê

Você já considerou aprender tricô ou crochê? Talvez seja uma boa ideia acrescentar à sua lista de coisas a aprender. Tricotar é benéfico para a saúde de pessoas em todas as idades, não só idosos, e a prática pode despertar sentimentos de calma e paz, segundo pesquisa realizada na Inglaterra. Por ser uma atividade meditativa, pode-se experienciar redução na frequência cardíaca que, por sua vez, diminui a pressão arterial.

Tricotar também reduz as chances de deficiências cognitivas e perda de memória, pode auxiliar durante a recuperação de doenças e, se praticada em grupo, a atividade pode realmente te ajudar a viver mais. A conexão social é um grande contribuidor para o bem-estar mental, então considere criar um clube de tricô ou crochê!

crochê, por sua vez, pode ser extremamente benéfico para quem tem TDAH, já que acalma a mente e ajuda a focar em uma coisa por vez. Também melhora a memória e pode ajudar pacientes com demência. Os benefícios calmantes e meditativos do crochê também reduzem os sintomas de depressão e ansiedade. Por ser uma atividade desafiadora, o crochê aumenta a capacidade do cérebro de operar mesmo quando está danificado, sendo realmente uma prática maravilhosa!

11. Flertar

Flertar significa se envolver com alguém de uma forma mais do que amigável. Algumas pessoas têm intenções românticas quando se engajam na atividade, outras fazem apenas por diversão. É possível flertar pessoalmente ou online. Uma troca de olhares significativos, um sorriso prolongado ou até piadas podem ser algumas das ações quando alguém se comunica por meio de flertes.

Além de divertido, flertar faz bem à saúde, já que eleva a autoestima, diminui o estresse e beneficia muito nossa saúde mental. Vimos nos tópicos anteriores como viver sob constante estresse pode reduzir a longevidade. Então por que não tentar essa forma de comunicação para relaxar? Atrapalhar com certeza não vai.

Conforme observamos, é fácil (e, às vezes, de graça!) viver bem e por mais tempo. Ao incorporar essas práticas em sua rotina, fica claro que não existem segredos para melhorar a qualidade de vida, muito menos para viver por mais tempo. O comprometimento com o autocuidado sai muito mais barato do que tratar doenças que podem acabar se manifestando cedo ou tarde. Não se negligencie e não trate sua saúde como garantida. Assim, você chegará aos 80 cheio de saúde!

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados