Incrível
Incrível

Decidi sair do Brasil para morar no exterior e estas foram as coisas que eu mais estranhei

Olá, eu me chamo Alana, decidi sair da casa dos meus pais e morar no exterior para estudar e melhorar a minha segunda língua, o inglês. No entanto, nem tudo aqui é tão fácil quanto eu imaginava na questão de adaptação cultural. Ou seja, “nem tudo são flores”, né? Aprendi e ainda estou aprendendo muita coisa que levarei de bagagem para o resto da minha vida, incluindo as noites com saudades de casa e os dias felizes em que o sorriso é largo o dia todo.

Por isso, hoje, para o Incrível.club, fiz uma lista com as coisas que eu mais estranhei e, ao mesmo tempo, gostei. Quer embarcar nesse intercâmbio chamado vida no exterior? Confira só! 😉

Arroz

Um ditado diz que “Cada vez que um brasileiro come um arroz em outro país, ele tem vontade de voltar para casa” — e, sim, em minha opinião, isso é verídico. O que mais tem me “pegado” é a questão da comida “gringa”, pois, eles não usam tantas especiarias quanto a gente usa, principalmente na refeição que todo tupiniquim ama: o arroz! Pasmem, em muitos lugares, não há sequer um temperinho, como, cebola, alho e óleo. Outro costume diferente é que, ao contrário do Brasil, não é rotineiro lavar os grãos; ou seja, eles vão direto para a panela depois que o pacote é aberto.

Chuveiro

O chuveiro pode ser uma complicação e tanto para nós, brasileiros, pois em muitos lugares no exterior, você precisa ligar na temperatura desejada e tem de esperar a água esquentar — um verdadeiro teste de paciência. Enquanto isso, no Brasil, você apenas muda a temperatura e a água sairá quentinha. Ah, não posso esquecer de mencionar que, aqui na “gringa” existem diversos modelos de chuveiro, mas todos se assemelham no que diz respeito à questão da configuração.

Torneiras

Assim como os chuveiros, as torneiras também têm a temperatura quentinha e, sim, você também deve esperar a água esquentar. Quando eu cheguei aqui, fiquei bem confusa pelo fato de terem duas válvulas e demorei um pouquinho para me acostumar. De fato, as torneiras quentes são uma das coisas que eu mais gosto aqui do exterior, pois você não precisa higienizar suas mãos na água geladíssima.

Tomadas

As entradas das tomadas do exterior são diferentes daquelas que rotineiramente vemos no Brasil. A minha sorte foi que, felizmente, eu trouxe um adaptador. Então aqui fica uma dica: se você for viajar, não deixe de adquirir um ou dois adaptadores; caso contrário, pode ficar com as mãos ou os eletrônicos “ao vento”. Bá-dum-tss!

Lixo no banheiro

Talvez você já tenha escutado sobre o assunto: não existem lixinhos nos banheiros aqui da “gringa” — e eu posso confirmar que isso é “meia” verdade, pois eles não usam lixos com sacola plástica nos banheiros e, sim, um baldinho ou um cesto qualquer para jogar caixas de produtos, embalagens e afins. A outra verdade é que itens higiênicos, tais como papéis higiênicos são descartados diretamente dentro do vaso.

Calça jeans

Fiquei “pasma” quando entrei no provador de uma loja e vi que a calça não tinha zíper e, sim, botões! Mas não se engane achando que o zíper não existe aqui, ok? Eles existem, mas os botões aparentemente são mais comuns, de acordo com a minha experiência visitando as lojas. Uma coisa que eu posso dizer é que as calças com botões no lugar dos zíperes são uma das melhores invenções do ser humano; afinal, as peças parecem se “encaixar” bem melhor no corpo.

Aquecedor — Ar condicionado

Se você for viajar, saiba que não passará frio nem calor dentro dos estabelecimentos, pois tudo é aquecido ou climatizado nos locais. Talvez você se assuste com a aparência dos eletrônicos, já que são bem diferentes dos que conhecemos no nosso país de origem.

Esponjas

As lava-louças são para lá de comuns na “gringa”, mas você sabia que existe um tipo de esponja diferente e mais popular por aqui? Confesso que amei e minhas mãos alérgicas a sabão também! Ou seja, se algo não couber na máquina, você pode usar a “escova esponja” e manter sua pele intacta.

Preços

Acho que esse é um dos maiores atrativos quando se pensa em morar fora. De fato, muitas coisas costumam ser muito baratas, e, por isso, é necessário se controlar quando é hora das compras, pois há vários itens ou comidas, por exemplo, que são superacessíveis e que você vai querer a todo custo. Lembrando que, se for morar fora, nem sempre vale a pena fazer uma conversão da moeda local para a moeda do Brasil. Afinal, “quem converte não se diverte”. 🤭

Interruptores

Eu pensava que todos os interruptores fossem iguais a esses tradicionais que geralmente temos no Brasil, mas acabei me enganando e vi que existem alguns diferentes — encontrados em casas mais velhas ou para os amantes do estilo vintage. Para acender as luzes, basta empurrar a minialavanca para cima e vice-versa. Bem diferente, né?

Tanques

Olha, eu diria que os tanques são quase um patrimônio brasileiro, pois, aparentemente, é bem difícil encontrá-los nos países da “gringa” — e caso os encontre, eles não terão as famosas lavadeiras/ “esfregadeiras”, quase inúteis. Mas, se você estiver se questionando como muitos gringos lavam as roupas, aqui está a resposta: na máquina e na secadora — que eu não gosto muito, sinto muitas saudades do varal!

Abridor de lata

Confesso que eu nunca gostei de usar abridor de latas, pois acredito que eu não tenha força o suficiente para isso — ou seria falta de prática? Enfim, no exterior existem diversos modelos de abridores de latas, inclusive o que está na foto acima, porém fico curiosa para testar os modelos mais tecnológicos; deve ser ainda mais fácil, né?

E aí, qual coisa mais te surpreendeu? Você acha que a vida do exterior é muito fácil? Conte nos comentários, adoraremos saber o seu ponto de vista! 😉

Incrível/Gente/Decidi sair do Brasil para morar no exterior e estas foram as coisas que eu mais estranhei
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos