Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

10 Estratégias que podem ajudá-lo a zerar as dívidas e melhorar sua vida financeira

A questão financeira é sempre um tema bastante importante em nossas vidas. Goste ou não, as finanças nos ajudam a transformar nossos sonhos em realidade e podem deixar nossa vida mais confortável. No entanto, na prática, nem todo mundo consegue administrar bem seu dinheiro — às vezes, alguns erros na sua gestão financeira podem até levar anos para que sejam completamente reparados.

Pensando nisso, nós, do Incrível.club, estudamos estratégias que podem ajudá-lo a sair do vermelho e gerir melhor a sua conta bancária. E, no final, um bônus interessante ainda espera por você: internautas compartilharam arrependimentos financeiros que ainda assombram suas vidas. Confira!

Inicialmente, dê preferência ao pagamento das suas dívidas

Um monte de dívidas, empréstimos e prestações atrasadas certamente vai colocá-lo sob uma situação de verdadeiro estresse. E o estresse, por sua vez, reduz a produtividade necessária para ganhar dinheiro. Economizar fica muito difícil quando os boletos continuam chegando regularmente.

  • Para sair de um endividamento, você precisa de muita força de vontade, meu amigo. Eu tinha uma dívida e um empréstimo enormes, e me livrar deles foi complicado, mas não é tão difícil assim. Tudo de que precisei foi força de vontade, planejamento de curto prazo e execução para que pudesse começar a economizar. Excluí todas as despesas extras e desnecessárias do meu orçamento. Tirei até os táxis do meu orçamento e comecei a andar de ônibus. A questão é que as únicas coisas que devem estar no seu orçamento são as despesas com aluguel, alimentação e serviços públicos. © Emily Walker / Quora
  • As dívidas devem ser pagas começando da menor para a maior. Esse método é chamado de “bola de neve” e é o mais adequado do ponto de vista psicológico. © Kory Postma / Quora
  • Primeiro de tudo, pare de comprar coisas desnecessárias. Quando você quiser realmente uma coisa, não use o cartão de crédito! Não pague nem as coisas necessárias com cartão de crédito, porque tecnicamente isso só vai aumentar sua dívida. Em vez disso, junte o dinheiro e pague à vista. © Emily Walker / Quora

Defina metas específicas

Se você não tiver um objetivo definido, poupar pode se tornar um dever chato que não traz nenhum prazer, fazendo com que gaste esse dinheiro facilmente. Uma meta comum (como comprar um apartamento) pode parece inatingível, mas se planejar cada detalhe (bairro, número de quartos, características da varanda), com cada valor economizado você vai ter a sensação de que está mais próximo de realizar a meta.

  • Quando tinha 9 anos eu coletava tampinhas de garrafa de cerveja para vender e poder comprar um canivete Buck dobrável. Levei 4 meses para juntar o dinheiro. Isso foi em 1973, e a lâmina ainda é afiada e parece nova. Acho que valeu a pena, sim. © Larry Hicks / Quora
  • Eu queria uma BMW nova e por quase 3 anos economizei dinheiro para comprá-la. Guardava todos os trocados da minha carteira em uma gaveta quando chegava em casa, fossem 2 ou 5 dólares ou até 90 ou 100 dólares. Fiz isso por um ano inteiro, sem parar para contar quanto já havia economizado. Reduzi meus gastos desnecessários: cafés, restaurantes, TV a cabo cara. Fiquei muito orgulhoso de mim mesmo — não vivi como um eremita nem fiquei à beira da pobreza, simplesmente eliminei os gastos desnecessários. © Bill Herman / Quora

Efetue os pagamentos obrigatórios imediatamente após receber seu salário (e guarde o resto)

Todo mundo tem uma lista de pagamentos obrigatórios que precisam ser efetuados todos os meses: serviços públicos (água e energia), mensalidades e prestações de seguros. E Isso também inclui a porcentagem que você escolhe para poupar do seu salário por mês. Se pagar tudo isso imediatamente após receber o salário, ficará mais fácil organizar o seu dinheiro e entender quanto pode gastar livremente. E para não esquecer de fazer os pagamentos, você pode configurar a função débito automático através do aplicativo do banco.

  • Não é possível economizar todos os meses. Às vezes é preciso gastar com situações de emergência. Então, é necessário ter força de vontade. E se você não a tem, pode utilizar uma função bancária que transfere automaticamente um valor para uma conta poupança — é como um robô que economiza dinheiro em seu lugar. É possível configurá-lo para transferir 10% de cada salário para uma conta separada. Ou ainda pode-se abordar esse assunto de uma maneira mais criativa: por exemplo, configurar para que seja revertido 5% do valor que lhe foi transferido por familiares e amigos ou 5% de cada gasto no cartão de débito. Dessa forma você economizará sem sentir. © Mikhail Kuzmin / Thequestion
  • É necessário determinar uma quantia mensal de reserva para seus objetivos e eventuais emergências. Como regra, isso deve representar pelo menos 10% dos seus ganhos. Esse valor deve ser transferido para um cofrinho imediatamente após o recebimento do salário, e não no final do mês, pois há grandes chances de você não ter mais esse dinheiro até lá. © Vadim Molinov / Thequestion

Faça compras com a “cabeça fria”

As compras espontâneas são aquelas que fazemos sob o calor das emoções e são, de fato, uma das melhores maneiras de nos presentearmos. E não há nada de errado nisso, até porque você provavelmente se sentiu muito bem ao fazê-las. No entanto, também pode acontecer o inverso e nos sentirmos culpados e decepcionados depois de uma compra — o sentimento de que o dinheiro foi gasto com uma coisa desnecessária, que apenas vai ocupar um lugar em casa.

Eis algumas recomendações dos internautas para evitar compras sem sentido:

  • Uma opção é adiar a compra — assim você terá tempo para pensar se realmente precisa fazê-la. © morkov41 / Pikabu
  • Procure sempre escrever em detalhes um roteiro exemplificando para qual finalidade vai usar o objeto comprado, indicando com que frequência será utilizado, o resultado e ainda o que você fará quando ele não for mais necessário. © Vlad Ivanov / Thequestion

Use cartões que dão bônus

Atualmente, quase todos os bancos oferecem várias opções de cartões de débito e crédito com bônus na forma de reembolso ou pontos de milhas para viagens, além de rendimentos mensais na conta. Com o uso regular, você pode juntar uma quantia significativa que poderá usar do jeito que quiser.

  • Passei um ano usando um cartão que dá reembolso e descobri acidentalmente que havia “ganhado” cerca de 1000 reais. Portanto, faz sentido usar esse cartão em absolutamente todos os lugares. © Viktor Smirnov / Thequestion
  • Devagar, mas com segurança, acumulei milhas suficientes para pagar o preço das passagens do trecho Moscou — Nova Iorque (ida e volta), mas, infelizmente, não pude fazer a viagem. As milhas tinham um prazo de validade curto para serem usadas, então gastei com uma passagem para a Europa na classe executiva. © Alex Ryazanov / Thequestion

Defina suas prioridades durante as compras

Geralmente, antes de fazer uma compra, você pesquisa entre uma variedade de itens da mesma categoria. Por exemplo: entre smartphones de diferentes fabricantes. No entanto, pode tentar fazer outro tipo de comparação — pensar no que mais poderia pagar usando a mesma quantia de dinheiro. Talvez você esteja mais interessado em viajar do que adquirir um smartphone, então um celular simples apenas para ligações já seria o suficiente. Ou, pelo contrário, viajar não é uma prioridade, mas sua necessidade é de um smartphone poderoso porque mantém um blog no Instagram no qual ganha um bom valor extra tirando fotos ou fazendo vídeos.

  • Tenho um antigo celular da Sony Ericsson com um teclado qwerty fascinante. Comprei há 4 anos, foi meu primeiro smartphone e funciona até hoje. Sim, alguns aplicativos não mais, mas você pode viver sem eles. E, sinceramente, não conseguiria mais viver sem esse teclado super prático, que me permite digitar sem precisar olhar. Isso sem falar na resistência do aparelho, que sobreviveu a uma queda da plataforma até os trilhos do metrô, e do seu tamanho compacto (da largura da palma da mão). © Meggie Cleary / Thequestion
  • Raramente uso o telefone para a sua função principal — que é fazer ligações. Para mim, é mais um dispositivo multimídia com jogos, música e uma câmera. E é por isso que compro novos smartphones com bastante frequência. © Miras M / Thequestion

Fique longe das publicidades

Muitas vezes, a publicidade pode mudar a ideia de um produto em nosso subconsciente e nem nos damos conta disso. Faça um experimento e tente evitar anúncios por pelo menos um mês: habilite um bloqueador de propagandas no navegador, cancele as inscrições de e-mail publicitários e desative as notificações dos aplicativos de compras. E veja como os seus desejos de adquirir coisas novas diminuem.

  • Muitos dos anúncios publicitários contêm as chamadas “palavras traiçoeiras”: “Todos sabem que...”, “Todo mundo compra...”, “Apenas R$ 99,99...”. E todos esses anúncios são realmente apenas frases vazias que afetam nossa mente e nos fazem prestar atenção ao produto. © Egor Egorov / Thequestion
  • Isso também inclui as campanhas publicitárias das lojas de roupas, com frases como “nova coleção” ou “coleção de verão”. Elas deixam claro para o consumidor que suas roupas são antigas e que ele precisa correr para loja para ficar na moda. © Polina Liddel / Thequestion

Use a tecnologia a seu favor

Obviamente, as opções de lâmpadas mais econômicas já são muito bem conhecidas há um bom tempo. Mas, além delas, você deve prestar atenção aos utensílios mais modernos para o banheiro — por exemplo, existem modelos de torneiras e chuveiros com design capaz de reduzir o consumo de água sem diminuir a eficiência.

O fluxo de água também é reduzido com bicos de torneira que ajudam a “diluir” a água. E se você tiver água quente encanada, utilizar um modelo que dispõe de uma só válvula para regular o fluxo e a temperatura também ajuda a reduzir os gastos com água.

Em geral, ao escolher eletrodomésticos, vale a pena prestar atenção em seu nível de consumo de energia e, no final, escolher o produto mais eficiente em termos de energia.

  • Existem bicos de torneira capazes de reduzir o fluxo de água para uma vazão entre 9 e 3 litros por minuto (o padrão de vazão médio é de 15 litros por minuto). 3 litros por minuto é uma quantidade ideal para lugares públicos (onde é necessário lavar as mãos após ir ao banheiro, por exemplo), enquanto uma vazão de 6 a 9 litros por minuto é o suficiente para um apartamento residencial. Como comprovado na prática, no primeiro mês o valor economizado geralmente cobre o preço da compra do produto e nos meses seguintes os gastos diminuem em 25% ou mais. © Mir0n0ff / Pikabu

Ao tentar economizar, você deve sempre prestar atenção aos detalhes

Não há nada de errado em tentar encontrar produtos mais baratos. No entanto, se você mora em uma cidade grande e tiver que ir ao outro extremo dela, o tempo gasto e as despesas do percurso podem exceder o valor economizado. Outro detalhe: ao comprar roupas, preste atenção à qualidade — talvez uma peça mais cara, mas de boa qualidade, durará mais tempo do que uma opção mais barata. O mesmo vale para empréstimos com baixas taxas de juros, afinal pode haver alguma armadilha — diversos tipos de comissões ou multas.

Sendo assim, ao escolher um método para economizar, vale a pena pensar em todos os detalhes e situações que possam acontecer.

  • Tomemos os sapatos como exemplo. Digamos que um par de boa qualidade custe cerca de 150 reais, enquanto uma opção mais acessível saia por apenas 50 reais. Depois de alguns meses, esta vai começar a rasgar. No fim, você terá de comprar sapatos com mais frequência e vai acabar gastando mais dinheiro do que se tivesse investido em um calçado bom desde o início. © Jenny Barnes / Quora

Usar aplicativos de celular para acompanhar e controlar as finanças

Não é possível economizar sem fazer um controle das finanças. No entanto, ficar juntando notas fiscais e anotando todos os valores em um caderno ou no computador é um processo longo e até chato, concorda? Certamente, é muito mais fácil gerenciar seu orçamento através de aplicativos de celular, ainda mais que a maioria deles já têm a função para escanear notas fiscais e sincronizar o aplicativo com os seus cartões, de modo que o programa registre tudo automaticamente em seu lugar.

Bônus: internautas compartilharam seus maiores arrependimentos financeiros

  • Meu maior arrependimento financeiro foi ter comprado um carro usado. Na época, dividia apartamento com algumas pessoas e, consequentemente, não tinha uma garagem própria — era preciso deixar o carro estacionado na rua na frente do meu prédio. E aqui que começaram os problemas: todos os dias os corvos deixavam meu carro coberto de fezes, e eram tantas que tive de pedir para o dono do apartamento para lavar meu carro todo dia por um custo a mais no valor do aluguel, que eu pagava por fora.
    Um dia, o carro simplesmente quebrou no meio do caminho e eu tive de rebocá-lo (o que não custou barato), levá-lo para o mecânico e pagar uma boa quantia pelo seu conserto. Só que o mecânico usou peças usadas para substituir as que tinham quebrado, e alguns dias depois o carro quebrou novamente no meio da rua. E isso aconteceu de novo e de novo. No fim, eu o vendi por uma quantia menor do que todos os meus gastos com ele somados. © Anonymous / Quora

  • Comprei um notebook caro depois de um ano economizando para poder pagá-lo, e com pouco tempo a tela quebrou — apareceram algumas listras no visor. O preço de um LCD novo é quase o valor de um notebook de outra marca, só que não tenho dinheiro suficiente para pagar. Fico pensando agora se não teria sido mais vantajoso ter escolhido um modelo de outra marca e mais barato. Antes de comprar, me disseram que o meu notebook duraria pelo menos 10 anos! Mas, no fim das contas, não é bem assim e eu me arrependo bastante de tê-lo adquirido. © Sophie Metropolis / Quora
  • Bom, eu tenho apenas 19 anos, então não tenho nem um carro caro nem um imóvel de que me arrependa de ter comprado. Mas existe uma compra que desejaria nunca ter feito. Toco violão desde os 9 anos de idade. Meu primeiro instrumento era muito bom e na época me custou muito caro. Usei-o por um bom tempo, mas por razões que não vale a pena mencionar acabei precisando de um novo.
    Na época eu já era estudante universitário, e um violão do mesmo modelo estava custando quase 3 vezes mais do que quando o comprei no passado. Fiquei com peso na consciência de gastar tanto em um instrumento, então decidi levar um modelo mais barato. Só que, como descobri depois, a qualidade era péssima. Seis meses depois de adquiri-lo já não conseguia tocar direito com ele, mesmo que tentasse afiná-lo e ajustá-lo inúmeras vezes. Se já tenho dificuldade em tocar nele como um passatempo, imagine usá-lo no palco. Portanto essa é uma compra da qual eu definitivamente me arrependo. © Akshit Gupta / Quora

Você costuma organizar suas finanças e acompanhar seus gastos? Que método usa? Já se arrependeu amargamente de uma compra? Conte para a gente na seção de comentários.

Imagem de capa pxhere, depositphotos