Incrível
Incrível

10 Objetos cotidianos que provam que a sua vida provavelmente não seria a mesma sem a NASA

As origens de muitos produtos usados no dia a dia são desconhecidas por grande parte da população. Um exemplo disso são os objetos criados pela NASA. Afinal, a agência espacial norte-americana não é apenas sinônimo de foguetes, satélites e conquista espacial. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a exploração do espaço garantiu a existência de utensílios essenciais.

Dessa forma, o Incrível.club selecionou uma série de objetos cotidianos que provam que a sua vida não seria a mesma sem a NASA. Venha com a gente e confira!

1. GPS

GPS, originalmente intitulado de NAVSTAR (Natigation System with Timing Ranging), foi desenvolvido pelo Departamento de Defesa norte-americano com o propósito de se tornar o principal sistema de navegação das forças armadas dos Estados Unidos. Hoje, o GPS é considerado um sistema versátil de radionavegação baseado no espaço, sendo usado em três segmentos: espacial, usuário e controle.

Além disso, neste momento, são mais de 30 satélites operacionais em órbita, que emitem sinais de rádio de forma simultânea, ininterrupta e precisa. O seu uso pode ser feito em celulares, agricultura ou até mesmo em automóveis. Já pensou como seria a sua vida sem o GPS do Waze ou do Google Maps para te ajudar a chegar a um local desejado?

2. Transmissão de TV ao vivo

Sem dúvida, a televisão possui um papel importante em nossas vidas e em nossa comunicação. Em 1962, a transmissão do aparelho de TV teve uma mudança impactante, a troca de informações entre continentes. Graças ao pequeno satélite artificial Telstar 1, desenvolvido por americanos, franceses e ingleses, foi realizada a primeira transmissão via satélite através do Oceano Atlântico naquele mesmo ano. Dessa forma, a transmissão contribuiu significativamente para a globalização.

A televisão via satélite passou por constantes transformações e a TV digital, implementada há poucos anos no Brasil, é um dos resultados dessa evolução, exibindo imagens com maior qualidade e com menos interferências.

3. Espuma de memória (travesseiro da NASA)

Na década de 60, a NASA desenvolveu uma espécie de espuma para ser usada em assentos de aviões da agência espacial norte-americana para proporcionar maior conforto, segurança e proteção para os pilotos e passageiros. Conhecida como ‘espuma de retorno lento’, ou ‘espuma de memória’, ganhou esse nome inusitado, pois ao ser exercida qualquer pressão contra ela, volta à sua forma original, lentamente, após a remoção da compressão.

Atualmente, a espuma viscoelástica foi adaptada para o uso cotidiano e é utilizada em travesseiros, camas, sofás e até em calçados mais confortáveis. Além disso, o material também é utilizado em capacetes, parque de diversões, assentos de veículos e próteses médicas. Essa, sem dúvida, é a prova de que o famoso travesseiro da NASA veio realmente do espaço.

4. Calçados esportivos

Na era Apollo, a NASA implementou um processo conhecido como “moldagem por sopro de borracha”, utilizado na produção de capacetes e para a criação de solas de calçados. O processo inovador permitia que as solas espaciais fossem preenchidas com um material de absorção de choque.

Dessa forma, Frank Rudy, ex-engenheiro da NASA, teve a ideia revolucionária de criar um amortecedor adequado para calçados e a apresentou para a Nike Corporation. Em sua apresentação, Rudy utilizou uma almofada feita por células de ar interconectadas sob o calcanhar e o antepé para amortecer o golpe contra o chão. Assim, nasceu o famoso Nike Air e os demais tênis com amortecedores. Como não amar a era lunar por viabilizar a existência de sapatos que deixam nossos pezinhos nas nuvens?

5. Chapinha

Alguns produtos de cabelo tiveram origem com pesquisas de nanomateriais desenvolvidas pela NASA. Após muitos estudos sobre o tema, a Farouk Systems, empresa no segmento de beleza e estética, incorporou uma tecnologia criada pela agência espacial norte-americana em seu ferro de penteado CHI (Cationic Hydration Interlink). Quando aquecido, o material cerâmico liberava íons que amaciavam e alisavam o cabelo, o que originou a famosa chapinha e permitiu que mulheres do mundo todo tenham, se assim desejarem, cabelos lisos.

6. Detector de fumaça

Nos anos 70, a Skylab, primeira estação espacial norte-americana, queria evitar colocar em risco a vida de astronautas em incêndios imprevisíveis. Dessa forma, a Honeywell, empresa contratada pela NASA, criou um dispositivo que detectava gases tóxicos e fumaça. Em 1979, a introdução de aparelhos de detecção por ionização se fez presente e se popularizou em casas e edifícios, principalmente por ser um equipamento mais barato, sensível e eficaz.

7. Lentes resistentes

Na década de 70, a FDA (Food and Drug Administration) estabeleceu que todos os óculos fabricados nos Estados Unidos deviam ser resistentes à quebra e, por isso, os fabricantes substituíram as lentes de vidro pelas de plástico. Apesar da mudança ter garantido mais resistência às lentes, o plástico demonstrou ser um material que recebe arranhões com muita facilidade. Foi, então, graças às descobertas do Centro de Pesquisa AMES que a tecnologia de proteção das lentes foi disponibilizada.

Os ambientes siderais possuem partículas e pós que podem causar danos aos equipamentos aeroespaciais, incluindo a viseira do traje dos astronautas. Para garantir maior proteção desses apetrechos, a NASA desenvolveu um processo que usa um revestimento altamente resistente à abrasão, criado pelo Centro de Pesquisa, para proteger as superfícies de plástico. Contudo, a fabricante Foster Grant uniu a sua tecnologia com a da NASA e, por isso, hoje temos óculos de sol e de grau mais resistentes. Graças à pesquisa espacial, seus óculos não arranham por qualquer coisinha.

8. Termômetro auricular

O Laboratório de Propulsão a Jato da NASA desenvolveu uma tecnologia para as missões espaciais que incluíam o Satélite Astronômico Infravermelho, usado para medir a temperatura de planetas e estrelas a partir de sua radiação emitida. Em 1991, a Diatek Corporation fez bom uso da tecnologia e realizou o lançamento do termômetro auricular infravermelho, objeto utilizado para avaliar a temperatura sem a necessidade de contato direto com a pele humana. Dessa forma, outros termômetros usaram a mesma tecnologia e, atualmente, a medição da temperatura pode ser feita de forma instantânea e sem contato físico.

9. Pneus mais duradouros

Nos anos 70, as sondas Vikings foram enviadas para Marte com o objetivo de estudar o planeta vermelho. Os cientistas tinham conhecimento de que pelo menos uma das sondas, designada para explorar a superfície do ambiente marciano, precisava ser estritamente forte e resistente. Dessa forma, a NASA colaborou junto com a Goodyear e a Rubber Company, para desenvolver um material cinco vezes mais forte que o aço, oferecendo às sondas a sustentação adequada e necessária que elas precisavam para se deslocar no planeta.

Após a missão espacial, essa tecnologia foi utilizada na produção de pneus para veículos automotores, aumentando a qualidade de vida do produto e garantindo mais segurança para o condutor.

10. Máquina de exercícios

Durante as missões espaciais, os astronautas perdem massa óssea e muscular. Para se manterem em forma, evitarem doenças e até mesmo conseguirem se locomover sem ajuda após a missão, eles precisam se exercitar todos os dias. Em gravidade zero, as atividades físicas não devem conter pesos, já que eles flutuariam e não cumpririam a força correta para o desenvolvimento muscular.

Dessa forma, Paul Francis criou para a NASA uma máquina de exercícios composta por tecnologia de resistência, formada por molas e cabos. Atualmente, ela é facilmente encontrada em academias e também pode ser usada em domicílio. Quem diria que o aparelho que você usa para malhar é o mesmo da academia espacial, hein?

Quais produtos você já sabia que foram criados graças à NASA? Qual objeto te deixou mais chocado? Conte para a gente nos comentários.

Compartilhar este artigo