Uma criatura especial que trocou os dentes por uma língua

Animais
há 6 meses

Superpoderes? Pode acreditar, alguns animais têm! De línguas grudentas a mudança de cor, você está prestes a conhecer 13 bichos incríveis com algumas habilidades nada convencionais.

Se você tiver formigas na calça ou cupins em casa, vai querer morar pertinho do tamanduá-bandeira gigante: esse animal possui dois metros de comprimento, do focinho à ponta da cauda. Se ele ficasse em pé, seria maior que a maioria das pessoas. Ainda bem que só come insetos! Com uma dieta composta por formigas e cupins, engole cerca de 35 mil criaturinhas em um único dia! Para capturar sua refeição, o tamanduá é equipado com uma língua super comprida e estreita. Com cerca de 60 centímetros, ela é composta por pequenos espinhos e coberta por uma saliva pegajosa. Quando se depara com um formigueiro, o tamanduá usa as garras poderosas para cavar a terra. À medida que as formigas saem de lá, desesperadas, ele estica a língua — cerca de 150 vezes por minuto, e elas grudam nela. Glulp!

No entanto, o tamanduá-bandeira não possui dentes para morder ou mastigar, já que faz parte de um grupo de animais desdentados. Então, tritura a comida contra o céu da boca. Com uma língua dessas, comer pipoca no cinema seria muito mais interessante, não é mesmo?

Outro bicho com uma língua fenomenal é a tartaruga-aligator. Não, a língua dela não é comprida e grudenta, e sim pequena, cheia de sangue e mais parecida com uma minhoca rosada. Quando essa tartaruga fica com fome, permanece quietinha debaixo d’água. A única coisa que mexe é a língua. Aí, qualquer peixe que nada mais perto para olhar a “minhoca” de perto vira jantar! Essa tartaruga também é muito boa em prender o fôlego, consegue fica debaixo d’água por 50 minutos enquanto espera alguma presa chegar. A maioria dos humanos só é capaz de prender a respiração por no máximo dois minutos!

Sabe quem mais tem uma língua impressionante? O pinguim! A dele não possui nenhuma papila gustativa e é coberta por cerdas queratinizadas. Sim, queratina, aquela mesma substância presente em nossas unhas e cabelos. Esses “espinhos” ficam virados para a garganta e os peixes só conseguem se movimentar para uma direção: a barriga do pinguim.

Mas talvez a língua mais legal do reino animal pertença ao camaleão. Ao contrário do tamanduá, ele só consegue comer um inseto por vez. A língua dele termina em uma bola grudenta de músculo. O bicho a lança a para fora e, quando atinge a presa, o músculo muda de forma, se torna um copo sugador, ajudando a agarrar o inseto e puxá-lo para dentro da boca do camaleão. Se você já tiver tentado pegar um mosquito, sabe como é difícil. Essa criatura é ágil. Então, a língua do camaleão precisa ser ainda mais veloz! E é! Teoricamente, percorre mais de 2 mil e 400 metros por segundo. Não existe possibilidade de nenhum inseto ter tempo para escapar dela.

O camaleão possui mais um truque especial — ele consegue mudar de cor. Antes, acreditava-se que fazia isso para se esconder dos inimigos, se camuflando no ambiente para se tornar praticamente invisível. Mas esse não é o verdadeiro motivo por trás da habilidade. Por ser um animal de sangue frio, o camaleão não consegue regular a própria temperatura corporal, como nós. Então, fica com uma cor mais escura para absorver o calor do sol. E mais clara quando quer refletir o calor para refrescar o corpo. Também usa essa habilidade para se comunicar com outros indivíduos da espécie. Uma determinada cor pode sinalizar para um rival que é melhor manter distância. Outra, pode ser usada para atrair um parceiro. É como nossos emojis, só que na versão deles.

Quando o assunto é mudança de cor, o camaleão não é páreo para o choco. Parente da lula e do polvo, essa criatura marinha fofinha consegue mudar a cor e até a textura da pele. Isso significa que pode se parecer com praticamente qualquer coisa em seu ambiente, desde uma pedra no fundo do mar até um pedaço de vegetação flutuante. O choco é mesmo o campeão do esconde-esconde! Essa habilidade é muito útil para se proteger de golfinhos, tubarões ou focas que o enxergam como um delicioso lanchinho.

Agora, se tem um animal que confia na camuflagem 24 horas por dia é o bicho-pau. Como o próprio nome diz, ele parece um graveto com pernas. O tamanho varia de 3 a 30 centímetros de comprimento. E enquanto se esconde em uma árvore, parecendo ser apenas mais um galho minúsculo dela, pode comer o que quiser.

Por ser herbívoro, ele gosta muito de se alimentar de folhas. Cuidado para não pegar um por engano quando for brincar com o Rex!

Mas existem alguns animais que são o oposto. Ao longo do tempo, evoluíram para se destacar em meio a tudo, avisando os predadores de que são perigosos. Isso geralmente envolve cores vivas e formatos diferentes, e é chamado de apossematismo. Um exemplo disso é a borboleta-monarca. Quando você vê uma delas, é fácil se maravilhar com as lindas cores e formas geométricas de suas asas. Mas uma aparência tão chamativa assim certamente a torna um alvo fácil para predadores, certo? Na verdade, as cores vibrantes são um alerta de que comê-la pode ser uma má ideia. Por causa de sua alimentação na fase de larva, ela é muito venenosa. Qualquer animal que fizer dela um almoço vai passar tão mal que nunca mais vai querer passar perto desse inseto.

As faixas brancas e pretas do cangambá existem pelo mesmo motivo. Elas avisam outros animais de que, se ousarem tentar alguma coisa, terão uma desagradável surpresa.

O bicho possui duas glândulas no traseiro que ejetam um fluido fedorento, com cheiro de ovo podre. O animal consegue até mirar esse spray, tornando sua defesa ainda mais poderosa. E é capaz de seis jatos consecutivos! Depois, fica indefeso por 10 a 14 dias, que é o tempo das glândulas produzirem mais desse ótimo perfume, de essência de cangambá. Se você for atacado por um jato desses, é difícil eliminar o fedor, mesmo com um bom banho. Então, quando vir esse bicho fofinho e grisalho na mata, fique bem longe dele!

Assim como o cangambá, também há 30 mil motivos para manter distância do porco-espinho. Afinal, ele é coberto por um monte de penas afiadas. E por causa das quase 800 farpas que ficam na ponta de cada pena, elas são difíceis de remover caso entrem na sua pele. Ainda bem que uma coisa que dizem sobre os porcos-espinhos é falsa: eles não conseguem lançar essas penas no ar. É preciso encostar nelas para que se desprendam do corpo do animal.

Até os bichos que vivem debaixo d’água possuem mecanismos especiais de defesa. A enguia elétrica tem a capacidade de dar choque — você já deve saber disso, né? Ela possui órgãos que conseguem liberar uma poderosa descarga elétrica de até 800 volts, voltagem maior que a de uma tomada! E usa isso para acabar com animais pequenos e atordoar seus inimigos. Também pode criar pulsações elétricas para se comunicar, enviando uma espécie de código Morse para outras enguias.

O peixe-arqueiro usa o cuspe para capturar as presas. Mas quando se vê um deles, não se imagina que seja tão especial, pois se parece com qualquer outro peixe. Poxa... mas espera — ele tem um superpoder!

É uma animal que se alimenta de insetos, mas estes não vivem na água, e isso dificulta a alimentação do peixe-arqueiro. Então, como ele resolve esse impasse? Confiando no formato de sua boca e em sua ótima visão, cospe um jato poderoso de água. Isso derruba qualquer inseto distraído, que cai na água e é abocanhado pelo peixe. O fluxo de água é tão preciso que pode atingir um inseto que esteja até a um metro e meio de distância!

Uma criatura com uma habilidade semelhante, porém muito mais nojenta, é o lagarto-de-chifres. Ele enche a cavidade do olho de sangue. Aí, quando se sente ameaçado, esguicha um jato vermelho, que pode percorrer mais de um metro! Isso é suficiente para deixar qualquer inimigo assustado, dando tempo para o lagarto escapar. Ele também usa essa tática para tirar sujeira ou poeira que entrem em seu olho.

E por fim, o animal que você provavelmente jamais verá em sua vida, embora esteja presente em quase todo o planeta, é o tardígrado. Também conhecido como urso d’água, esse ser microscópico de oito patas já foi até para o espaço sideral — e sobreviveu! Ele é praticamente indestrutível e foi encontrado nas profundezas do mar e no deserto congelado da Antártida. Para resistir a condições climáticas tão extremas, retrai a cabeça e patas e se deixa desidratar. Com esse formato, é capaz de sobreviver a temperaturas tão baixas quanto menos 200 graus e tão altas quanto 150 graus.

Esses poderes são simplesmente maravilhosos. Bem, menos a parada do sangue sendo esguichado pelo olho. Que nojo!

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados