O que fazer se houver um fio amarrado na maçaneta do seu carro

há 7 meses

Você encontrou seu primeiro fio de cabelo branco e sente um ímpeto de arrancá-lo. Mas o alerta da sua avó lhe impede de fazer isso; segundo ela, se você o arranchar, 2 fios novos (e brancos!) crescerão no lugar. Esse é um dos mitos mais populares que existem e vem sendo reproduzido há anos.
Quando você arranca um fio de cabelo, o folículo continua lá, e produzirá um substituto em breve. Mas ele não tem o superpoder de se multiplicar, então você terá apenas um novo fio branco. O fio novo pode até sair mais escuro, já que ainda há chance de o folículo produzir mais pigmento desta vez. Mas, se arrancar o fio muitas vezes, você corre o risco de ele não nascer mais, gerando uma falha naquela parte do couro cabeludo.

Você tem medo de usar seu celular perto da bomba de gasolina e causar uma explosão? Bem, não há um caso sequer registrado sobre um celular ter emitido carga elétrica e causado uma tragédia. Todas as placas de “proibido celular” nos postos de gasolina são por precaução.
Materiais eletrônicos não são bem-vindos lá, pois podem causar eletricidade estática e ser fonte de perigo. Além disso, você deve estar 100% alerta sempre que estiver ao volante. Conversar ou trocar mensagens enquanto abastece o carro pode trazer consequências, como sair de lá com a bomba de gasolina conectada no carro.

Um vídeo viralizou e fez milhões de pessoas acreditarem que, se você vir um fio amarrado na maçaneta da porta do seu carro, é preciso chamar a polícia imediatamente. De acordo com o criador dessa mídia, sequestradores usam esse truque para distrair você e depois lhe perseguir. Na verdade, não há registros oficiais de sequestros que tenham acontecido dessa forma. Essa lenda urbana deve ter surgido a partir de uma postagem no Facebook, de 2015, que mencionava o truque do fio; isso foi desmentido pouco depois. Mas essa ideia continuou viva e reaparece de vez em quand

Mas é sempre bom se precaver e seguir algumas regras simples para manter sua segurança quando estiver dirigindo. Faça aulas de defesa pessoal, estacione em locais bem iluminados e sempre fique atento a coisas e pessoas suspeitas antes de entrar no carro. Outra coisa: lembre-se de que muitas lendas urbanas e mitos parecidos são criados só para chamar sua atenção e render curtidas e compartilhamentos para seus criadores.

Se você adoça seu café com açúcar mascavo achando que ele é mais saudável do que o branco — saiba que é pura ilusão! O açúcar mascavo contém alguns minerais, mas a quantidade é tão pequena, que nem faz diferença para sua saúde. E, pra completar, ele tem a mesma quantidade de calorias e o valor nutricional do açúcar branco. A única diferença está na cor, no sabor e no processo de fabricação. O açúcar mascavo não passa por muitos processamentos químicos. Então, se estiver tentando cortar calorias, atente-se à quantidade e não à cor do açúcar que você ingere.

Quando você pressiona o modo “soneca” de manhã, não vai dormir aqueles 10 minutos a mais. Adiar a hora de acordar traz uma sensação maravilhosa, mas isso só faz você se sentir mais cansado. Você já tem um ciclo biológico de sono que se ajusta de acordo com a sua rotina. Quando você acorda e adormece de novo logo em seguida, seu cérebro fica confuso, então será cada vez mais difícil acordar quando o despertador tocar pela segunda ou quinta vez. A longo prazo, o modo soneca pode acabar com a sua capacidade de ter um sono profundo e de qualidade.

Outro mito popular sobre o sono é que você engole 8 aranhas todas as noites sem saber. Relaxa — você não engole aranha nenhuma. Para elas, você é como um gigante, ou melhor, uma montanha na paisagem. Qualquer barulho que você produz enquanto dorme, como respiração ou batimentos cardíacos, são mega-assustadores pra elas. Então, esses animais fazem de tudo pra ficar longe de você!
Esse mito se tornou mundialmente conhecido após um artigo de revista mencionar que as pessoas acreditam em tudo o que veem na Internet. E o artigo estava certo, né?

Não é preciso esperar meia hora ou mais para nadar após o almoço. Esse mito existe há mais de um século e já foi uma regra de um livro dos escoteiros publicado em 1908. Lá dizia que nadar menos de 90 minutos depois de comer poderia causar sérias consequências. Isso fez muita gente acreditar que, pelo processo digestivo desviar o fluxo sanguíneo dos músculos para o estômago, nadar poderia prejudicar a digestão, causar cãibras e até afogamentos.
Na verdade, parte do sangue vai mesmo pro estômago, mas isso não afeta os braços ou as pernas. A comida pode ser até boa para sua natação, pois dará mais energia. E não se esqueça de tomar bastante água também para manter a hidratação.

Os diamantes são muito caros por ser raros, né? Mas parece que eles não são tão raros quanto imaginávamos. Rubis, esmeraldas e safiras são muito mais raros e muito mais caros do que diamantes. Cientistas até descobriram uma forma de criar diamantes artificiais! Então, o preço que as pessoas estão dispostas a pagar é resultado de uma campanha de marketing muito bem-sucedida feita há mais de um século.
A empresa que minerava e vendia diamantes espalhou mitos sobre essas pedras mundo afora. Eles convenceram todos do planeta de que os diamantes são tão raros, que o preço deles é justo. E, pra completar, eles fizeram com que essa pedra se tornasse símbolo do amor e do compromisso.

Os filmes nos fizeram acreditar que todos os dinossauros eram lagartos gigantes e perigosos, mas na verdade havia diversos tipos de dinos. Alguns eram do tamanho de um gato ou de um golden retriever. Parece que essas espécies menores eram mais numerosas do que seus parentes grandalhões. Além disso, alguns dinossauros, como o Tiranossauro Rex, tinham até penas, principalmente nos primeiros estágios de suas vidas.

Quanto mais você se aprofunda no oceano, mais escuro ele fica, até não haver luz nenhuma. As cores mudam do azul-esverdeado próximo da superfície para azuis mais intensos, depois para azul anil e, por fim, para a total escuridão. Bem, a luz solar penetra as águas profundas com pouca força, então, tecnicamente, abaixo de 975 metros não há luz.
Mas há outro tipo de luz lá embaixo: a bioluminescência azul e verde. Ela gera luz graças a uma enzima chamada luciferase, que quebra moléculas com alta quantidade de energia e produz fótons em bactérias e nos corpos de alguns peixes.

Os norte-americanos acreditam que os verões por lá são muito quentes pelo fato de o planeta estar mais perto do Sol, e os invernos são muito frios porque a Terra está mais afastada da nossa estrela. Mas isso não passa de outro mito. Quando é verão no Hemisfério Norte, o planeta não está mais perto do Sol. Pelo contrário — a Terra fica mais afastada do Sol durante o mês de julho e mais próxima dele em janeiro. O verão é quente porque o eixo do nosso planeta fica inclinado. Durante sua órbita, a inclinação da Terra permite que a energia vinda do Sol nos atinja mais diretamente, porque o ângulo fica mais íngreme.

O cinturão de asteroides não é tão perigoso quanto os grandes filmes nos fizeram acreditar. Se desse pra viajar através dele, não seria um voo entre um campo denso e caótico de pedras batendo umas nas outras. O cinturão de asteroides é uma região que fica entre 321 e 482 milhões de quilômetros do Sol. É um buraco muito isolado e solitário com muito espaço entre as rochas. Se pudéssemos juntar todos os asteroides desse cinturão, teríamos uma massa de 4% da nossa Lua. É por isso que os astronautas ficam empolgados quando veem um asteroide batendo em outro — não fosse isso, não haveria acontecimento algum no espaço!

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados