Existe uma maneira de os humanos entrarem em um buraco negro de forma segura

Curiosidades
há 6 meses

Estamos viajando a 1.000 anos-luz do nosso planeta para um sistema desconhecido. Aqui, há duas estrelas brilhantes orbitando, próximas uma da outra. Porém, aqui há uma coisa pequena, mas muito grande também: um buraco negro. Esses objetos são misteriosos e perigosos. São capazes de engolir nosso mundo inteiro em um segundo, sem que ninguém perceba. Ainda mais, eles podem destruir uma estrela enorme como o nosso Sol. E são esses gigantes que geralmente ficam no centro das galáxias. Eles são tão pesados que sua gravidade mantém inúmeras estrelas, planetas e poeira estelar ao seu redor. Também podem pesar milhões ou mesmo bilhões de vezes mais que o Sol.

E agora você está de volta ao solo, em uma plataforma de lançamento de foguetes na Terra. Tudo em que você pode pensar é prender a respiração e pular no coração daquela pérola negra. Mas você não precisa prender a respiração, porque estará em um traje espacial. E o oxigênio está incluído, gratuitamente. Além disso, é improvável que você chegue ao buraco negro. Uma viagem tão longa com a tecnologia que temos agora, levaria dezenas de milhares de anos. Então você volta para a garagem, onde escondeu seu hiperfoguete, que o levará ao buraco negro em segundos. Buuum! E você está ao lado de duas estrelas e um buraco negro.

A primeira coisa que você percebe é que os buracos negros não são negros. Sua força gravitacional atrai não apenas objetos, mas até a própria luz. Isso torna o buraco invisível. Tudo o que você pode ver é um anel brilhante ao redor dele que é chamado de horizonte de eventos. Consiste em luz torcida, poeira quente, plasma e pedaços de asteroides que também estão presos lá. Assim, o horizonte de eventos é o primeiro obstáculo a ser superado. Ok, você coloca sua mochila a jato, abre a porta do seu foguete e pula em direção ao buraco negro. A força da gravidade começa a puxá-lo rapidamente em direção a ele. O traje espacial o protege das altíssimas temperaturas e níveis de radiação no horizonte de eventos. Equipamentos de proteção convencionais dificilmente poderiam ajudar, então você agradece ao seu pai por esconder esse traje de proteção superpoderoso em sua garagem.

Você começa a sentir que seu corpo está desagradavelmente se esticando. O problema é que a gravidade aumenta a cada centímetro mais próximo do centro do buraco negro. E é muito mais forte na sua cabeça do que em seus pés. Seu corpo começa a se esticar como um espaguete. É por isso que se chama espaguetificação. Nenhum traje pode protegê-lo disso. E não há uma única nave espacial que possa suportar esse tipo de tensão. Bem, este foi um vídeo curto... Tudo bem, vamos voltar ao momento que antecede o salto. Você percebe que para chegar ao coração do buraco negro e sobreviver, não precisa de equipamentos melhorados, mas... de outro buraco negro. E o que importa é o tamanho e o peso. Teoricamente, você pode sobreviver caindo em um buraco negro supermassivo.

Tudo depende da largura do horizonte de eventos do buraco negro. Quando um buraco é pequeno, com o peso do nosso Sol, o horizonte de eventos também é pequeno. E então sua borda fica próxima ao centro da força gravitacional anormal, o que faria você espaguetificar, rápida e brutalmente. Mas se o horizonte de eventos for amplo, estará mais longe do centro da força gravitacional. Por isso a diferença de gravidade pressionando sua cabeça e pés será inexistente. Se você tiver ar suficiente em seu traje espacial, poderá sobreviver a essa jornada. Então você deve escolher um buraco negro supermassivo. Vamos ver. Um, no centro da Via Láctea? Não, há muito plasma quente e detritos ao redor. Você precisa de um buraco negro completamente isolado para um salto como este, em algum lugar no espaço escuro, para que ele não tenha tido tempo de reunir os destroços dos mundos vizinhos ao seu redor. Você rapidamente abre seu mapa espacial e encontra um buraco negro. Uma viagem mais rápida que a luz — e você chegou.

Aí está! Uma enorme escuridão vazia. Há apenas luz distorcida de estrelas e galáxias distantes em seu horizonte de eventos. Para testar sua teoria, você joga um manequim. Ele se aproxima do buraco negro e depois desacelera até parar. Mas é apenas uma ilusão. O buraco negro é tão pesado que pode distorcer o espaço e o tempo. Assim, para o observador, o manequim está congelado no horizonte de eventos. Mas, há muito tempo entrou em seu coração. O boneco não ficou espaguetificado como aconteceu com você quando caiu em um pequeno buraco negro. Então agora você está pulando, confiante, logo depois dele.

Lembre-se de que, mesmo que você se sinta bem, ainda é uma viagem só de ida. Uma vez no campo de atração do buraco negro, nada pode escapar do seu abraço. Não importa quão poderoso seja um foguete ou quão forte você bata seus braços. Você está agora na borda do disco de acreção. Cada segundo aqui equivale a semanas ou meses na Terra. Você está viajando no tempo. Nosso planeta natal já pode ter carros voadores e arranha-céus com vários quilômetros de altura por todo o lugar. Mas para você, são apenas alguns minutos. Uau! Toda a luz que você vê das estrelas ficou vermelha. Isso também é por causa da gravidade. A luz que vemos são ondas. Mas o buraco negro as estica. Os comprimentos de onda curtos do azul tornam-se longos e vermelhos.

Ótimo, você passou do horizonte de eventos e agora está indo em direção à escuridão. Você olha para cima e vê um fino raio de luz. A última coisa que enxerga, na verdade. Depois disso, há apenas um vazio preto. Ninguém sabe o que acontece a seguir. Algumas teorias dizem que os buracos negros podem ser portais para outra dimensão, ou para outro lugar do universo. Ao pular em um buraco negro em nossa galáxia, você pode saltar centenas de milhares de anos-luz de distância de nossa casa. Nesse caso, você experimentará uma queda ao contrário. Primeiro, vê um pequeno, mas em expansão, feixe de luz. Em seguida, a luz vermelha das estrelas retorna ao azul e, antes que possa perceber, você está de volta ao horizonte de eventos. E logo depois, você está livre da atração do buraco negro. Porém, os cientistas ainda não podem confirmar essa teoria.

Sim, isso é muito sombrio, então desta vez, vamos trazê-lo de volta à Terra na companhia de seus amigos. Eles o parabenizam por sua conquista de sobreviver no centro de um buraco negro. Agora você é o coração da empresa e nenhum buraco negro pode assustá-lo. Mas mesmo o maior buraco negro do espaço não é tão assustador quanto você imagina. Eles têm uma vida útil. A radiação que mencionei tira energia do buraco negro. Se não tiver alimento ao redor, o buraco começa a esvaziar como um balão. E, eventualmente, não sobra nada. Outro medo em torno dos buracos negros é que podemos criar um em casa. De fato, dentro do Grande Colisor de Hádrons, os cientistas realizam experimentos com pequenas partículas colidindo em alta velocidade. Há enormes explosões de energia. E alguns cientistas acreditam que essa energia é suficiente para criar um buraco negro microscópico.

Ele começará a absorver os arredores e crescer. Primeiro alguns pequenos objetos na sala onde foi criado. Depois, todo o laboratório. O buraco continua crescendo e já está consumindo todo o nosso planeta. Ele altera o equilíbrio de poder em nosso Sistema Solar e absorve os planetas um por um. Quando isso terminar, é hora da sobremesa: o Sol. As camadas superiores leves de plasma são esticadas em longos espaguetes e puxadas em direção ao buraco negro. Então, camada por camada, nossa estrela desaba no abismo escuro. Quando o Sol está parcialmente absorvido, o buraco negro dispara um feixe de energia e luz para fora e continua a consumir o Sol.

Bastam alguns momentos, não resta mais nada do nosso Sistema Solar. É assim que algumas pessoas descrevem o fim do mundo. Mas mesmo que consigamos criar um buraco negro microscópico, estaremos seguros. Será muito pequeno para absorver objetos grandes e se alimentará apenas de pequenas partículas atômicas. Os buracos negros emitem energia e a consomem, então nosso pequeno não terá tempo de crescer. Ele perderá mais do que encontra em uma fração de segundo. Então, o que você verá é um flash momentâneo — e, depois, nada. No entanto, criar um buraco negro estável e controlado possa até ser útil. Eles emitem enormes quantidades de energia que podemos usar. Um buraco negro com uma massa igual ao Monte Everest poderia alimentar toda a humanidade. Claro, os buracos negros ainda são perigosos, mas podemos observá-los e estudar nosso universo. Se ficarmos longe o suficiente, é claro. Então, você decide colocar um cadeado na porta da garagem. Por enquanto.

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados