7 Estratégias para encontrar a harmonia na hora de dividir a cama com seu parceiro

Relacionamento
há 11 meses

Dormir com outra pessoa não apenas garante sensações de intimidade, segurança e proximidade, como traz consideráveis benefícios à saúde, entre eles a redução nos níveis de cortisol e a diminuição de inflamações. De maneira geral, é algo muito positivo.

Entretanto, algumas pessoas parecem ser incompatíveis quando o assunto é o sono. Ciclos de sono opostos, roncos e “roubos” do cobertor estão entre os obstáculos capazes de atrapalhar a redução do cortisol. Mas calma, não precisa de desesperar — existem determinadas estratégias para que a hora de dormir seja pacífica para ambas as partes.

Nós, que fazemos o Incrível.club, sofremos ao saber que casais terminam a relação por questões menores. Assim, listamos uma série de problemas que costumam afetar a vida a dois na hora de dormir. Confira e saiba como evitá-los.

1. Guerra do cobertor

Há quem simplesmente não goste de dividir o cobertor. Afinal de contas, a situação tende a se complicar quando você vai dormir com um compartilhado na proporção 50/50, mas acorda sentindo um frio congelante e se vê tremendo em um canto da cama. Então, você percebe que não sobrou nenhum pedaço disponível das cobertas! E é inútil tentar puxá-las de volta, já que a monopolização tem tudo para acontecer de novo. Apesar da natureza cômica dessa polêmica, a verdade é que ela afeta o relacionamento e ainda causa um impacto negativo na qualidade do sono.

  • Solução: investir em cobertores separados resolve o problema! Dessa maneira, os dois terão suas próprias cobertas, sem que seja preciso “roubar” do outro. Pergunte ao seu parceiro se ele se sente confortável à noite — caso sinta muito frio, talvez seja essa a razão por trás do “roubo” do cobertor.

2. Roncos

Imagine-se pegando no sono, sentindo-se quentinho e confortável em sua cama, quando, de repente, ouve a buzina de uma locomotiva tocando bem ao lado da sua orelha. Não, não estamos falando de um alarme de emergência, e sim da pessoa amada fazendo barulho ao tentar respirar enquanto dorme.

Quando ocorre esporadicamente, o ronco não tende a ser um grande problema, porém, na pior das hipóteses, ele pode ser sintoma de uma condição mais séria. E é algo que compromete a paz na hora de dormir, para ambas as partes. Sabemos que quem ronca tem grandes chances de acordar no dia seguinte com dores de cabeça, cansaço e outros sinais da privação de sono.

  • Solução a curto prazo: mude a posição de dormir, já que o ronco acontece com mais frequência quando dormimos de barriga para cima. Manter a cabeça elevada também pode ajudar. Se quem ronca é o seu parceiro, experimente ir dormir antes dele, apostando também em tampões de ouvido. Se necessário, mantenha alguma distância entre vocês.
  • Solução a longo prazo: mudanças no estilo de vida, como perder peso, estabelecer uma rotina de sono e evitar álcool, cigarro e determinados medicamentos podem ser úteis. Entretanto, se o ronco persistir, é melhor procurar um médico.

3. Discordâncias quanto à temperatura

A temperatura considerada pela maioria das pessoas como a ideal para dormir é entre 18°C e 22°C, mas em certos casos, pode variar um pouco. Pode acontecer de você descobrir que as “configurações para dormir” tidas pelo seu parceiro como perfeitas diferem das suas. E bem sabemos que, com uma temperatura desconfortável no ambiente, demoramos mais para pegar no sono. Além disso, fica mais difícil entrar no estágio de sono profundo, afetando a capacidade de permanecer dormindo por toda a noite.

  • Solução: invista em roupas de cama separadas que atendam melhor às necessidades de cada um. Dormir fica bem complicado quando se está com calor, então a pessoa que gosta de ficar mais aquecida tem maiores possibilidades de ceder. Caso a temperatura ideal para o seu companheiro seja mais baixa da que você gosta, use cobertores e pijamas mais quentes.

4. Acordar no meio da noite

Acordar do nada no meio da noite não é incomum. Pode ser uma manifestação da insônia, ou consequência do estresse diário, do uso de aparelhos eletrônicos, de um ambiente não propício para o sono, ou ainda da falta de uma rotina saudável. Quando a pessoa acorda e não consegue voltar a dormir após 15 ou 20 minutos, não adianta continuar ali, deitada. E se isso acontecer com frequência, é fundamental ter consideração com o parceiro.

  • Solução a curto prazo: saia da cama, vá para outro cômodo e faça alguma atividade calmante até se sentir sonolento de novo. Mas não faça nada enquanto estiver na cama, ao lado da outra pessoa. Volte ao quarto apenas quando estiver pronto para adormecer.
  • Solução a longo prazo: melhore as condições para um bom sono. Mantenha o quarto escuro, silencioso e arejado. Evite olhar para telas quando estiver se preparando para ir à cama. Não consuma cafeína antes de dormir. Indicamos ainda a adoção de uma rotina relaxante à noite e dormir todos os dias no mesmo horário.

5. Suores noturnos

Vocês se deitam em uma cama limpa e arrumada, e tudo parece perfeito. Porém, à medida que as horas passam e os dois corpos esquentam o ambiente, boa parte das pessoas tende a começar a suar. Transpiração noturna tem o potencial de virar um problema. Suores noturnos podem rapidamente se transformar em incômodo quando um dos integrantes do casal faz questão de usar cobertor, ou de abraçar enquanto dorme. Como bem sabemos, agarrar ou mesmo apenas deitar perto de alguém suado não é exatamente prazeroso.

  • Solução: a forma como quartos e camas são projetados costuma estar entre as principais razões para o calor e transpiração noturnos. Vale a pena comprar um colchão com propriedades refrescantes e usar roupas e lençóis respiráveis. Porém, devemos considerar a possibilidade de o calor à noite ser resultado de alguma condição no organismo. Nesse caso, recomendamos uma consulta médica para sanar todas as dúvidas.

6. Incompatibilidade nos ciclos de sono

Estamos falando daquilo que é conhecido como a guerra entre o “galo madrugador” e a “coruja noturna”. Sabemos que todos nós temos nosso próprio “cronótipo”, que rege o relógio interno envolvendo o sono em cada indivíduo. É algo que costuma mudar à medida que envelhecemos: enquanto adultos jovens costumam ter energia à noite, os mais velhos tendem a se tornar pessoas matinais.

Ainda que tenha percebido que você e seu parceiro têm ritmos circadianos opostos, é fundamental manter sua própria rotina de sono, vivendo de acordo com seu cronótipo. Pessoas noturnas que tentam ir para a cama cedo demais podem acabar sofrendo com insônia, pois a pressão para pegar no sono quando o organismo ainda não está pronto tende a provocar ansiedade e frustração.

  • Solução: não há problema algum em cada integrante do casal ir deitar em um horário. Além disso, a iluminação no quarto consegue alterar a rotina de sono. Quando está escuro, o corpo começa a produzir melatonina, o chamado “hormônio do sono”. O processo é interrompido quando está claro, pois a luz indica que é hora de acordar. Portanto, a exposição à luz intensa pela manhã e a baixa exposição à luz à noite podem ajudar as “corujas noturnas” a adequar um pouco a rotina de descanso.

7. Criança na cama

Se dividir a cama com um parceiro já é uma façanha, adicionar um filho tem potencial de comprometer totalmente o ritmo de sono do casal. Os pais costumam acordar várias vezes quando, por exemplo, a criança se mexe, ou simplesmente por ela ocupar um espaço valioso. Até o casamento pode sofrer com disso, especialmente quando uma das partes se vê obrigada a dormir em outro lugar para ceder espaço. Muitos casais se veem presos em situações como essa.

  • Solução: esta é uma daquelas situações em que precisamos ser rígidos para levar a criança de volta à própria cama. É fundamental que os pequenos entendam que precisam dormir sozinhos, até porque existe a chance de o hábito de dormir com os pais deixar consequências cognitivas e comportamentais a longo prazo. Isso sem falar que pode arruinar completamente a qualidade do sono dos pais. E quanto mais o tempo passa, mais difícil fica para a criança abdicar desse costume.

Você costuma ter problemas para dormir? Seu parceiro ou alguém da sua família sente-se afetado por isso? Como lida com a situação? Comente!

Observação: Este artigo foi atualizado em Março de 2022 para corrigir o material de origem e/ou imprecisões factuais.

Comentários

Receber notificações

eu nao consigo dividir coberta, é uma coisa que tem que ser só minha por dois bons motivos, eu nao gosto que fiquem arrancando ela de mim, principalmente no frio e eu sinto mais calor entao as vezes ele tá com coberta e eu com lencol

-
-
Resposta

eu estou quase sempre com calor e meu marido com um frio absurdo, na verdade eu acho que ele tem problemas de temperatura e sempre chamo ele de lagarto pq no calor de 30 graus ele dorme de cobertor

-
-
Resposta

meu marido gosta de ficar com uma coberta so pra ele, mas eu sinto falta de estarmos juntos, só que ele sempre diz que eu puxo e ele fica sem se a gente dividdor

-
-
Resposta

eu durmo 3 hs da manha porque gosto de jogar de madrugada, mas a minha namorada dorme cedo, eu coloco ela pra dormir e volto pra jogar, ela só diz que eu jogo o braço nela as vezes mas nao me lembro kkk

-
-
Resposta

MINHA MULHER DIZ QUE EU RONCO MAIS EU NUNCA OUSO SO OUSO ELA RONCANDO E TIRANDO A MINHA COBERTA AI EU VOU PEGAR OUTRA SENAO ELA BRIGA

-
-
Resposta

Artigos relacionados