18 Pessoas que precisam de um remédio para tratar o “pão-durismo” patológico

Gente
há 3 meses

Na infância, era considerado falta de educação ser mesquinho, mas na idade adulta, muitas pessoas justificam avareza dizendo que são econômicas ou simples. Claro que não há nada de mal em economizar e não sair gastando dinheiro à toa, mas algumas pessoas ultrapassam todos os limites.

  • No meu aniversário meu marido decidiu me dar um dia de princesa. Em um café. Foi muito modesto. Fiz meu cabelo e convidei alguns amigos próximos. Eles me trouxeram flores e dinheiro, pois eu queria colocar uma aparelho ortodôntico e estava economizando para isso. Eles me deram cerca de 300 dólares. Meu marido acabou ficando com o envelope com o dinheiro. E ficou com toda a grana. Quando pedi que ele me devolvesse, meu marido disse que eu não precisava do aparelho, que eu já era bonita e que ele usaria para pagar meu dia de spa: um café (US$ 60 a US$ 80) e um penteado no salão (US$ 10). No final, acabei nunca usando aparelho. © LunaBrawa / Pikabu
  • Compramos um apartamento. Estava todo quebrado, mas o preço foi baixo. Começamos a reformá-lo. Colocamos janelas maiores, tiramos todos os revestimentos do banheiro, do lavabo e da cozinha, chamamos um eletricista para cuidar da fiação elétrica. Em dois meses, quando o antigo proprietário do apartamento veio buscar o restante das coisas, três cômodos já estavam reformados e bonitos. Ele olhou e disse: “Vocês deveriam me pagar mais pelo fato de tudo no apartamento estar tão bonito. Se eu soubesse que isso era possível, não o teria vendido tão barato, então me pague mais”. Naquela noite, rimos até o estômago doer, e rimos ainda mais quando descobrimos que ele iria nos processar. Mas não chegou a esse ponto. Acho que o convencemos a não fazer isso. © Chamber 6 / VK
  • Certa vez, terminei meu namoro com um rapaz, entre outras coisas, por causa de sua avareza patológica. E ele não queria terminar de jeito nenhum. Veio até mim com três rosas em um jornal e me convidou para ir a um restaurante. Pensei: “Bem, o homem está se ajeitando, vou lhe dar uma chance”. Estávamos sentados em um café, ele acendeu uma vela na mesa com seu isqueiro. O garçom avisou que a vela era paga. O cara acenou com a cabeça. Sentamos e tivemos uma conversa franca, fiquei com pena dele, pensei que talvez estivesse implicando com ele, pois estava tão preocupado. Saímos da cafeteria. Ele, esfregando as mãos e rindo, disse: “Não pagamos pela vela!” © Oksana Shutkova / ADME
  • Eu tinha um namorado na universidade. Ele morava em um apartamento alugado e eu em um dormitório. Não tínhamos muito dinheiro. Compramos um Snickers grande para tomar com chá, queríamos cortá-lo em fatias e comê-lo. Então, o cara trouxe uma régua, cortou exatamente a metade e me deu. © Masha Morozova / ADME
  • Minha família está mais do que bem de vida, mas meu pai é uma das pessoas mais mesquinhas que conheço. Em um inverno, ele desligou o aquecedor de água para economizar dinheiro. Por cerca de dois meses, toda a família (exceto ele) tomou banhos gelados, pensando que outra pessoa havia usado toda a água quente já que não tinha tempo de esquentar. Quando descobrimos e perguntamos ao meu pai, ele simplesmente “deu com os ombros ombros”. © cowjk / Reddit
  • Era meu aniversário de 30 anos. Eu estava esperando um presente especial do meu marido — afinal, era um evento canônico. Estávamos sentados e meus parentes começaram a me dar dinheiro e perfumes. Então, meu marido se levanta e corre para dentro de casa. Alguns minutos depois, ele volta com um envelope. Eu o abro e, em uma folha de papel branca, com a letra dele disse: “Uma viagem à Itália para minha amada esposa!” Ele disse que havia comprado o pacote, mas não tinha sido fechado há tempo. Bem, todos ficaram surpresos, parabenizaram-no e disseram que ele era um homem de verdade. Eu também fiquei feliz: há muito tempo sonhava em viajar para a Itália. Quando os convidados foram embora, procurei meu marido para saber quando era a viagem — eu precisava tirar o visto. E aqui começa o mais interessante. Acontece que não havia voucher, pois ele não sabia qual resort eu queria. Então, fui procurar na Internet. Mas, no final, tudo estava custando uma fortuna para ele! Acontece que ele estava apenas se amostrando na frente da família e não tinha dinheiro. E piorou, ele me disse coisas terríveis como: “Afinal, para que você precisa da Itália? E o que você fez em sua vida, exceto dar à luz três filhos e cuidar de uma casa? “Você não merece fazer uma viagem como essa! Você é muito gananciosa!” (e isso no dia do meu aniversário). Tivemos uma grande briga! No entanto, devo agradecer à mãe dele, que percebeu o quanto o filho estava errado e me comprou uma pacote, mas para a Grécia. Não consigo descrever quanta raiva senti do meu marido cheira. © DobrayaVredina / Pikabu
  • Meu marido ganha muito bem e moramos em um apartamento de mais de 100 metros quadrados. O salário alto dele faz com que eu tenha uma vida melhor? Ha ha ha! Ele é um pão-duro patológico. Sempre me acusa de ser gastadora, sempre dizendo: “Você não consegue encontrar um lugar mais barato?” Faxineira? Ora, isso é caro! Comprar roupas que não estão em promoção? “O que, olha quanto custa!” Mas ele tem problema em gastar consigo mesmo. Ele come pelo carne boa várias na semana, e quando vou ao supermercado comprar a mesma carne estou gastando dinheiro demais! Na opinião dele, os sapatos para uma criança não deveriam custar mais do que 10 dólares. E o fato de que produtos com esses preços simplesmente não existam o incomoda. Quando nosso filho nasceu, o meu marido ficou arrasado com o preço de coisas para crianças! Ele enchia meu saco todos os dias. Um jardim particular? Caro! Uma babá? Caro! Manicure? Pra quê? Enfim... © #goodmotherhood / VK
  • Os pais do meu marido não nos deram nada de presente de casamento, mas, depois do casamento, recebi duas caixas de “tesouros”: pratos velhos, arranhados, usados e sem combinar, uma forma de assar “quase nova” (“Apenas a borda está descascada e um pouco queimada — lave-a”), algumas tigelas de cerâmica horríveis e outras de ferro arranhadas. E toda a família foi informada que encheram nossas cozinhas de coisas novas. O resultado: a maioria dos “tesouros” foi jogada discretamente no lixo. E nós mesmos compramos pratos e talheres. Acho que agora minha sogra entende que é melhor dar algo baratinho, mas novo do que coisas velhas. © DamaVpanamke / Pikabu
  • Meu irmão me chamou no centro da cidade para almoçarmos em comemoração ao meu aniversário. Fomos a uma lanchonete de fast food, ele comprou um burrito de 5 dólares e se ofereceu para dividi-lo ao meio porque era grande. Obrigado, irmão, pelo burrito de aniversário de 2,50! © deathmastersnitch / Reddit
  • Meu sogro é médico, um homem muito rico. Um dia, eu o vi enchendo um pote de ketchup vazio com água. Achei que ele queria lavá-lo antes de reusar o recipiente, mas meu sogro disse: “Ainda sobrou um pouco. É uma pena jogá-lo fora”. Acontece que ele sempre dilui as últimas gotas de ketchup para poder usá-lo. Eu não entendo. As pessoas usam ketchup para deixar a comida mais saborosa. Caso contrário, para que serve? © Lucas Gavin Hawking / Quora
  • Certa vez, quando eu era criança, meu avô veio nos visitar. Ele pegava uma toalha de papel, usava-a, depois a lavava com água e sabão e a pendurava para secar na gaveta. Juro, uma toalha de papel ele usou 5 vezes! © BowmanTheShowman / Reddit
  • Quando eu tinha cerca de 18 anos, namorei um rapaz alguns anos mais velho do que eu. Nós dois éramos estudantes. Meus pais nos deram dinheiro, mas eu ainda trabalhava meio período em dois lugares. Usamos o dinheiro para alugar um apartamento para morar juntos. Um dia, tive uma intoxicação terrível: febre, fraqueza, vômitos a cada 15 minutos. Liguei para o meu namorado e pedi que ele comprasse algo para o meu estômago, e ele disse: “Você está louca? Não vou gastar 5 dólares com isso!” Quando o cara chegou em casa, eu estava deitada no vaso sanitário, quase sem vida. Ele me viu e disse: “Oh, você não fez o jantar?” Ele ligou para a mãe dele e foi comer na casa dela. Liguei para minha amiga juntando minhas forças. Ela veio correndo e cuidou de mim por dois dias. No entanto, não acabei com ele. E então ele teve uma intoxicação semelhante. Eu, sabendo como é ruim, comprei remédios, deixei água, coloquei em uma bacia e fui trabalhar. Voltei à noite e a mãe dele estava correndo pela casa. E na porta da casa me disse: “Meu filho está morrendo e você quer deixá-lo?”. Enfim, nosso relacionamento não deu certo. © marisol90 / Pikabu
  • Uma amiga veio me visitar com o namorado, e eles trouxeram um pedaço de queijo. Era lindo, com uma padronagem e pontos em relevo na borda. Cortei o queijo em fatias, preparei outros petiscos e as bebidas. O rapaz estava nervoso por algum motivo e não parava de olhar o relógio. Quando terminaram os drinques, ele disse que estava na hora de ir embora. Quando estavam indo embora: comecei a limpar a mesa, tirei o resto do queijo também. O rosto do rapaz mudou: “Ainda tem muito queijo”. Eu o tranquilizei, dizendo que eu definitivamente guardaria o queijo para comer depois, que não seria desperdiçado. Eles foram embora, e então minha amiga me ligou e contou como o cara ficou indignado por eu ter usado o queijo dele até o fim, porque eles poderiam ter usado para ir para a casa de outra pessoa com ele. © Tatiana Lobanova / ADME
  • Eu estou com meu marido há 45 anos. Ele escondeu dinheiro a vida toda e, já idoso, piorou. Um dia, cheguei em casa do trabalho e ele havia preparado o almoço. Eu disse: “Você é tão bom! Obrigada!”, e meu marido respondeu: “Não, nada de obrigada, coloque 5 dólares na mesa!” Joguei o dinheiro na mesa e saí da cozinha. Voltei e o dinheiro não estava na mesa. Por que eu aguentei tudo isso? No início, eu o adorava, depois tinha pena, depois pensava: “Para onde posso ir com meus filhos?” Foi assim que vivi minha vida. © olga dyachenko / Dzen
  • Um rapaz do nosso dormitório recebia regularmente pacotes enormes dos parentes com comida caseira, mas nunca os compartilhava. Em nossas festas, ele sempre tentava comer de graça. Decidimos lhe dar uma lição: fomos ao correio e lhe enviamos um pacote em uma caixa grande (tiramos a caixa dele). O garoto morava no 5º andar do dormitório, não havia elevador. Ele carregou aquela caixa com tanto desejo! Quando abriu a caixa, viu dentro dela uma pilha de cascalho e um bilhete com o texto “Carregue esse peso pela sua saúde!”. © Astak86 / Pikabu
  • O diretor que trabalhei junto no início da minha carreira era tão pão-duro que não consigo contar nem se fizesse um conto de fadas. Para exemplificar, ele encomendou um ônibus funerário para um evento corporativo. Com coroas de flores e tudo. Aparentemente, ele queria parecer generoso, mas na verdade não queria gastar dinheiro. © ***TheSilence / Pikabu
  • Meu marido e eu nos casamos e cada um já tinha seu próprio apartamento. Decidimos morar na minha casa e alugar o apartamento dele e investir parcialmente o dinheiro no nosso orçamento conjunto. No início, ele dava metade do aluguel para mim, e eu gastava o dinheiro com coisas da casa, contas e mantimentos. Depois, meu marido reduziu bastante sua contribuição e começou a pagar apenas metade das contas. Se fôssemos ao mercado comprar produtos necessários, um de nós pagava e o outro devolvia a metade do que compramos. Mas meu marido começou a olhar com mais cuidado os recibos e se recusou a pagar por coisas que comprava para mim mesma, por exemplo, absorventes ou queijo cottage, que ele não come. Depois, ele parou de investir no apartamento. Por exemplo, precisávamos trocar o vaso sanitário, e meu marido disse: “Você mesma que pague por isso, o apartamento é seu!” E isso apesar do fato de ele mesmo ter quebrado o vaso sanitário! Depois, fizemos alguns reparos, mas ele decidiu não pagar nenhum um centavo, porque o imóvel não era dele. E o fato de ele morar aqui, dormir nos meus móveis, comer nos meus pratos, desperdiçar minha água e pisar no meu carpete não conta? Acabamos nos divorciamos. © Overheard / VK
  • Estava namorando um rapaz que vinha passar o final de semana na minha casa e, percebi que tudo seguia um padrão: na sexta-feira, ele vinha jantar e ficava o fim de semana inteiro. E, depois de um tempo, eu me perguntei por que só eu arcava com todos os custos do namoro: eu que fazia compras para os dois. O cara ficou muito surpreso com minha insatisfação, pois achava que investíamos igualmente: ele também tinhas gastos — com o deslocamento! Eu disse que, se ele considera esse acordo justo, estava disposta a pagar os custos de transporte para ir ficar com ele em um fim de semana de férias com “tudo incluso”. Ainda saí como errada na situação. © Sandra / ADME

Pessoas avarentas se consideram simplesmente econômicas. E está tudo bem quando eles gastam para si mesmos, mas muitas vezes essa mesquinhez afeta as pessoas mais próximas a eles. Bem, tolerar ou não tal atitude é uma questão pessoal de todos.

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados