Incrível
Incrível

15 Peculiaridades do estilo de vida dos neerlandeses que podem causar estranheza em algumas pessoas

Muitas pessoas costumam associar os Países Baixos apenas a flores, moinhos de vento e canais. Porém, o país é certamente muito mais do que isso. Você sabia que o termo “Países Baixos” vem do fato de um quarto do território estar abaixo do nível do mar? Talvez tenha sido a luta secular contra os elementos da natureza que tornou os habitantes desse país um povo tão prático, resistente e livre.

Nós, do Incrível.club, decidimos ir mais a fundo do que os estereótipos e descobrir mais sobre os hábitos e o estilo de vida dos neerlandeses — sim, essa é a expressão relativa aos moradores dos Países Baixos. E para ajudar, recolhemos vários relatos de pessoas que já moraram lá ou passaram um bom tempo na região. No bônus, explicaremos ainda a diferença entre Holanda e Países Baixos, além de mostrarmos algumas fotos hipnotizantes. Confira!

1. Para os locais, economizar dinheiro é um sinal de boas maneiras

Os neerlandeses têm todo um sistema de descontos, promoções e dicas para economizar em todas as esferas da vida. Os gastos familiares são rigidamente controlados. E isso vale até mesmo em relacionamentos. É claro que alguns “mimos” são esperados, mas eles são puramente simbólicos como cartões postais e lembrancinhas. “À medida que as relações se desenvolvem, entra em vigor a notória prudência europeia”, dizem.

Uma internauta morou nos Países Baixos por três anos e meio e contou sobre a sua experiência: “Aprendi a tomar banho e não ficar mais de 10 minutos embaixo do chuveiro. E também a lavar os pratos em uma bacia ou até mesmo na pia, mas não enxaguar o sabão, e sim usar uma toalha porque isso economizava água. Descobri, a propósito, que lavar as coisas à noite era mais barato. Assim como comprar produtos de acordo com as promoções e também possuir cartões de desconto para transporte, museus e cinemas. E você não vai acreditar no que percebi quando passei a ir à casa dos meus amigos. Alguns não davam descarga quando apenas urinavam, mas usavam a privada o máximo de vezes possível antes de dar descarga.”

Economizar é uma paixão nacional, não importa a situação: “Fiquei surpresa quando o supermercado estava lotado e o caixa nos persuadiu a pegar uma outra caixa de uvas porque era grátis naquele dia. E a fila inteira esperou pacientemente enquanto meu marido corria para o outro lado do supermercado para pegar a segunda caixa”.

Um outro internauta compartilhou uma história sobre as consequências de não se economizar: “Um amigo se mudou para cá há uns dois anos. Ajudei-o a alugar um apartamento, a encontrar um emprego temporário e dei dicas de como economizar (não desperdiçar água ou gastar muita energia). Aparentemente, ele não entendeu meu conselho. Como resultado, a conta de energia dele foi de 600 euros e ele ainda recebeu três multas de 300 euros por infrações no trânsito. Ele acabou voltando para a Rússia e me disse no Skype: ’Os europeus são malucos, não vou lavar os pratos em uma bacia’”.

2. Para alguns estrangeiros, pode até parecer que os neerlandeses são sovinas, mas eles acreditam que estão apenas economizando

Ir para todo canto de bicicleta, levar uma marmita de casa e não jogar um alimento vencido no lixo a não ser que realmente esteja estragado...esses são alguns exemplos de comportamento dos moradores locais que deixam alguns turistas surpresos.

  • Fiz intercâmbio na Holanda. Um dia, estava com uma amiga e ela perguntou se eu queria sorvete. Disse que sim, estávamos em um grupo de seis pessoas e comemos um potão de sorvete. No dia seguinte, ela veio até mim e disse: “Lina, você ainda não me pagou os 40 centavos pelo sorvete. O pote foi 2,40 euros”. Pensei que era presente, mas aparentemente entendi errado. Dei-lhe os 40 centavos e aprendi uma lição: nunca espere nada de graça por lá.
  • Uma amiga minha não tinha 60 centavos, então pediu emprestado a uma colega. Ela nunca tinha pedido nada a essa amiga antes. Três dias depois, após o final de semana, quando ela abriu o e-mail, tinha duas mensagens dessa garota lembrando-a de pagar o dinheiro de volta.
  • Estávamos em um grupo de quatro amigos tomando um café à beira-mar e prestes a pagar para ir embora. Um amigo holandês, então, se ofereceu para pagar tudo e disse que depois poderíamos transferir o dinheiro para sua conta bancária. Achei aquilo uma besteira porque o meu expresso custava apenas 1,2 euro. Aceitamos, ele pagou e uma hora depois me esqueci completamente. No dia seguinte, ele criou um grupo no WhatsApp pedindo que cada um enviasse 1,2 euro pelo expresso. © Arber Bozgo / Quora

3. A família é muito valorizada por lá

Ter duas ou três crianças na família é comum. A mãe e o pai tratam todos de forma igualitária e os domingos geralmente são o dia para se fazer alguma atividade física juntos: correr, nadar, surfar, andar de barco. Uma das coisas mais valorizadas pelos neerlandeses é o jantar. E eles têm um entendimento muito próprio desse momento — o gezin, que basicamente engloba apenas as pessoas com as quais você mora, ou seja, na maioria das vezes, mãe, pai e filhos. Então, o jantar é apenas para o gezin. E qualquer pessoa que não pertença a esse círculo familiar estreito geralmente não é convidada.

Uma estrangeira contou sobre uma experiência em relação a isso: “Uma das impressões mais marcantes nos primeiros meses morando em Amsterdã foi a história de uma colega americana que reclamou como seu filho (que ficou na casa de um amigo depois da escola) foi mandado para casa com as seguintes palavras: ‘Desculpe, vamos jantar, você deve ir embora’. Ainda mais chocante foi a reação de outros colegas (neerlandeses) sobre a situação: ‘Qual o problema? Não há nada de errado. Eles devem ter preparado o jantar apenas para a família!’ Agora, dois anos depois, vejo uma explicação ligeiramente diferente para essa história — a tradição do jantar em família é tão enraizada e inabalável para os neerlandeses que, ao mandar o filho de outra pessoa para casa, eles têm certeza de que estão fazendo uma boa ação, pois, provavelmente, seus pais também estão esperando por ele para o jantar... às 6h em ponto! Não tem outra explicação”.

4. A sinceridade pode parecer grosseria

Alguns neerlandeses dizem tudo sem rodeio para qualquer pessoa que seja. Até mesmo se você não perguntar nada, eles podem dizer abertamente que sua roupa está feia ou que está fazendo algo errado no trabalho. Isso tudo sem hierarquia. Uma pessoa de um cargo mais baixo pode dizer que uma ideia de um supervisor não é boa. A sinceridade pode parecer grosseria, mas eles não querem ofender ninguém, é apenas a maneira como foram educados.

Uma garota compartilhou um relato no fórum Quora a respeito disso: “Eles geralmente têm uma honestidade brutal. Em qualquer conversa com um neerlandês, em pelo menos um momento fico chocada ou dou risada quando eles dizem algo totalmente ofensivo para mim ou outra pessoa com uma cara completamente séria. Isso porque, para eles, não é preciso ’adoçar a verdade’. E esse é um dos meus aspectos favoritos da cultura neerlandesa”.

Um outro jovem também compartilhou sua opinião: “Após o período de adaptação, você começa a entender como é legal poder expressar diretamente o que pensa sobre o comportamento de uma pessoa desconhecida, ver que ela escuta e às vezes até concorda. Bem, você só precisa estar preparado para o que vão dizer sobre você. Na sua cara, não pelas suas costas. Qualquer funcionário pode dizer abertamente ao gerente que ele está errado. E se esse for realmente o caso, o gerente irá corrigir suas instruções.”

A sinceridade também pode vir em forma de deboche: “Há alguns anos, fiz uma viagem em grupo para Amsterdã e havia uma mulher que gostava de ostentar, desperdiçando dinheiro, usando casacos de pele, embora já fosse quase verão. Além disso, ela tratava todo mundo do grupo como empregado e atrasava o cronograma da excursão. Em um passeio a uma fábrica de diamantes, ela decidiu comprar um pingente, ficou no pé do consultor e depois falou com desdém das peças. Então, entregou seus brincos ao atendente e disse: ’Preciso de uma peça que combine perfeitamente com estes brincos’. O consultor respondeu: ‘Uma jarra de cristal seria perfeita para seus brincos’. Todo mundo adorou o fora que ela levou”.

5. Existem mais bicicletas do que pessoas no país

A rainha da Holanda andando de bicicleta

São mais de 18 milhões de bicicletas cadastradas e esse número é um pouco maior do que a população do país. E tudo é muito organizado, com ciclovias. Existem até vias intermunicipais para bicicletas e semáforos exclusivos para ciclistas na maioria dos cruzamentos. Você pode se deparar com diversos modelos de bikes, como na imagem abaixo.

Uma jovem que se mudou para o país recentemente compartilhou sua experiência sobre esse meio de transporte popular: “A primeira coisa que fiz ao chegar aqui foi comprar uma bicicleta e desde então a uso para tudo. É bem verdade que, se você comprar uma bike, tem de comprar uma corrente enorme para protegê-la. Caso contrário, corre o risco de não encontrá-la no lugar pela manhã”.

Estacionamento de bicicletas de três andares em Amsterdã

“É assim todo ano quando o canal é drenado...”

6. Patinar no gelo não é apenas um hobby, mas uma paixão nacional

Quando as primeiras previsões sobre as tão esperadas geadas começam a ser anunciadas, os habitantes locais já estão preparando seus patins para a temporada de patinação no gelo. Quando todos os canais e rios congelam, uma comissão municipal mede a espessura do gelo e libera oficialmente a prática do esporte. E, quando o inverno realmente chega, os entusiastas da patinação lotam os lagos, lagoas, canais e outros lugares onde o gelo pode ser encontrado.

7. A língua neerlandesa é muito difícil para os estrangeiros. Por isso, a maioria dos habitantes fala um segundo idioma

A língua neerlandesa possui uma fonologia que exige muito dos órgãos da fala e da garganta. Os sons mais comuns são o do “r” e “rr”, quando algo ’parece estar preso na garganta’. E mesmo após vários anos de curso, pode ser difícil entender o que a outra pessoa está dizendo. Uma dica preciosa é: nunca compare o idioma com o alemão, eles não gostam dessa comparação.

  • Para entender o tamanho da diferença entre a ortografia e a pronúncia em neerlandês, basta olhar as letras de músicas nesse idioma. Qualquer interjeição musical que soe óbvia, na verdade, quando falada, se pronuncia de maneira diferente. É tão engraçado que nem me surpreendo mais — escreveu uma garota no Telegram

Como poucas pessoas no mundo aprenderam neerlandês, a maioria dos habitantes aprendeu a falar várias línguas. Muitos falam inglês, alemão, francês e até mesmo espanhol. Quanto ao inglês, ele está por toda parte: desde a televisão até os cinemas, que, assim como no Brasil, exibem filmes no idioma original com legendas.

8. “Tanto faz” é a expressão favorita dos neerlandeses

Os moradores locais têm uma filosofia para tudo. Para eles, “tudo pode acontecer”. E, se surgir uma situação inesperada ou inusitada, então vale o "tanto faz“...afinal, o problema se resolve. Por exemplo, digamos que nevou mais que o esperado e eles não têm um aparelho para remover a neve, então, tudo para na cidade. Vários comércios não abrem, compromissos são cancelados, etc. Apesar disso, os neerlandeses apenas ficam em casa e pensam: “Tudo pode acontecer, que seja”.

“Me lembro de que uma vez faltou energia no trabalho. Parecia um problema simples nos interruptores. O eletricista ficou preso em um engarrafamento em Amsterdã e ninguém moveu um dedo para tentar resolver o problema. Falei que ia dar uma olhada, meu chefe se virou e disse: ’Você está sendo pago para isso? Não, então sente-se e aguarde’. Respondi: ’Mas a empresa vai ter prejuízo’. E ele finalizou: ’Tanto faz, o prejuízo será do dono da empresa. Nós apenas nos sentamos aqui, eles nos pagam e do que mais você precisa?’” — compartilhou um usuário do Pikabu.

9. A cultura alimentar é simples

Os neerlandeses gostam de pão e queijo, e esses são os alimentos básicos para o café da manhã, almoço e lanches por lá. “Em muitas creches, não é costume alimentar as crianças com ’comida de panela’ — eles comem apenas frutas, salgados e, claro, sanduíches. Os neerlandeses explicam essa atitude ‘pouco atenciosa’ em relação à comida das crianças de uma forma simples: um sanduíche bem feito, com pão fresco e de alta qualidade, contém todos os nutrientes necessários”, disse uma internauta no Pikabu.

Na verdade, a ’comida de panela’ é só uma: o jantar. E nem tanto assim...geralmente, as sopas são compradas prontas, despejadas em uma panela e aquecidas no fogão. A base dessas sopas prontas é a cenoura com alguns pedaços de carne. Agora, se eles mesmo preparam a sopa, a de ervilha é a mais comum.

Os produtos lácteos são abundantes: há muitas variedades de iogurte e creme azedo, embora seja difícil encontrá-los em outros países europeus. O comércio de peixe é abundante nas cidades costeiras, tendo também uma grande variedade de restaurantes e peixarias que vendem diversos tipos de frutos do mar e pescados. Os moradores locais não gostam muito de cozinhar, preferindo comprar comidas semiacabadas ou prontas para apenas aquecer no micro-ondas.

“Uma típica comida holandesa”

10. Os neerlandeses têm uma outra perspectiva sobre higiene

Um banho diário é obrigatório e a higiene bucal é fundamental. Mas os neerlandeses não consideram muito importante lavar as mãos, mesmo após uma faxina, após usar o banheiro ou antes de comer. Acredita-se que isso seja melhor para o sistema imunológico: o corpo se adapta e se torna resistente aos germes.

“Uma vez, meu marido não queria lavar as mãos após termos feito uma caminhada e parado para lanchar e tomar um café. Peguei um lenço úmido e o fiz limpar as mãos. Ele perguntou o porquê disso o tempo todo. Apenas respondi: ‘É assim que tem de ser’. Ele resmungou dizendo que eu era uma ditadora, mas hoje em dia, já faz sem reclamar”, compartilhou uma mulher em seu blog sobre a vida nos Países Baixos.

11. A licença-maternidade dura quatro meses

A licença-maternidade paga dura aproximadamente quatro meses: um mês antes do parto e três meses após. Nas famílias em que ambos os pais trabalham, os bebês ficam nas creches. Os avós, na maioria dos casos, não cuidam das crianças, pois há uma crença de que cada um tem sua vida e eles merecem aproveitar a aposentadoria. Na maioria das famílias, ambos os pais trabalham e isso não só garante uma maior renda familiar, mas também é fundamental para a independência da mulher. Aos candidatos a uma vaga de trabalho que têm filhos, na entrevista geralmente são oferecidas jornadas de trabalho reduzidas: 32 ou 36 horas por semana em vez das 40 habituais.

Uma internauta compartilhou sua experiência com a maternidade no país: “Com o nascimento da minha filha, não larguei o emprego, mas reduzi o tempo de trabalho para quatro dias por semana. Todos os pais têm o direito de reduzir o número de horas de trabalho e o empregador não pode demitir por causa disso. Muitos casais trabalham meio período. Meu parceiro e eu trabalhamos quatro dias na semana e, além dos fins de semana, cada um passa um dia inteiro com nossa filha. O resto dos dias ela fica na creche, o que me deixa muito satisfeita”.

Porém, devido à volta relativamente precoce dos pais ao trabalho após a licença-maternidade, surgem algumas dificuldades na educação dos filhos. Por exemplo, muitas crianças de cerca de 4 anos ainda usam fraldas. Por isso, livros como “Como treinar uma criança ao usar o banheiro aos 4 anos” são bem populares. Na creche e no jardim de infância geralmente não há penicos, pois é muito mais conveniente para todos quando a criança usa fralda.

As crianças neerlandesas são conhecidas como as mais felizes da Europa. E um ambiente familiar saudável influencia muito nisso. A principal filosofia das mães é bastante simples: os filhos não mudam suas vidas, eles a complementam. As mães neerlandesas não abrem mão de suas vidas pessoais; elas continuam a trabalhar, a encontrar amigos e a ter algum tempo para seus interesses.

Elas fazem de tudo para facilitar o dia a dia: usam máquina de lavar roupas, lava-louças, robôs aspiradores de pó e outros equipamentos. Na hora de cozinhar, compram produtos já cortados, em conserva e embalados em porções. Em vez de exaustivas caminhadas com o carrinho de bebê pela praça, carregam a criança para onde forem em suas bicicletas.

“Em dois anos morando em Amsterdã, nunca vi uma mãe gritando com o filho, querendo controlar cada passo ou ameaçando colocá-lo de castigo, pedindo desculpas pelo choro ou traquinagens. As mães neerlandesas sabem que a criança, desde o primeiro dia, é um indivíduo único que só precisa de ajuda para se expressar, para se amar e para conhecer a si mesma neste mundo”, escreveu uma menina no Pikabu.

12. O equilíbrio entre trabalho e vida pessoal é muito importante para os neerlandeses

Boas condições de trabalho e leis trabalhistas rigorosas são as razões para uma taxa de desemprego muito baixa no país. Na entrevista, o principal é não demonstrar ser viciado em trabalho e não falar em estar disposto a trabalhar excessivamente: isso pode fazer você ’perder pontos’. Já que não é costume ficar até tarde no trabalho, depois das 18h00 será estranho encontrar alguém no escritório. Os neerlandeses sempre controlam o número de horas de trabalho, pois têm medo de que alguém esteja trabalhando demais e não consiga dedicar o tempo adequado à família.

No entanto, existe uma licença paga para o caso de um funcionário adquirir síndrome de burnout por causa do trabalho. É necessário um diagnóstico de um psicólogo e de um médico, mas a última palavra cabe ao empregador. Se ele concordar com o diagnóstico, é obrigado a pagar o salário do funcionário durante um período de dois anos.

13. Os neerlandeses têm um calendário com datas importantes e que fica...nos banheiros

Nesse calendário especial são marcadas as datas dos aniversários de parentes, amigos, colegas e até de vizinhos. Ele é pendurado no banheiro, para que ninguém se esqueça de nenhuma data importante. Se você for ao banheiro na casa de um neerlandês, lembre-se de que, em hipótese alguma, deve escrever seu nome no calendário. Isso é uma blasfêmia. Se você não encontrou a sua data de aniversário marcada — bem, pelos padrões neerlandeses, isso significa que não é tão próximo quanto pensava.

14. O respeito pelo Meio Ambiente faz parte do estilo de vida de todos

O meio de transporte mais popular é a bicicleta e o lixo é separado com tanto cuidado que até o vidro é separado por cores: branco, verde e marrom. Existem lojas que não utilizam plástico e papel celofane nas embalagens, além de diversas marcas que defendem um consumo sustentável.

A lei não impõe que o cidadão seja penalizado caso se recuse a separar o lixo, mas há um certo incentivo: os participantes ativos da coleta seletiva recebem descontos no pagamento de impostos e energia. Além disso, os agricultores conseguiram eliminar quase completamente o uso de pesticidas e reduzir em 60% o uso de anabolizantes na avicultura e na pecuária.

15. Adoram viajar para destinos tradicionais e outros nem tanto

Quando começa a esquentar, as pessoas já saem para as ruas e para os terraços de restaurantes ao ar livre com os amigos e fazem churrascos no quintal para aproveitar cada minuto de sol. Muitos vão à praia — as cidades de Haia e Zandvoort são os destinos mais populares. As pessoas tomam banho de mar até mesmo quando ainda está 15ºC. Também é muito conveniente viajar pela Europa: você pode chegar a Bruxelas em algumas horas de trem e a Paris em apenas cinco horas.

Uma mulher que se mudou para a ’terra das tulipas’ se surpreendeu com um relato de um colega logo no primeiro dia: “Na Holanda, existe um bilhete especial que permite andar de trem por vários dias. No meu primeiro dia de trabalho, um colega disse que fez isso e que gostou muito da experiência. Não entendi por que passar minhas férias em algo que normalmente tentamos evitar, ou seja, trancada dentro de um trem.”

Bônus 1: a diferença entre Países Baixos e Holanda

Holanda do Norte e do Sul são apenas duas das 12 províncias que formam os Países Baixos. Contudo, ao longo da história, elas se tornaram as mais desenvolvidas e, portanto, internacionalmente mais conhecidas. Mesmo os próprios habitantes quase nunca chamam o Estado pelo seu nome oficial. Até mesmo no aeroporto de Amsterdã há uma placa dizendo “Bem-vindo à Holanda!” Porém, hoje em dia, há uma campanha para que a região seja citada apenas pelo seu nome oficial — Países Baixos.

Bônus 2: fotos de tirar o fôlego de um dos mais belos países do mundo

“Provavelmente a foto mais neerlandesa que já tirei”

“Acordei às 5h para tirar fotos das tulipas na neblina da manhã”

“Encontrei o lugar certo! Céu e mar...”

Você conseguiria se adaptar ao estilo de vida neerlandês? Com o que teria mais dificuldade? Conte para a gente na seção de comentários.

Compartilhar este artigo