Incrível
Incrível

9 Erros que a maioria de nós comete em restaurantes e cafés

Até o início do século XIX todos os pratos eram servidos ao mesmo tempo nos restaurantes da Europa, e tal sistema era chamado de “Serviço Francês”. Acredita-se que o serviço moderno, conhecido como Service à la russe, ou Serviço Russo, no qual os pratos são trazidos gradualmente, apareceu graças ao príncipe Alexander Kurakin. Hoje, esse princípio é usado em todo o mundo, mas existem muitas outras regras que devem ser seguidas não só pelos próprios estabelecimentos de gastronomia, mas também por seus visitantes. A observação dessas regras permite não só desfrutar mais da comida, mas também, o que não é menos importante, ter a reputação de um cliente desejado, e até mesmo poupar dinheiro.

Incrível.club fez uma pequena lista de erros não tão óbvios, mas bastante comuns que cometemos frequentemente em restaurantes. Acompanhe!

Negligenciar a regra do garfo e faca

Antes de ir a um restaurante, você deve refrescar sua memória sobre as regras de garfo e faca que sinalizarão ao garçom o que fazer com o seu prato. E não é apenas uma questão de cortesia: isso vai livrá-lo de itens desnecessários na mesa mais rapidamente ou, caso contrário, tudo ficará no seu lugar se você se ausentar por um tempo.

Além disso, ao colocar os talheres de uma certa forma, você mostra aos cozinheiros o quanto o prato foi apreciado. Você pode, também, acidentalmente ofender o chef se, por exemplo, colocar a lâmina de faca entre os dentes do garfo, fazendo assim uma cruz em cima do prato — isso é sinal de que a comida não estava saborosa.

Uso incorreto do molho shoyu e gengibre

A maioria das pessoas está habituada a imergir completamente o sushi no molho shoyu. No entanto, os japoneses fazem de forma diferente: coloca-se o molho na pequena travessa (molheiro) somente para cobrir o fundo do recipiente, e o sushi é delicadamente tocado no líquido em somente uma de suas extremidades. Esse tempero é bastante salgado e tem um gosto muito marcante, o que pode sobrepor o sabor e aroma do próprio alimento se usado em excesso.

O gengibre, que é tradicionalmente servido durante qualquer refeição japonesa, não é utilizado como especiaria para pão, sushi ou sashimi. A raiz em vinagrete só é necessária para separar o sabor de um alimento do outro, ou seja, ajuda a limpar as papilas gustativas quando se muda de prato.

Quanto ao wasabi, não se deve comê-lo como um tempero adicional que incrementaria o sabor do prato principal. Em bons restaurantes nacionais, acrescenta-se uma pequena quantidade durante a preparação dos pratos para realçar os ingredientes, em vez de ofuscá-los. Em pequenas doses o wasabi pode ser adicionado ao molho shoyu, por exemplo.

Ajudar o garçom a limpar a mesa

Para muitos parece bastante evidente que se colocarmos os pratos na borda da mesa, será muito mais conveniente para o garçom retirá-los. No entanto, não é esse o caso. Cada estabelecimento tem o seu próprio sistema de recolhimento de pratos e, na maioria dos casos, podemos facilmente dificultar essa tarefa para eles. Também não se deve empilhar os pratos na mesa, porque eles nunca serão levados dessa forma. O fato é que isso aumenta as chances de quebrá-los no caminho para a cozinha.

Além disso, se você quebrar um copo ou uma taça, você não deve catar os fragmentos do chão. Se você se cortar, o garçom não só terá que limpar o chão, mas também terá que cuidar dos seus ferimentos.

Pedir um prato que não esteja no menu

Os clientes frequentemente pedem pratos que não estão no menu. Claro que a cozinha, na maioria dos casos, vai fazer o que o consumidor pedir, mas não vale a pena fazer isso.

Em primeiro lugar, o custo do prato é calculado antecipadamente e na ausência de um chef é muito difícil calcular o preço do prato novo. Em segundo lugar, todos os alimentos no restaurante são preparados de acordo com receitas estabelecidas, ou seja, o número de ingredientes é ajustado até os mínimos gramas para garantir o equilíbrio no sabor.

E em terceiro lugar, cada estabelecimento de gastronomia ensina os seus empregados a cozinhar exatamente os pratos que estão no menu. E mesmo que o chef seja altamente qualificado, e você esteja num restaurante “estrelado”, ninguém pode garantir que o bife, que não está incluído na lista de pratos, será frito corretamente e que vai agradá-lo.

Escrever uma crítica negativa sobre o restaurante na Internet, se você não gostar do serviço

Há um monte de serviços na Internet onde as pessoas deixam comentários sobre empresas de catering. Esses recursos, evidentemente úteis, são bons para aqueles que querem escolher um determinado estabelecimento, mas saiba que tudo o que está escrito lá não afetará o serviço do restaurante.

Se você realmente quer melhorar o serviço ou a qualidade da comida, vale a pena perder um tempinho escrevendo uma carta para o gerente ou proprietário, ou através do sistema de comunicação no site do restaurante. Esse feedback é definitivamente lido, e pode ter certeza de que será levado em consideração.

Começar a comer antes dos outros

De acordo com as regras de etiqueta, se você vai ao restaurante em grupos grandes, todos devem começar a comer apenas quando o garçom entrega a comida para todos os presentes. Se uma salada ou um bife é trazido para você mais cedo do que para seus colegas, você deve esperar até que todos os pedidos estejam na mesa. Além disso, lembre-se que você não deve comer muito rápido, é aconselhável ajustar o seu ritmo àqueles com quem você compartilha a mesa.

Por sua vez, a regra se aplica também ao restaurante: se o número de clientes em uma mesa for de duas ou mais pessoas, os pratos e talheres devem ser servidos a todos ao mesmo tempo.

Não levar vinho com você

Como regra geral, o valor de bebidas alcoólicas nos restaurantes não é muito alto, mas o vinho é certamente mais caro do que no mercado. Se você não quiser pedir uma bebida no menu de vinhos por alguma razão, é possível trazê-lo com você ao restaurante. Isto mesmo! Basta perguntar antecipadamente se é permitido no estabelecimento no qual deseja ir.

Os restaurantes que permitem tal possibilidade, cobram a “taxa de rolha” (ou “Corkage fee” em Inglês), cujo valor varia entre 25 e 40 dólares (cerca de 100 a 160 reais). Depois de se sentar à mesa, passe a garrafa para o garçom e você será servido da mesma forma que seria servido se tivesse pedido um vinho do próprio restaurante. Note, no entanto, que aqui vale o senso comum: não leve bebidas muito baratas, pois isso pode passar uma imagem negativa.

Ter vergonha de pedir para embrulhar a comida para viagem

Cada restaurante tem recipientes ou embalagens especiais que são projetadas especificamente para transportar comida. Eles também podem ser usados para guardar aquilo que você não comeu, por qualquer razão. Basta pedir ao garçom que traga um recipiente para embrulhar a comida.

No entanto, não abuse. As regras de etiqueta dizem que você não deve levar nada que tenha sido cortado ou mordido, mesmo que um pedaço. No entanto, isso não é proibido. Portanto, se é necessário levar com você o alimento meio comido, cabe somente a você decidir.

Não levar em consideração diferenças regionais

Se você estiver indo visitar um restaurante em um país diferente do seu, verifique as regras e, possivelmente, as restrições do estabelecimento que deseja ir, assim como os costumes gerais do próprio país. No Japão, por exemplo, não é costume enfiar o hashi, ou palitinhos de sushi, verticalmente na comida, pois isso é feito em rituais específicos, e não durante uma refeição. Além disso, existe uma regra segundo a qual os palitinhos só podem ser separados numa determinada posição: de modo que estejam estritamente paralelos à mesa.

É claro que, na maioria dos casos, é improvável que alguém vá te reprimir se quebrar alguma tradição por falta de conhecimento, mas é melhor tentar evitar tais situações.

Você já se perguntou quais são os erros que comete em restaurantes? Se já cometeu algum, conte para nós comentários!

Ilustradora Alice Perkmini exclusivo para Incrível.club
Incrível/Receitas/9 Erros que a maioria de nós comete em restaurantes e cafés
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos