Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

O tédio no trabalho é chamado de síndrome de Boreout e explicaremos como combatê-lo

2-11
684

Já aconteceu de você estar no trabalho e a única coisa que parece entretê-lo é olhar para o relógio, esperando chegar a hora de voltar para casa? Se essa sensação lhe é familiar, talvez você esteja com a chamada síndrome de Boreout. Esse é um problema cada vez mais comum no mundo corporativo. Por isso, é importante entender do que se trata e conhecer formas de driblar o problema, tornando seu trabalho mais divertido.

Incrível.club sabe que trabalhar é uma parte importante da vida e a maioria das pessoas não quer jogar a toalha, certo? Por isso decidimos falar mais sobre essa síndrome e como combatê-la.

O que é a síndrome de Boreout?

A maioria das pessoas já viveu um dia ruim no trabalho. Mas e quando todos os dias parecerem ruins? Existem várias condições não relacionadas ao trabalho que podem afetá-lo e causar essa sensação. Na década de 1970, os pesquisadores relataram, primeira vez, a síndrome de Burnout (não confundir), caracterizada por causar muito estresse e fadiga no trabalhador. Mas em 2007 surgiu um tipo de problema correlato, a chamada síndrome de Boreout, em que o principal problema é o tédio.

O fato de essas duas síndromes terem sido documentadas não significa que, há 50 ou 60 anos, as pessoas não se estressassem ou não se entediassem. Sim, isso ocorria e afetava a produtividade dos trabalhadores. A questão é a de que esses dois problemas não haviam sido catalogados pelos estudiosos. Philippe Rothlin e Peter R. Werder foram os pesquisadores que criaram o conceito dessa condição, definida como tédio no trabalho, devido à falta de perspectivas futuras no emprego.

Embora ter uma carga de trabalho muito leve e com pouca responsabilidade possa parecer atraente para alguns, a realidade é que também pode significar falta de motivação ou prazer para o empregado, gerando uma situação de frustração e apatia, que até mesmo pode levar à depressão a longo prazo.

Sintomas e causas

Os especialistas descreveram as 3 principais características dessa síndrome no trabalhador:

  • Pouca exigência e responsabilidade: não dar tudo de si em tarefas monótonas e ter a sensação de ter seu potencial desperdiçado.
  • Tédio: desânimo, apatia e desconforto com as tarefas executadas (ou ausência delas).
  • Desinteresse: não há conexão emocional com os sucessos ou os fracassos da empresa.

O fato de um funcionário se cansar do trabalho não apenas o afeta, mas também a empresa, porque desencadeia o que é conhecido como “presentismo laboral”, situação em que, apesar de o empregado estar presente, sua produtividade está longe de ser a ideal. Portanto é bom identificar as causas dessa síndrome:

  • Superqualificação para o trabalho que está sendo realizado. Ou seja, as tarefas solicitadas estão abaixo das possibilidades reais do trabalhador.
  • Tarefas muito monótonas desempenhadas diariamente.
  • Expectativas diferentes das do cargo ocupado na empresa.
  • Falta de clareza sobre as funções do cargo e ambiguidade que isso produz.
  • Indicação, para as tarefas mais complexas e motivadores, dos mesmos profissionais.
  • Pouca ou nenhuma chance de receber uma promoção ou um aumento.
  • Falta de estímulo e reconhecimento dos líderes de equipe.

Combatendo o tédio

Tudo isso lhe soa familiar? Não se preocupe, existe uma solução. Você pode abordar seus superiores para falar sobre o problema. Eles provavelmente vão agradecer seu interesse em aumentar sua produtividade. Você também pode compartilhar com eles as seguintes dicas criadas pela Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho:

  • Promover a comunicação aberta no espaço de trabalho para a participação de todos os membros.
  • Promover o trabalho em equipe para melhorar o ambiente de trabalho.
  • Distinguir claramente as funções de cada cargo.
  • Aumentar a autonomia e o controle do trabalhador sobre suas tarefas.

  • Dar a possibilidade de ter horários flexíveis.

  • Desenvolver programas focados no desenvolvimento de habilidades pessoais, como o controle das emoções e resolução de problemas.

O quanto você fica entediado no trabalho

Qualquer um pode ficar entediado às vezes no trabalho e isso é totalmente normal. Mas, quando você já sai de casa resignado, pensando nas 8 horas que passará entediado naquele local, precisa agir.

A maioria das pessoas que sofre com esse problema sabe quais são suas causas. Embora a área de Recursos Humanos também esteja preocupada com a solução do problema, muitas vezes, uma mudança na atitude do trabalhador pode significar a diferença entre gostar ou não desse emprego ou até decidir seguir outro caminho em uma atividade ou empresa diferente.

Você pode começar a combater o tédio adotando algumas atitudes simples:

  • Crie para você mesmo desafios, medindo o tempo necessário para concluir uma tarefa.
  • Mantenha a mente ocupada, sem se desviar para coisas desnecessárias.

  • Pergunte a um colega se ele precisa de ajuda.
  • Decore seu espaço de trabalho para torná-lo mais agradável.
  • Tente ocupar seu tempo livre com algo produtivo, como aprender um novo idioma ou peça mais responsabilidades ao seu chefe.

Você já esteve nessa situação? Qual é, em sua opinião, a principal causa dessa síndrome? Conte-nos nos comentários.

2-11
684