20+ Relatos de internautas sobre as situações mais inusitadas que já lhes aconteceram durante uma corrida de táxi

Certamente, todo taxista aposentado poderia escrever um extenso livro de memórias, afinal, durante uma corrida, pode acontecer de tudo, desde histórias engraçadas até dramas dignos do cinema. Em muitos países, a profissão de motorista de táxi é considerada uma das mais difíceis, mas uma coisa é certa: ela não é nada entediante.

Incrível.club selecionou diversos relatos sobre a experiência mais marcante ou inusitada que já aconteceu com internautas durante uma corrida de táxi, e está pronto para compartilhá-los com você. Confira!

  • Eu trabalhava como taxista. Uma noite, o estacionamento estava cheio e mal consegui entrar para ficar esperando na fila de táxis de um hotel famoso da cidade. Foi então que vi quando Steven Seagal saiu e entrou no veículo parado na frente do meu. Fiquei superanimado. Cinco minutos depois, o concierge acenou para mim, abriu a porta de trás e um homem aparentemente mais velho entrou no carro vestindo um casaco de lã, um chapéu e segurando um lenço contra o nariz e a boca. Na hora, pensei que ele estivesse resfriado, mas não era nada demais. Perguntei para onde queria ir e ele me passou um endereço que ficava do outro lado da cidade. Depois de ter percorrido um terço do caminho, o senhor me perguntou se eu tinha visto Steve Seagal mais cedo. Disse-lhe que sim e que gostaria de tê-lo levado. Ele, então, abaixou o lenço e pude ver que era o próprio Steven Seagal! Ele tinha enviado o seu dublê no outro táxi. Nós conversamos um pouco, e quando eu o deixei no endereço, ele me deu cem dólares e me disse para ficar com o troco. © TonySPhillips / Reddit
  • Sou motorista de táxi. Uma vez, peguei duas mulheres em uma academia e esse foi o diálogo que se seguiu entre elas:
    — Super treino hoje!
    — Si-i-i-im...
    — Então, amiga, ficaremos em forma para o verão!
    — Claro!
    — E vamos manter a dieta, está bem?!
    — Claro, como combinamos!
    Pouco depois, a primeira mulher saiu e seguimos a viagem. Então, chegou uma mensagem no meu celular: “O cliente alterou o destino da corrida”. Abri o aplicativo e conferi: era um McDonald’s. © tatmachok / Pikabu
  • Era uma manhã linda de inverno e fazia −32 ºC na rua. Chegou uma corrida muito estranha no aplicativo: o endereço de partida e de chegada era o mesmo. Em seguida, uma mulher veio, se sentou no carro com um ar soberbo e me falou para me apressar, porque ela estava atrasada. Eu respondi que não tinha como ir a lugar nenhum, porque o endereço do destino era igual ao da partida. Ela me olhou e disse: “Me leve até o ponto de ônibus, estou atrasada para pegar o ônibus”. A mulher estava acompanhando o ônibus no aplicativo e tinha pedido um táxi para levá-la até a parada e “para não ter de andar no frio congelante”. O ponto de ônibus ficava a 150 metros da casa dela. © Unknown author / Pikabu
  • Trabalho como motorista de táxi. Uma vez, recebi uma corrida na qual o endereço final era apenas “rua dos Astronautas”. A passageira chegou e entrou no carro. Como não sabia o número do local de destino, perguntei para ela: “Astronautas quanto?” Ela respondeu: “Agora mais três estão indo para o espaço”. © Podslushano / Ideer
  • Peguei um cara uma vez que começou a contar sobre uma festa que ele tinha ido recentemente fora da cidade. Foi uma conversa muito constrangedora, porque ele fazia várias pausas estranhas sempre que eu respondia, e muitas de suas respostas não faziam sentido com o que eu tinha falado. Depois de 15 minutos assim, eu percebi que ele estava conversando com um amigo através de um fone de ouvido Bluetooth. Nunca me senti tão bobo. © Bartothebear / Reddit
  • Aos 18 anos, fui estudar Direito. Mas para entrar na faculdade, precisava mostrar um atestado psiquiátrico para a comissão médica. Não pude ser atendida pelo psiquiatra “de adulto”, pois ainda não tinha completado 18 anos e 3 meses, como estabelecido no meu país. Então, me enviaram para um psiquiatra infantil. Já irritada pelo deslocamento não planejado que teria de fazer, chamei um táxi. Ao chegar, o motorista ficou me olhando estranho e disse: “Posso fazer uma pergunta? Aceitei a corrida, claro, mas você sabe que estamos indo de um psiquiatra para outro?” © Podslushano / VK
  • Uma vez, peguei um Uber com um motorista libanês. Estávamos conversando, ele era um homem legal, e quando descobriu o nome da minha mãe, percebi que ele a conhecia. O cara conhecia minhas tias e meus tios também. No fim, acabei colocando a minha mãe no modo viva-voz e eles ficaram gritando que fazia mais de 40 anos que não se falavam. Fiquei bastante impressionada. © StraightSalt7 / Reddit
  • A minha chefe trabalha como taxista à noite, e ela sempre tem histórias doidas para contar sobre seus passageiros. Bem, uma noite eu e alguns amigos chamamos um taxi por volta das 2h da madrugada depois de termos nos divertido na cidade e adivinhem quem era o motorista? A minha chefe. E no dia seguinte tanto eu como um de meus amigos teríamos de trabalhar. Não preciso nem dizer que nós dois tivemos muito mais coisas para fazer naquele dia do que qualquer outro funcionário. © mstop2012 / Reddit
  • Sou motorista de táxi. Uma vez, quase no final do meu turno, estava com pouca gasolina, por isso parei em um posto aleatório perto do centro da cidade. Então, um rapaz que parecia muito ansioso correu até mim e disse: “Você pode me levar para o aeroporto agora? Estou com muita pressa”. Abasteci o carro rapidamente e fui para a estrada. Chegamos no terminal do aeroporto em cerca de 25 minutos, mas o cara percebeu que tinha esquecido sua identidade. “Podemos voltar e pegá-la?”, ele perguntou. “Claro”, respondi, “Você se importa de pagar agora, porque o meu turno acaba em 20 minutos?” Ele então pensou um pouco e me pagou o valor mais uma gorjeta generosa. Dirigimos de volta para a cidade e ele decidiu não retornar para o aeroporto. O rapaz me pagou 200 dólares para ficar sentado no banco traseiro do carro por uma hora, olhar o terminal do aeroporto por 30 segundos e então voltar para o seu carro, que estava cerca de 15 metros de onde eu tinha pegado ele. © LemurianLemurLad / Reddit
  • Uma vez, indo de táxi à noite, eu e o motorista começamos a conversar sobre animais de estimação, mais especificamente sobre os gatos. Discutimos sobre alimentação, veterinário. E então ele sugeriu: “Quer que eu cante para você?” Não me atrevi a recusar, e ele cantou “miau-miau” em vários tons. Foi muito engraçado. Fiquei feliz em dar gorjeta. © Mama Govarda / AdMe
  • Era 4h30 da madrugada quando peguei três rapazes em uma boate. Vitor se sentou no banco da frente, e nos traseiros, Artiom e Sandro. Sandro dormiu. Um tempo depois, chegamos no endereço: hora de acordar o dorminhoco. Artiom não teve sucesso, e disse:
    — Vitor, mano, ele não acorda de jeito nenhum.
    Vitor, virando para olhar para trás:
    — Belisque aqui!
    Não sei onde ele mandou beliscar, mas o Sandro acordou na hora:
    — Galera, terminei! — disse o rapaz ao acordar.
    — Você terminou o quê?
    — De limpar a neve.
    — Onde?
    — Em todo lugar. E limpei todo o banheiro.
    O Artiom, então, falou desapontado:
    — Vitor, mano, eu acho que belisquei o lugar errado. © zelbu / Pikabu
  • Uma vez, eu peguei uma família que era muito estranha. Eles não pareciam estar interessados em conversar, então fiquei na minha. O mais esquisito era que sempre que o filho queria falar com o pai, ele perguntava para mãe se podia fazer isso, e ela então perguntava ao pai se tudo bem o rapaz falar. Gente, o filho parecia ter uns 16 anos. © GreyhoundOne / Reddit

“O motorista me ligou para avisar que tinha chegado no meu prédio e me pediu para levar um copo de água para o seu cachorrinho.”

  • Quando estava no Ensino Médio e acabava dormindo demais, pegava um táxi para o colégio. Uma vez, um motorista me perguntou: “Que tipo de música você quer ouvir, meu amigo?” E tendo tido poucas horas de sono, eu respondi: “O que você gostar...” Ele, então, colocou música clássica indiana e começou a me contar a teoria musical por trás dela. Foi uma corrida muito legal, e uma das melhores maneiras que eu já comecei um dia. © iownachalkboard7 / Reddit
  • Peguei três estudantes estrangeiros em um bairro tranquilo. Um deles me pediu para cantar no carro. Suspirei, mas permiti. E então os rapazes começaram a cantar com toda a força de seus pulmões uma música popular russa. Nunca tinha ouvido uma interpretação tão forte e emocionante! Tanto é que enquanto estávamos parados no semáforo, até as pessoas que estavam no carro ao lado ficaram boquiabertas prestando atenção à performance no meu táxi, que superava o volume do rádio no carro delas. Essa corrida fez o meu dia! © ovsei046 / Pikabu
  • Uma vez, um cara tentou me pagar pela corrida com atum. Tive de aceitar, pois já tinha feito o trajeto. © PezGun / Reddit
  • Pedi um táxi e, pela primeira vez, recebi um aviso de que o motorista era deficiente auditivo. A corrida durou aproximadamente uma hora. O silêncio reinou no carro: nenhuma música, nenhuma conversa. Foi uma viagem perfeita. No fim, ao sair, escrevi no telefone com letras maiúsculas: “Obrigado! Tenha uma boa noite!” e mostrei ao taxista. Ele sorriu como uma criança, foi visível o quanto ficou feliz. Até o meu humor melhorou. © romanzhivo / Pikabu
  • Uma vez, chamei um táxi e também recebi a notificação que o motorista era deficiente auditivo. Tudo certo. Entrei, me sentei e fiquei em silêncio. Uma hora, sinalizei uma curva com as mãos, e o taxista, de repente, disse: “Que loucura é essa? O dia todo as pessoas ficam em silêncio e acenam com as mãos para mim”. Eu lhe respondi que ele era surdo. O cara não acreditou, e tive de mostrar para ele no aplicativo. Ele ficou rindo depois. © sotona19 / Pikabu
  • Precisava ir para a estação de trem. Parei um táxi, coloquei a minha bolsa no banco de trás e, quando estava indo me sentar na frente, o carro foi embora. Corri atrás dele, tentando entender no caminho por que ele iria querer uma bolsa feminina cheia de trapos. Peguei outro táxi até a estação de trem e lá vi o taxista que tinha ido embora — ele estava acenando e buzinando para mim. Segue nosso diálogo:
    Taxista: “Senhora, como é que você não se sentou no banco de trás?”
    Eu: “E como é que você saiu sem mim?”
    Taxista, coçando a cabeça: “Bem, eu escutei a porta batendo e iniciei a corrida”. © kawayushki
    / Pikabu
  • Estava levando um senhor. Uma hora precisava cruzar uma avenida, trocando da faixa da extrema esquerda para a da extrema direita. Aos poucos, fui começando a manobra, mas percebi que não iam me deixar passar. Uma mulher estava dirigindo o carro ao lado: eu acelerava, ela acelerava; eu freava — ela desacelerava. Resumindo, fazia de propósito. O passageiro, então, disse: “Iguale o carro ao lado dela, vou explicá-la como se deve dirigir”. Eu respondi: “Não é nada... se acalme, essas coisas acontecem, não preste atenção. Você não precisa explicar nada para ela!” O cara insistiu. E, bem, o chefe é quem manda. Igualei o carro ao dela, o senhor abriu a janela e gritou: “Oksana, por que diabos você está dirigindo assim?” E ela: “E por que ele está me pressionando, não me deixando cruzar para a esquerda?” Meu passageiro respondeu: “Em casa a gente conversa!” A mulher desacelerou e me deixou passar. Era a filha dele. © Unknown author / Pikabu

“Chamei um táxi, me sentei no assento traseiro e vi essa caixa. Disse ao motorista: ’Alguém esqueceu alguns doces aqui’. E ele respondeu que eles eram para os passageiros, caso contrário todos ficavam cabisbaixos, e assim pelo menos sorriam. Quando você vê pessoas boas assim, seu coração chega fica quentinho.”

Com que frequência você costuma andar de táxi? Qual foi a coisa mais inusitada que já aconteceu durante uma corrida? Conte para a gente na seção de comentários.

Compartilhar este artigo