Incrível
Incrível

9 Alimentos que podem causar mudanças desagradáveis no corpo se consumidos em excesso

Os cuidados com a alimentação são muito importantes para que o nosso corpo tenha energia, disposição e mantenha todas as funções fisiológicas, e para que a nossa saúde fique equilibrada como um todo — isso não é novidade. O consumo de alguns alimentos, no entanto, pode causar o efeito contrário — são os chamados alimentos inflamatórios.

Nós, do Incrível.club, preparamos este artigo para que você conheça alguns desses alimentos e, principalmente, saiba quais mudanças poderá observar no seu corpo se deixar de consumi-los com regularidade. No final, preparamos um bônus com alimentos que, eles sim, podem te ajudar!

1. Carne Vermelha

Apesar de ser uma excelente fonte de proteína, as carnes vermelhas devem ser consumidas com cautela. Uma dieta rica em proteína animal está associada ao aumento no risco de desenvolver doenças cardiovasculares, diabetes, refluxo gastroesofágico, gastrite, doença diverticular, pneumonia, entre outros.

Por outro lado, com uma dieta vegetariana ou até mesmo com a redução do consumo de carne vermelha, é possível notar que algumas mudanças importantes podem ocorrer no corpo, como melhora do trânsito e da microbiota intestinal, redução de níveis de colesterol e triglicerídeos, melhora no sistema cardiovascular, tendência a perder peso, melhorar o humor e a disposição, melhora do sistema imunológico, sendo possível perceber que até a pele poderá mudar de aspecto, parecendo mais hidratada e viçosa, uma vez que seu relógio biológico corporal passará a ter um ritmo mais vagaroso.

2. Embutidos

Se a carne vermelha é considerada inflamatória, os embutidos como presunto, salame, linguiça, salsicha, mortadela, peito de peru, patês e bacon são ainda piores para o organismo, já que, além da carne, esses produtos também contêm altos níveis de sódio, conservantes e outros químicos. Se consumidos diariamente, podem afetar o fígado, além de provocar aumento da pressão arterial, causar problemas cardiovasculares, nas artérias, no cérebro, entre outros.

Mas o que podemos observar no corpo ao parar de consumir embutidos? Bom, para começar, diminui o risco de obesidade, doenças cardiovasculares, câncer, colesterol e diabetes. E, como efeito da diminuição na ingestão de gordura, ainda pode suavizar a aparência ou ocorrência de celulites e gordura visceral. Tá bom, né?

3. Frituras

As frituras podem ser muito saborosas e práticas, por isso mesmo são consumidas com certa frequência por muitas pessoas. Quando usufruídas em excesso, também podem trazer diversos malefícios para o corpo, entre eles, aumento da pressão arterial, obesidade, colesterol elevado, resistência à insulina.

De acordo com a nutricionista Natália de Oliveira: “Até os óleos vegetais de boa qualidade se transformam em gordura ruim quando aquecidos. Não basta prestar atenção ao óleo utilizado, é preciso fritar os alimentos pelo menor tempo possível para reduzir os danos”. Pode até ser difícil abandonar o hábito de vez, mas se você diminuir a frequência de consumo já vai notar algumas boas diferenças, como redução do cansaço e da sensação de mal-estar, assim como de dores de cabeça.

4. Produtos ultraprocessados

Muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre o que são alimentos e bebidas considerados ultraprocessados. Segundo a Organização Mundial da Saúde, os produtos ultraprocessados são, basicamente, “formulações industriais elaboradas a partir de substâncias derivadas dos alimentos ou sintetizadas de outras fontes orgânicas”, isto é, alimentos e bebidas, em sua maior parte, feitos em laboratório.

Um médico e apresentador de televisão britânico fez um experimento no qual mudou seus hábitos de alimentação e passou um mês consumindo 80% de produtos ultraprocessados, sempre com acompanhamento médico. Ao final do período, Chris van Tulleken compartilhou que se sentiu “10 anos mais velho”. De acordo com o estudo empírico, reduzir o consumo desses produtos pode fazer com que você tenha mais disposição, durma melhor, fique mais feliz e menos ansioso, entre outros bons sentimentos que poderá experimentar.

5. Sucos industrializados

Há quem pense que os sucos são opções mais saudáveis que os refrigerantes ou outras bebidas industrializadas, mas, dependendo da escolha, isso pode não ser verdade. Alguns sucos industrializados realmente podem ser boas pedidas, como os 100% integrais. Outros, são compostos, no máximo, por 50% de suco real — o restante é água e açúcar. E ainda há os sucos em pó, compostos por 1% de fruta desidratada e 99% de corantes, açúcares, estabilizantes, conservantes e aromatizantes.

O excesso de corante nos alimentos pode deixar seu sorriso mais amarelado e causar quadros alérgicos em algumas pessoas. Já o excesso de conservantes pode alterar a flora intestinal. Como alguns sucos podem combinar vários ingredientes não saudáveis, eles também podem facilitar o aparecimento de outros problemas, como resistência à insulina, obesidade, asma, entre outras coisas. Portanto, deixar de consumir ou reduzir o consumo de sucos industrializados, principalmente em pó, pode fazer com que o seu sorriso e sua pele fiquem mais bonitos.

6. Açúcar

Se tem um alimento que pode causar verdadeira paixão nas pessoas, é o açúcar! Quando o consumimos, nosso cérebro produz e libera dopamina — hormônio responsável pela sensação de felicidade, prazer e bem-estar.

A má notícia é que, nutricionalmente falando, ele é muito pobre, não oferece nenhum nutriente, é cheio de calorias vazias e ainda pode gerar uma cascata de problemas de saúde quando consumido em excesso, desde cáries, miopia e acne, até obesidade, entre muitos outros. Melhor consumir com cuidado, não é?

7. Farinha branca

Entre as muitas opções disponíveis de farinhas no mercado, essa é considerada uma das que podem trazer mais malefícios físicos para o corpo, já que o processo de refinamento retira grande parte dos seus nutrientes. Além do pouco valor nutritivo, a farinha branca tende a ser consumida em excesso, já que é a mais comum em preparações como bolos, pães, bolachas, pizzas, massas, entre outros alimentos do dia a dia. Quando consumida em grande quantidade, pode aumentar o risco de diabetes, obesidade e doenças crônicas.

Além disso, algumas pessoas realmente se sentem muito mal quando ingerem não só a farinha de trigo, como de outros cereais também. No caso das pessoas diagnosticadas com intolerância ao glúten ou com doença celíaca, é comum o aparecimento de sintomas como dor abdominal, diarreia, inchaço na barriga, dentre outros. Deixar de consumir o produto ou reduzir a quantidade pode contribuir para a diminuição da circunferência abdominal, na prevenção do sobrepeso, no combate à obesidade e ao envelhecimento prematuro.

8. Gorduras trans

Encontradas em diversas fontes, como margarina, óleos vegetais, biscoitos, salgadinhos, comidas congeladas industriais prontas para consumo, empanados e frituras, são bastante maléficas quando consumidas diariamente.

As gorduras trans são muito inflamatórias, diminuem o chamado colesterol bom (HDL), aumentam o colesterol ruim (LDL) e ainda aceleram a produção dos radicais livres, que, em excesso, levam ao estresse oxidativo. O que isso quer dizer na prática? Sistema imunológico alterado, envelhecimento precoce, aumento no risco de desenvolver artrite, doenças neurodegenerativas, aumento para risco de câncer ovariano, entre outros. Reduzir o consumo pode fazer com que você pareça mais jovem, além de melhorar seu sistema imunológico e prevenir o aparecimento de outras doenças.

9. Fast-food

Bom, depois de toda essa lista de alimentos potencialmente inflamatórios, não poderíamos deixar de citar o fast-food, já que em um lanche rápido, costuma-se misturar todo tipo de alimentos inflamatórios, como farinha branca, carne vermelha, embutidos, laticínios, frituras, ultraprocessados, gordura trans e açúcar, ou seja, aquele hambúrguer despretensioso é o suprassumo da comida inflamatória.

Reduzir o consumo é altamente recomendado e, além de melhorar sua saúde como um todo, reduzindo o risco de desenvolver diversas doenças, ainda vai melhorar o seu humor, seu sono, sua saúde mental e sua pele, que ficará mais viçosa e com menos chance de ter acne.

Bônus: alimentos que combatem a inflamação

Se as classes de alimentos que citamos acima podem ser consideradas “vilãs” para o nosso organismo, agora te contamos quais são os “mocinhos” das refeições, que ajudam seu corpo a combater as inflamações. Prefira estes componentes ao montar seu prato — além de praticar exercícios com regularidade, dormir bem e controlar o estresse:

  • Proteínas ricas em ômega-3, como salmão, atum, sardinha e arenque;
  • Oleaginosas, como linhaça, gergelim e amêndoas;
  • Temperos anti-inflamatórios, como cúrcuma, pimenta, gengibre, ervas e especiarias em geral;
  • Alimentos ricos em compostos antioxidantes, como o chá verde;
  • Alimentos ricos em compostos bioativos, como o alho e a cebola;
  • Alimentos ricos em licopeno, como o tomate;
  • Frutas em geral, especialmente as vermelhas;
  • Gorduras monoinsaturadas, como o azeite de oliva e o óleo de coco;
  • Alimentos integrais e ricos em fibras, como vegetais de folhas verde-escuras.

Você consome esses alimentos com regularidade? Já ficou algum período sem consumi-los? Percebeu alguma mudança física durante esse período? Compartilhe a experiência nos comentários!

Observação: Este artigo foi atualizado em Maio de 2022 para corrigir o material de origem e/ou imprecisões factuais.
Incrível/Dicas/9 Alimentos que podem causar mudanças desagradáveis no corpo se consumidos em excesso
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos