5 Razões pelas quais é bom tomar melatonina e como fazer isso

A melatonina, também conhecida como o hormônio da escuridão, tem sua produção diretamente relacionada à quantidade de luz percebida. É encontrada naturalmente em nosso organismo e sintetizada por meio do triptofano, um aminoácido essencial que o corpo não consegue produzir por conta própria e deve ser obtido pela alimentação. É uma substância de vital importância, responsável por garantir o crescimento e o desenvolvimento.

Nós, do Incrível.club, fizemos uma pesquisa sobre a importância desse hormônio para o organismo e vamos contar nesse artigo tudo a respeito desse tema. Lembre-se de consultar seu médico ou nutricionista antes de tomar qualquer suplemento ou fazer alguma mudança na sua dieta diária.

1. Nosso organismo produz dois tipos de melatonina

Nosso organismo possui dois tipos de melatonina: um se desenvolve na glândula pineal e o outro é produzido pelos órgãos. O primeiro é fotossensível, ou seja, é produzido de acordo com a quantidade de luz a qual estamos expostos e é responsável por controlar os ritmos biológicos do sono.

O segundo, chamado melatonina extrapineal, é produzido em maior quantidade, mas sua produção não está relacionada à luz. Entre suas funções mais importantes está a proteção celular, uma vez que possui efeitos antioxidantes e anti-inflamatórios.

2. O sono, a função da melatonina pineal

A melatonina pineal controla o relógio biológico do nosso organismo, sendo a principal responsável por nossos ciclos de descanso. Começa a ser produzida ao entardecer, quando começamos a perceber menor quantidade de luz e sua produção máxima ocorre durante a noite. Não induz o sono como se fosse um sonífero, sua função não nos faz dormir, mas lembra nosso organismo que precisamos descansar.

3. As funções da melatonina extrapineal

A produção da melatonina extrapineal é totalmente independente da pineal e, quando é necessária, cada órgão ou tecido pode produzi-la por conta própria. Suas funções ocorrem no nível celular. Ela regula as funções celulares, atuando como antioxidante, prevenindo o envelhecimento das células e atuando como anti-inflamatório diante de uma ameaça para proteger as células.

4. Benefícios

Além de ser benéfico para regular o sono e o descanso, esse hormônio também nos proporciona uma série de benefícios de suma importância.

  • É um antioxidante natural — até recentemente, acreditava-se que a vitamina E era o antioxidante mais eficaz que existia, mas vários estudos têm demonstrado que a melatonina é duas vezes mais potente. Esse hormônio tem a capacidade de neutralizar os radicais livres, substâncias tóxicas que se acumulam nas células, protegendo-as da deterioração.
  • Previne o envelhecimento — o envelhecimento prematuro surge quando há carência de melatonina, pois é o hormônio responsável por regular o envelhecimento celular.
  • Regula o sistema imunológico — o acúmulo de enzimas inflamatórias e radicais livres nas células danificam os tecidos saudáveis, levando ao aparecimento de doenças crônicas. A melatonina regula o número de células do sistema imunológico para combater as infecções e atua, ao mesmo tempo, como um anti-inflamatório, prevenindo as inflamações crônicas.
  • Ajuda a prevenir o câncer — somando todas as propriedades indicadas anteriormente, a melatonina é considerada um hormônio anticâncer. Também ajuda a aumentar a eficácia da quimioterapia e da radioterapia, reduzindo seus efeitos colaterais.
  • É um neuroprotetor — a suplementação de melatonina por pessoas idosas ajuda a cuidar e a manter a membrana hematoencefálica, uma membrana que protege o cérebro e a medula espinhal de substâncias nocivas. Também pode ser usada para prevenir o Alzheimer e outras doenças neurodegenerativas que surgem com a idade.

5. Alimentos que ajudam a produzi-la

Embora produzamos esse hormônio naturalmente em nosso organismo, nossa dieta é de vital importância tanto para consumi-lo diretamente dos alimentos, quanto para obter o triptofano de que nosso corpo necessita para poder sintetizá-lo.

  • Frutas — as cerejas, principalmente as mais ácidas, são ricas em melatonina, assim como a banana, popularmente recomendada à noite para ajudar a adormecer. Essa última, além da melatonina, contém triptofano, assim como o abacaxi, o abacate e as ameixas.
  • Legumes — entre os vegetais ricos em triptofano, encontramos o espinafre, a beterraba, a cenoura, o aipo e o brócolis.
  • Frutas secas — de todas as frutas secas, as nozes têm o maior teor de melatonina, 3,5 nanogramas de melatonina por grama. As demais também fornecem triptofano, vitaminas B e C, proteínas, magnésio e Ômega 3.
  • Cereais — o arroz e a aveia (principalmente integrais) são, assim como o milho, os alimentos com a maior quantidade de melatonina por grama.
  • Leguminosas e sementes — o grão de bico, a lentilha, a soja, o gergelim, as sementes de abóbora e o girassol, além de triptofano, também fornecem B1, B3, B6, B9 e magnésio ao organismo.
  • Carnes — especialmente o peru, o frango e os peixes gordurosos são ricos em triptofano, assim como os ovos, sobretudo a gema e os laticínios.

Você toma algum tipo de suplemento nutricional ou vitamínico? Qual e para quê?

Compartilhar este artigo