Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

7 Mitos pelos quais recusamos nossa comida favorita

O processamento através do qual a maioria dos produtos passa antes da venda pode, por vezes, ser mal interpretado. “A casca de maçã é coberta de produtos químicos”, “junto com as frutas secas ingerimos a cera”, “é melhor não tocar na casca de banana”. A internet está cheia de advertências desse tipo, como a de que a maçã vermelha no balcão é, na verdade, um resultado bem-sucedido da indústria química. E há quem se sinta afetado por suposições desse tipo. Como resultado, a fruta comprada não parece mais tão saborosa e saudável.

Incrível.club verificou as preocupações mais comuns sobre os vários tipos de processamento de produtos com as opiniões dos cientistas e concluiu que a causa de muitos desses medos são rumores e enganos.

Cobertura de cera para as frutas

Muitas pessoas suspeitam da cobertura de cera usada para evitar danos durante o transporte e armazenamento de frutas e legumes. No entanto, a Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos reconheceu que esta cobertura de cera para frutas é completamente confiável, e há uma razão para isso.

As cascas de frutas e legumes recém-colhidas contêm cera natural que naturalmente se forma sobre elas para evitar que os frutos ressequem e amoleçam. No entanto, após a colheita, os frutos são lavados para remover a poeira e produtos químicos e com isso a cera natural da fruta também é lavada, então a cobertura de cera simplesmente permite restaurar essa perda.

A cera usada para este processo é comestível. Apenas algumas gotas são aplicadas a cada produto, e essa quantidade não é absorvida pelo corpo humano e passa pelo sistema digestivo sem representar qualquer risco para a saúde. Naturalmente, legumes e frutas cobertos de cera devem ser lavados antes de consumidos para remover a sujeira, as bactérias e a parte dessa cera.

O processo de climatização artificial da banana

Quando você ouve falar em “tratamento de gás para bananas”, a imaginação atrai imagens terríveis e insalubres. No entanto, a realidade não é tão assustadora quanto parece. As bananas são realmente tratadas com um gás especial para acelerar sua maturação. Elas são retiradas da planta ainda verde, transportadas ao redor do mundo em navios refrigerados especiais e depois colocadas em câmaras de gás por um dia.

O gás utilizado para este processo consiste em 95% de nitrogênio e 5% de etileno. O nitrogênio é parte do ar que respiramos, enquanto o etileno pode ser gerado e emitido pelas maçãs. Você pode montar em casa um análogo de uma câmara de gás desse tipo: se comprar bananas verdes, coloque-as em um saco escuro ao lado de maçãs maduras e feche-o bem, em alguns dias as bananas estarão maduras.

Há também um boato de que as bananas são tratadas com formalina. Na verdade, elas são tratadas com tiabendazol para evitar a podridão e os fungos. A quantidade utilizada desta substância não é tóxica para os seres humanos. Além disso, o tiabendazol é bem eliminado mesmo com água fria, portanto, para evitar que ele entre no corpo, basta lavar a fruta.

Congelamento de frutas e legumes

Muitas pessoas acreditam que durante o processo de congelamento de legumes, frutas e bagas, perde-se a maior quantidade de vitaminas e propriedades benéficas. Mas especialistas da Universidade da Califórnia provaram o contrário.

Os cientistas estudaram a concentração de 4 vitaminas: ácido ascórbico (vitamina C), riboflavina (vitamina B2), α-tocoferol (vitamina E) e β-caroteno (vitamina A) e concluíram que, em alimentos congelados, as vitaminas não apenas são perfeitamente preservadas, como sua concentração é maior do que a das frutas frescas que ficaram, mesmo por pouco tempo, no mercado.

O que não é bom para congelar são tomates. Mesmo um pequeno resfriamento até 12 °C leva à destruição das enzimas responsáveis ​​pelo sabor e aroma característicos.

A ultrapasteurização do leite

Os consumidores que se recusam a comprar leite ultrapasteurizado estão certos de que este método de processamento destrói a maioria das vitaminas. No entanto, não devemos perder de vista o fato de que o leite também contém proteínas, gorduras e carboidratos que são completamente preservados no tipo ultrapasteurizado.

De fato, com exceção das vitaminas, a composição dos leites pasteurizado e ultrapasteurizado é idêntica. Se a pessoa receber uma dieta completa, obterá as vitaminas necessárias de outras fontes de alimento e, desta maneira, o leite ultrapasteurizado não trará riscos de envenenamento devido ao armazenamento inadequado e não azedará durante um bom tempo.

Tratamento térmico de grãos de trigo sarraceno

O trigo sarraceno verde tem suas vantagens: na sua produção comum (da cor marrom) os grãos são submetidos a um tratamento térmico e, portanto, o teor de nutrientes neles é menor do que no trigo sarraceno verde. No entanto, essa diferença é insignificante demais para ser considerada.

Além disso, a maioria das vitaminas e microelementos, pelos quais o trigo sarraceno é valorizado (vitaminas do grupo B, iodo, ferro, potássio, manganês, fósforo), é facilmente destruída a altas temperaturas. A parte principal destas substâncias será mantida, mesmo em cereais cozidos. Talvez apenas com a preparação para absorção o trigo verde terá mais vitaminas do que o trigo sarraceno comum, mas não muito mais.

A sulfitação

Muitas frutas e a maioria dos frutos secos passam por um processo chamado sulfitação, um tratamento com dióxido de enxofre (nos rótulos este conservante é chamado E220). Esta substância ajuda as frutas na manutenção de uma cor agradável e as torna resistentes a pragas. As pessoas desconfiam desses produtos e, na maioria dos casos, em vão.

Se o processamento for feito de acordo com os requisitos estabelecidos, não há nada de errado com isso. As composições à base de enxofre têm sido usadas na indústria alimentícia por muito tempo, em quantidades estritamente definidas, e seu risco não é maior que o de comer um alimento afetado por bactérias ou parasitas.

Bônus: a fritura

Todo mundo sabe que fritura é ruim para a saúde. No entanto, há um pequeno “porém” que pode muito bem desculpar uma pequena porção de vegetais fritos bem preparados: estudos recentes publicados na revista Food Chemistry mostraram que alguns alimentos tornam-se mais saudáveis ​​com este método de preparação.

Por exemplo, a fritura aumenta o valor nutricional de vários vegetais: batatas, tomates, berinjelas e abóboras geram compostos fenólicos que possuem propriedades antioxidantes e, por sua vez, reduzem o risco de muitas doenças. A única condição é o uso de óleo de alta qualidade prensado a frio.

Em suma, nem tudo é tão assustador. Geralmente, todos os métodos básicos de processamento são rigorosamente regulamentados pelas normas aprovadas pelo governo e destinam-se a assegurar que os produtos que chegam à nossa mesa estejam frescos, saborosos e seguros. Ao mesmo tempo, alguns deles, devido ao processamento, recebem certas melhorias, como a vida útil prolongada do leite ultrapasteurizado ou o máximo de vitaminas dos legumes e frutas congelados.

Você tem sua própria lista negra de produtos que, por algum motivo, evita comprar? Conte para a gente nos comentários.