“Tenho 23 anos, mas aparento 8”, como Shauna Rae vive com sua condição especial e o que faz para namorar

há 3 meses

Imagine viver não no seu próprio corpo, mas no de outra pessoa. Muitos de nós presumiríamos se tratar do enredo de algum filme de aventura ou de um experimento de realidade virtual. Nossa heroína em destaque hoje não vive no mundo virtual, mas conhece bem a dificuldade de ter uma aparência que não corresponde àquela esperada para a sua idade.

Conheça Shauna Rae, estrela de um reality show dos EUA, que tem 23 anos, mas vive no corpo de uma criança de oito. Hoje, ela nos conta sua história de vida dramática e fascinante.

Shauna nasceu com uma condição genética rara

Shauna nasceu com nanismo pituitário, uma condição que a faz parecer muito mais jovem do que realmente é. A jovem se tornou uma estrela da TV, do programa I’m Shauna Rae, em que conta ao mundo todas as dificuldades que enfrenta devido à sua condição especial.

Ela foi diagnosticada com uma forma rara de câncer no cérebro quando tinha apenas seis meses de vida. Recebeu um tratamento que foi bem-sucedido e a ajudou a entrar em remissão, mas a doença acabou prejudicando o seu crescimento.

Como resultado, Shauna tem agora pouco mais de um metro de altura, o tamanho de uma criança de oito anos. Em sua entrevista, fala abertamente sobre como se sente e diz: “Sou uma mulher adulta presa no corpo de uma criança de oito anos”.

A jovem precisa lidar com a opinião pública e, às vezes, isso é um verdadeiro desafio

Em uma de suas entrevistas recentes, Shauna disse que muitas vezes não é tratada “como um ser humano normal”, devido à sua aparência única. “É só o que peço, que as pessoas me tratem como um ser humano normal”, disse. Ela confessou que se sentiu diferente a vida toda e que sua condição sempre chamou a atenção das pessoas.

A jovem refletiu sobre como o nanismo a afetou desde cedo e destacou ter descoberto não estar crescendo no mesmo ritmo que seus colegas ainda no jardim de infância. Quando estava no ensino fundamental, isso começou a afetar significativamente sua saúde mental. Só aos 16 anos, descobriu que não cresceria mais e ficou completamente chocada.

“Foi uma época muito difícil”, lamentou. “Provavelmente o pior momento da minha vida, porque sempre imaginei que seria alta. E receber essa notícia foi como se tirassem o chão dos meus pés.

Perceber sua verdadeira autoestima foi um longo e difícil caminho

No início, foi muito difícil para Shauna lidar com a nova realidade, após descobrir a verdade sobre o seu futuro. “De certa forma, me isolei para poder me encontrar e ser feliz como sou, porque, na época, não estava feliz com quem eu era. Comecei a estudar on-line e realmente me concentrei em mim e no que queria fazer, em quem eu era como pessoa e em me aprimorar”, recorda.

Mas agora, como estrela de um programa todo dedicado à sua vida, Shauna deseja que outras pessoas aprendam com sua visão otimista. Ela afirma: “Ser positiva é o melhor conselho que posso dar porque, no fim das contas, a única pessoa que controla como você se sente é você mesma.”

As dificuldades que enfrenta por causa de sua aparência só a tornam mais forte

Shauna geralmente recebe um não ao tentar fazer aquilo que os adultos normalmente fazem, como tatuagens ou mesmo frequentar academias de ginástica, coisas que lhe seriam praticamente impossíveis, devido à idade que fisicamente aparenta. A resposta mais comum recebida em lugares próprios para adultos é: “Não permitimos crianças”.

Também enfrentou grandes dificuldades em sua vida amorosa até agora. Em sua entrevista, explica ser extremamente difícil encontrar a pessoa certa, mas que não irá desistir.

Ao expressar sua frustração em relação a esse aspecto de sua vida, afirma: “Atraio pessoas estranhas. É assustador me expor, mas é preciso correr algum risco para ser feliz”.

Sempre há uma luz no fim do túnel, e Shauna é a prova disso

Na segunda temporada do programa, Shauna finalmente teve uma experiência de namoro positiva, após ter sido convidada para um encontro às cegas.

Foi assim que conheceu Thomas, um bombeiro voluntário com a mesma condição. Em sua entrevista, não conseguiu conter a emoção ao dizer: “Conhecer alguém com nanismo pituitário foi uma experiência incrível. Tínhamos muito em comum devido a nossos históricos médicos, mas nossas reais vidas sociais são muito diferentes”.

Embora a experiência não tenha terminado com um grande amor, Shauna continua explorando a vida de solteira, mas segue à procura de um namorado e, hoje, está bem mais otimista em relação à sua jornada.

O que você achou da história de Shauna Rae? O que lhe desejaria se tivesse a chance de conhecê-la pessoalmente?

O nanismo não define personalidade, talentos ou capacidades. Muitas pessoas portadoras dessa condição enfrentam desafios físicos e sociais, mas muitas também se destacam em diversas áreas. A conscientização sobre o nanismo é crucial para promover a inclusão, o respeito e a compreensão da diversidade de experiências. Conheça a atriz de Hollywood Jyoti Amge, considerada a mulher mais baixa do mundo.

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados