Descobrimos como realmente vivem as modelos (spoiler: o salário não é tão alto quanto pensávamos)

Famosos
há 11 meses

Toneladas de roupas bonitas e cosméticos de luxo, viagens para diferentes países e festas sem fim... É assim, segundo a opinião de muitas pessoas, que estão acostumadas a viver mulheres e jovens que vemos nas páginas de revistas de moda. Mas tudo isso, na verdade, está longe de ser verdade, e nessa indústria há muito menos glamour do que esperávamos.

Hoje, o Incrível.club contará para você como as modelos vivem. Esses fatos sobre sua atividade diária não são conhecidos pela maioria de nós.

1. É possível virar modelo por casualidade

Isto não é completamente um mito, já que, de fato, é possível. Karlie Kloss, por exemplo, foi descoberta por um headhunter em um shopping center, e Coco Rocha foi convidada para participar do negócio de modelagem durante as competições de dança irlandesa. Mas, claro, esse não é o caso de todos. Alessandra Ambrosio foi para uma escola de modelagem e deliberadamente chegou ao seu objetivo de se tornar uma supermodelo famosa. Já Behati Prinsloo começou sua carreira vencendo um concurso de beleza.

Os headhunters encarregados de procurar novos modelos são frequentemente enviados para castings ou outros eventos públicos para encontrar futuras estrelas. Às vezes, eles também descobrem perfis brilhantes nas redes sociais.

Há menos oportunidades de encontrar um caça-talentos na rua e até mesmo a probabilidade de receber um convite on-line de um não é muito alta. Portanto, a melhor decisão é não esperar por uma situação por acaso e começar a trabalhar. No entanto, um bom perfil no Instagram irá ajudá-la.

2. Começar uma carreira de modelo só é possível se você tiver um book com fotos profissionais

É claro que não é necessário ter um portfólio desse tipo para interessar a um agente. Para começar, como regra, fotos claras e simples são suficientes, elas podem nem ser profissionais. Graças a elas, as agências poderão avaliar o potencial das meninas ou de um jovem modelo.

Doutzen Kroes, por exemplo, não tinha um book. Ela enviou seus cliques amadores para uma agência, mas não pretendia se tornar uma modelo famosa. A garota simplesmente queria ganhar algum dinheiro para suas despesas, mas rapidamente lhe foi oferecido um ótimo contrato.

3. A agência custeia tudo

As modelos, principalmente no início de sua carreira, têm que pagar muitas coisas sem as quais seu trabalho simplesmente não poderia ser executado. Isso inclui serviços de fotógrafos para seu portfólio ou aulas em escolas de modelagem.

Claro, existem situações em que todos os custos, desde o início, são pagos pela agência, fechando com a garota um contrato muito bom. Isso acontece com frequência em capitais da moda, como Paris, Milão, Nova York e, é claro, são casos de grandes empresas.

4. As modelos ganham muito bem

Isso está correto quando se pensa nas supermodelos. Mas aquelas que não conseguiram fazer uma carreira incrível não podem se gabar de taxas astronômicas e muito menos de uma cobertura dúplex como parte de suas propriedades.

As mulheres que participam de fotos para anúncios ou catálogos conseguem ganhar um pouco mais. Se falamos de desfiles, as taxas são mais baixas. Mesmo nas famosas Fashion Weeks, as meninas que fazem seu trabalho nas passarelas não ganham muito dinheiro. No entanto, este é um bom método para se mostrar e fazer novos contratos.

Às vezes, os estilistas pagam as modelos com roupas. E esta não é uma transação muito bem-sucedida, como pode parecer. Coco Rocha disse em uma entrevista que, no início de sua carreira, foi paga com uma saia com um zíper quebrado. Isso a ajudou muito pouco para chegar ao final do mês.

Curiosamente, o negócio de modelagem é uma indústria na qual os homens ganham menos que as mulheres, até 75% menos. Uma cifra que chama a atenção.

5. As modelos frequentemente brigam entre si

Este negócio é tão específico que sempre há concorrência. Por exemplo, a relação entre Tyra Banks e Naomi Campbell dificilmente poderia ser considerada calorosa. No início de sua carreira, Tyra teve problemas suficientes com a “pantera negra” porque achava que a jovem supermodelo tomaria o seu lugar. Isso se transformou em um confronto sem fim.

Mas deve ser entendido que, como em qualquer lugar, no negócio da modelagem, há espaço para amizade. Temos o exemplo de Doutzen Kroes, cuja melhor amiga é Adriana Lima, e Jessica White com Irina Shayk.

6. Na indústria da moda, tudo se resolve na cama

Na verdade, o principal é o tipo de modelo. Se, por exemplo, uma modelo ruiva é necessária para uma foto em um comercial, então uma loura ou uma negra simplesmente não conseguirão pegar o trabalho. O mesmo acontece no relacionamento dos colaboradores com a modelo de agência. Ao escolher a candidata certa, sua capacidade de andar perfeitamente na passarela e ficar firme na frente da câmera é levada em conta.

É claro que relacionamentos amorosos entre modelos e, por exemplo, fotógrafos ou diretores de agências são possíveis, mas isso já é uma questão individual.

7. As modelos habituais não comem nada, e as plus size não têm restrições

A modelo brasileira Ana Carolina Reston morreu em 2006 de anorexia. Ela pesava apenas 36 quilos. Transtornos alimentares, na consciência de muitas pessoas, estão diretamente ligados à indústria de moda. E, de qualquer forma, nesse negócio tenta-se afastar das manifestações de modelos muito magras. Assim, nas páginas da Vogue, agora você só pode ver garotas saudáveis, já que a revista não incentiva as que são muito magras. Na Espanha, na Itália e na França, garotas com anorexia não são contratadas para desfilar.

Em geral, as modelos tentam consumir alimentos saudáveis. Isso é importante não apenas porque a dieta correta ajuda a manter uma boa figura, mas também porque a alimentação saudável é uma garantia de bem-estar. Por ter esse estilo de vida, é impossível viver sem isso. Claro, às vezes você pode se permitir algumas guloseimas.

As modelos da Victoria’s Secret mantêm restrições mais fortes. Por exemplo, Behati Prinsloo, antes de participar de um show, se recusa completamente a comer carboidratos, açúcares e sais, e Adriana Lima, em 2011, contou aos repórteres que, antes de pisar nas passarelas, se alimenta com coquetéis de proteína. Mas depois de dar à luz, ela decidiu equilibrar sua dieta.

Modelos de tamanho plus não podem comer o que querem. Quando a agência as contrata para um trabalho, no contrato geralmente é mencionado que ela tem que manter sua forma atual. Isso, novamente, significa uma alimentação saudável e treinos regulares. Por exemplo, Ashley Graham faz exercícios com seu treinador três vezes por semana. Ela gosta de smoothies verdes e nunca come carne, mas às vezes pode se mimar com uma pizza, que ela come de uma maneira especial: submergindo as bordas em Nutella.

8. É um trabalho encantador e glamouroso em que não há nada difícil

Há muita gente que acha que as modelos posam para as câmeras e ficam muito bonitas (ou, bem, não tanto, tendo em conta as estranhas tendências da moda atual) e depois participam de festas com celebridades e, o mais esgotante no trabalho delas, são voos entre as capitais mundiais da moda.

Na verdade, nem tudo é tão simples. Antes das passarelas ou sessões fotográficas, as modelos têm que ficar por muitas horas em um único lugar enquanto os estilistas e maquiadores fazem seu trabalho. Para conseguir o trabalho, precisam visitar castings, e o tempo de espera pode se prolongar. Então, é um trabalho nem sempre divertido e, ao contrário, muitas vezes é muito chato.

Se falamos de complexidades, então haverá muitas. Primeiro de tudo, você tem que ficar em forma, e para isso é preciso treinar e alimentar-se corretamente em uma base regular. As modelos não visitam festas e discotecas todas as noites, simplesmente porque uma aparência fresca e descansada é muito importante para o trabalho.

Em segundo lugar, as seleções podem ser realizadas em diferentes áreas da cidade, localizadas a uma longa distância uma da outra e é preciso chegar a tempo. Terceiro, às vezes a sessão de fotos
é feita em condições extremas. Por exemplo: em um casaco de pele quando há uma temperatura de 30° C ou em um maiô na neve.

Outro aspecto muito importante é a estabilidade emocional. O ritmo acelerado da vida está ligado ao estresse constante, e isso também é parte da realidade diária de uma modelo que, infelizmente, ajusta a sua vida a isso.

Que fatos você achou especialmente surpreendentes? Gostaria de trabalhar nesta indústria? Tem algo para acrescentar? Compartilhe as informações que você sabe nos comentários deste post.

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados