Como meu marido mudou durante meu trabalho de parto e a lição inesquecível que aprendemos juntos

Relacionamento
Há 1 semana

Nossa leitora, uma mulher de 34 anos chamada Anna, nunca suspeitou que seu amado marido um dia se transformaria em um verdadeiro monstro. E jamais poderia imaginar que isso aconteceria no dia em que daria à luz o filho tão esperado e já amado do casal. Anna nos escreveu uma carta na qual compartilhou sua história com sinceridade, revelando ter ensinado ao marido uma lição cruel, porém muito eficaz, após seu comportamento desagradável durante o nascimento do bebê.

Anna compartilhou, em uma carta dirigida ao nosso editorial, sua história complicada

Recentemente, Anna enviou uma carta ao nosso editorial e sua história foi, ao mesmo tempo, um pedido de ajuda e uma mensagem a todos os casais de que devem confiar um no outro e contar com o apoio mútuo no relacionamento. Anna experimentou um comportamento totalmente inapropriado, desagradável e até vil de seu marido, pouco antes de dar à luz, e decidiu não deixar barato. Sua vingança foi épica.

Começou sua carta dizendo: “Meu marido e eu estamos casados e felizes há mais de 10 anos. Sempre acreditei termos um relacionamento ideal e que ele me amava. Mas seu comportamento durante um período muito importante de nossas vidas me levou a questionar tanto seus sentimentos quanto sua personalidade.
Tivemos uma briga séria antes do nascimento da nossa filha, por ter sugerido um teste de paternidade. Explico meus sentimentos a esse respeito. Foi uma atitude completamente inesperada, sem motivo algum. Trabalho remotamente meio período e não me relaciono profissionalmente com nenhum outro homem, além do meu irmão.
Perguntei se estava me acusando de infidelidade, e respondeu ‘querer apenas ter certeza’. Ele foi longe demais, pois não parava de tocar no assunto. Estava sempre me perguntando sobre o teste e comecei a adoecer com todo aquele estresse. Então, lhe disse não querer mais conversa com ele e fui morar na casa do meu irmão.”

Anna ficou profundamente ofendida, mas ainda assim tentou melhorar seu relacionamento

Anna revelou: “Eu estava desesperada com nossa briga, pensei muito e, em algum momento, achei que seria melhor resolver as coisas entre nós. Liguei para ele quando estava fora e tentei resolver o problema, mas ele se recusou a falar comigo.”

Anna fica muito emocionada ao relembrar tudo que aconteceu na sequência da briga e revelou: “Após ser tão severamente ignorada e humilhada, voltei para casa dois dias depois para pegar algumas coisas enquanto ele estava no trabalho. Foi quando entrei em trabalho de parto. Liguei para ele 30 vezes antes de telefonar para o meu irmão, que também ligou mais meia dúzia de vezes no trajeto para me buscar e também a caminho do hospital.
Foi um parto complicado e traumático. Comecei a coroar no carro e o médico precisou me atender no banco de trás da van do meu irmão, antes de me levar às pressas para o hospital, comigo ainda sangrando, pois o trabalho de parto estava muito avançado para me mover. Foi horrível, uma experiência nada agradável.
A esposa do meu irmão, que é enfermeira, me disse que chegou a acreditar que eu não sobreviveria. Também optei por uma histerectomia, pois era isso, ou algo ainda mais perigoso. Na verdade, eu não queria ter filhos ou no máximo apenas um, mas meu marido desejava uma família grande. Estou tentando me relacionar com minha filha, mas tem sido extremamente difícil.”

Anna e seu irmão decidiram dar uma lição em seu marido

Anna revelou: “A questão é que, nesse período horrível em que voltava da cirurgia (já fazia 10 horas que tinha ligado), ele finalmente respondeu. Imediatamente me perguntou por que não havia atendido sua ligação. Naquele momento, meu irmão estava com meu telefone e nós dois bem irritados. Ele então disse ao meu marido: ‘Ei, é o Derek, estou no hospital. Ela não sobreviveu’. E ele desligou o telefone”.

Anna continuou: “Meu marido correu e chegou ao hospital quando eu acabara de acordar. Começou a gritar, e o segurança o forçou a sair, dizendo-lhe que eu estava dormindo, e precisavam da minha assinatura para permitir que ele entrasse.
Toda a minha família viu uma crueldade terrível nessa atitude, mas, da mesma forma, todos achamos merecida. Meu irmão continua lhe dizendo que eu quase faleci por esperarmos sua chegada. Como cunhado, costumava ser indiferente em relação ao meu marido, mas, agora, ele o odeia completamente e não consegue disfarçar sempre que encontra o pai da minha filha.”

Anna se sente perdida devido à atitude do marido

Anna escreveu: “Meu marido está furioso e não quer se desculpar. Gritou comigo quando lhe disse que a única razão pela qual meu irmão estava com meu telefone era por ele não estar lá. Tenho tentado ser o mais empática possível, pois sei que se sente culpado. Falei com minha terapeuta e ela disse que estou em choque com o trauma.
Minha sogra afirma que minha família foi terrivelmente cruel por essa ‘lição’ que demos ao filho dela e que eu não deveria mais ter contato com meu irmão. Meu marido, agora, diz a mesma coisa.”

“Simplesmente, não sei como agir. Tem sido difícil até dividir o quarto com ele, e estou dormindo com minha filha no de hóspedes. Ele mencionou a paternidade uma vez, e disse-lhe que saísse de perto de mim. No entanto, por estar muito confusa, gostaria de ouvir mais opiniões, pois simplesmente não sei o que fazer.”

Suspeitas infundadas e falta de confiança podem facilmente arruinar até a família mais feliz. Separamos outra história, a de uma mulher que enfrentou uma situação difícil com seu parceiro, que também lhe pediu para fazer um teste de paternidade. Confira todos os detalhes clicando aqui.

Imagem de capa DC Studio / Freepik

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados