9 Mitos perigosos sobre bronzeado e pintas que até mesmo alguns médicos acreditam

há 1 ano

Muitas pessoas ainda acreditam em mitos relacionados a pintas da pele, bronzeamento e melanoma. Algumas fazem soar o alarme apenas quando as pintas habituais começam a crescer de repente e mudam sua aparência. Outras não removem o tumor até o final, temendo danos à sua saúde. E há ainda aqueles que não sabem que podem se queimar mesmo se estiver nublado e chovendo.

Incrível.club compilou vários mitos sobre manchas na pele e bronzeamento que deveriam ter sido desmentidos há muito tempo em nome da saúde e da beleza.

Mito 9. Melanomas aparecem com mais frequência no rosto e nos braços

É mais fácil notar manchas estranhas no rosto e nos braços. Mas, segundo as estatísticas, em mulheres o melanoma mais frequentemente aparece nas pernas e, nos homens, nas costas. Os médicos recomendam que se preste atenção a marcas de nascença em locais de contato com roupas ou sapatos, devido ao aumento do risco de danos.

A probabilidade de melanoma aumenta com cada queimadura solar, especialmente se forem recebidas na primeira infância. Devemos também levar em conta o fator genético: se um de seus parentes mais próximos tem melanoma, o risco de herdar a doença é maior.

Mito 8. O perigo é representado por manchas grandes, escuras e salientes

Um tumor maligno em sua fase inicial geralmente se parece com uma marca de nascença comum. Os médicos recomendam que se faça um exame com um oncologista ou dermatologista em um centro médico se a pessoa tiver mais de 50 marcas de nascença no corpo. O grupo de risco inclui pessoas com pele clara, olhos azuis e ruivos, bem como pessoas com sardas no rosto.

Manchas escuras no globo ocular, semelhantes a uma pinta, são motivo para você marcar uma consulta imediatamente com o oftalmologista. Na maioria dos casos, são inofensivas, mas algumas são formações oculares malignas.

Mito 7. Apenas pintas perigosas são removidas

Os médicos removerão rapidamente qualquer verruga se causar desconforto ou se parecer esteticamente pouco atraente. Por exemplo, se você tem medo de machucá-la com roupas ou se ficar feia em seu rosto. Eliminar é absolutamente seguro para a saúde.

O principal é eliminar a protuberância apenas em uma instituição médica, onde será feito um exame histológico. Portanto, a possibilidade de ignorar uma formação que começou a evoluir para o melanoma e poderia terminar em metástase, se for indevidamente removida, será descartada.

Mito 6. Remover manchas e verrugas com bisturi é antiquado

Hoje em dia, a maneira mais eficaz de remover uma verruga é com um bisturi. Graças à perfuração da pele e sua profundidade, o bisturi elimina completamente a formação, o que impede a disseminação de possíveis células cancerosas e metástases. Uma biópsia do material é feita para determinar se há células cancerosas no seu interior. Se forem encontradas, o tratamento é iniciado imediatamente.

Quando se trata do rosto, orelhas, genitais ou dedos, os médicos usam o método de radiofrequência. Um dispositivo especial evapora a verruga, camada por camada, e forma uma crosta protetora para a ferida cicatrizar naturalmente. Uma parte da formação removida é enviada para biópsia.

Não remova as verrugas se o médico sugerir o uso de laser, nitrogênio líquido ou outro método no qual o biomaterial não seja levado para análise. A neoplasia pode causar metástase, que pode ocasionar a morte em poucos meses. Você não deve colocar sua saúde em risco por causa da incompetência de alguns médicos.

Mito 5. Se você tem pele escura, pode prescindir do protetor solar

Pessoas de pele escura estão fora de perigo: sua pele é o resultado da evolução. Dessa forma, a natureza tenta proteger uma pessoa contra os efeitos nocivos da radiação ultravioleta. Mas, infelizmente, as pessoas ainda estão longe de ser como elefantes africanos, que são imunes aos raios nocivos do sol devido à pele densa e genes especiais.

Portanto, mesmo as pessoas de pele escura devem aplicar protetor solar, usar chapéus e, em alguns dias, evitar a exposição ao sol. A propósito, na pele escura é mais difícil distinguir um rubor saudável de uma queimadura solar em evolução.

Mito 4. A pele não se bronzeia se estiver nublado e chovendo

Os raios ultravioletas passam através das nuvens, por isso a nossa pele fica bronzeada durante o dia, mesmo que esteja chovendo. Mas a intensidade da radiação varia de acordo com as condições meteorológicas e a época do ano. Hoje, em todos os smartphones há um aplicativo para ver o horário em que o índice UV é indicado, que servirá como um guia para preparar sua pele adequadamente.

Por exemplo, se o índice UV for 1 ou 2, use um filtro solar com o nível de proteção de FPS 30. Se a leitura UV for de 3 a 7, use chapéu, óculos de sol e escolha roupas soltas que escondem suas mãos e pés. Se o índice UV for superior a 7, permaneça à sombra durante o dia e aplique o filtro solar em todo o corpo e, das 11h às 17h, não saia. Estas regras se aplicam inclusive a quem tem pele escura desde o nascimento.

Mito 3. Algumas pessoas simplesmente têm muitos sinais e sardas desde o nascimento e não devem se preocupar

Há a síndrome de nervos displásicos, quando todo o corpo está coberto de pintas. Qualquer uma delas pode se transformar em melanoma. Recomenda-se que essas pessoas passem por um exame de videodermatoscopia. O dispositivo fotografa a pele e permite acompanhar a aparência das novas manchas, enquanto uma lente especial para diagnóstico fluorescente irá distinguir as patologias da pele saudável.

Pessoas com sardas também são vulneráveis aos raios UV. Essas manchas de pigmento não
contêm um grande número de células que produzem melanina, portanto sua cor é mais pálida do que a das pintas. Para pessoas com sardas, recomenda-se o uso de protetores solares com FPS maior do que 35.

A maioria das marcas de nascença não é perigosa mas, para evitar o risco de mutação, é melhor consultar o médico e aplicar protetor solar se essa área da pele for exposta ao sol.

Mito 2. Pintas feridas devem ser eliminadas

Se você machucar uma pinta, primeiro deve tratar a ferida com um antisséptico para evitar a infecção. Em seguida, aplique um creme que estimula a regeneração dos tecidos. E então, o quanto antes, marque uma consulta com um dermatologista.

O trauma da marca de nascença não é uma causa para eliminá-la. Mas, muitas vezes, os processos patológicos internos levam a mudanças, por isso é facilmente traumatizado. Portanto, é necessário um acompanhamento médico regular para controlar o risco de melanoma.

Mito 1. Arrancar uma pinta pode causar câncer

Não há evidências claras de que, em razão de uma lesão, a pinta evolua para um melanoma. Mais frequentemente, uma mancha traumatizada que acabou por ser um tumor perigoso inicialmente cresceu como um melanoma. Neste caso, o processo de reparação tecidual que causa o crescimento de qualquer célula simplesmente acelerou o desenvolvimento do melanoma.

Por outro lado, uma pessoa frequentemente acha que machucou a pinta simplesmente vendo o sangue ao seu redor. Embora tal sangramento possa ser causado pela lesão, também pode resultar de processos patológicos dentro da própria mancha. Este é um sintoma perigoso que requer intervenção médica urgente.

Imagem de capa depositphotos

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados