10 Vezes em que a tecnologia foi usada para substituir ou rejuvenescer um ator

Arte
há 7 meses

A tecnologia avança a passos largos todos os dias e um dos usos dela atualmente é para substituir ou rejuvenescer atores em filmes e séries de TV. Aliás, isso já foi feito várias vezes em produções famosas e muita gente sequer percebeu. Afinal, algumas vezes, o resultado ficou tão bom que é até difícil de acreditar. Neste artigo, trouxemos 10 vezes em que isso aconteceu no cinema e na televisão, com diferentes graus de sucesso, para você ver. Confira!

1. Capitão América: Guerra Civil

Uma das vezes em que o cinema usou tecnologia para modificar o rosto dos atores em cena foi em Capitão América: Guerra Civil. No longa, Tony Stark, interpretado por Robert Downey Jr., aparece como um adolescente, chocando a audiência. O feito foi possível graças a uma tecnologia que permite mexer digitalmente em vídeos, quase como se os editores estivessem mexendo em uma foto, fazendo com que o ator parecesse décadas mais novo. Aliás, a mesma tecnologia foi usada no filme O Curioso Caso de Benjamin Button, em 2008.

2. Indiana Jones e a Relíquia do Destino

O novo longa da franquia do arqueólogo favorito de muita gente, Indiana Jones e a Relíquia do Destino, também usou a tecnologia para fazer o nosso protagonista parecer que tinha umas décadas a menos. No filme, ele aparece em um flashback como se ainda estivesse nas obras lançadas nos anos 80. Para isso, o estúdio usou inteligência artificial para vasculhar filmes antigos do Harrison Ford e colocar por cima das filmagens do ator nos dias de hoje. Legal, não é mesmo?

3. O Mandaloriano

Mandaloriano, série que se passa no mesmo universo de Star Wars, também “mexeu os pauzinhos” e rejuvenesceu um dos personagens mais amados da franquia, Luke Skywalker, interpretado por Mark Hamill. Para conseguir isso, os produtores usaram tecnologia para analisar digitalmente a face do ator que deu vida ao personagem originalmente e os dados colhidos possibilitaram deixá-lo mais novo em algumas cenas. Em outras, optaram por usar uma pessoa bem parecida e o rosto foi “colado” por cima, entregando aos fãs da franquia um Luke bem novinho.

4. Velozes & Furiosos 7

Um dos exemplos mais conhecidos de substituição aconteceu no filme Velozes e Furiosos 7, da popular franquia de mesmo nome. Nesse caso, a tecnologia foi usada para dar aos fãs um último vislumbre de um dos personagens mais queridos da série, Brian O’Conner, interpretado por Paul Walker, que faleceu em um acidente enquanto o filme ainda estava sendo gravado. A mágica feita pelos responsáveis pelos efeitos especiais do longa foi possível graças a participação dos irmãos do ator, Caleb e Cody, que gravaram algumas cenas.

Feito isso, os editores usaram os rostos deles como base para “colar” a face de Paul Walker por cima. Eles usaram dados dos filmes anteriores, para trazer mais realismo e entregar um bonito tributo ao ator e aos fãs.

5. Homem Formiga e a Vespa: Quantumania

Outra estrela que perdeu alguns anos nas telonas graças à tecnologia foi a atriz Michelle Pfeiffer, que interpretou Janet van Dyne em Homem Formiga e Vespa: Quantumania. A versão mais nova dela aparece em um flashback de Hope, vivida por Evangeline Lilly, pouco antes de sua mãe desaparecer. O resultado é que vemos Michelle umas décadas mais nova em cena. Aliás, o longa também rejuvenesceu o ator Michael Douglas, que interpreta o pai de Hope, Hank Pym, de maneira bem convincente.

6. Guardiões da Galáxia Vol. 2

Em Guardiões da Galáxia Vol. 2, o ator Kurt Russel, que interpretou o pai biológico de Peter Quill, o Senhor das Estrelas, também passou pelo mesmo processo para dar vida a uma versão mais jovem do seu personagem no longa, Ego. Como foi explicado depois pelo supervisor de efeitos visuais do filme, Chris Townsend, o feito foi graças a uma mistura de maquiagem, peruca, tecnologia e um ator que se parecia com uma versão mais jovem de Kurt, em um trabalho que tomou muitas horas da equipe.

7. X-Men: O Confronto Final

Em 2006, o longa X-Men: O Confronto Final também deu aos fãs da franquia um vislumbre de como as versões mais jovens dos atores Patrick Stewart e Ian McKellen ficariam como dois de seus personagens icônicos, Professor Charles Xavier e Magneto, respectivamente. Isso acontece em um flashback, quando os dois visitam a Jean Grey. Para isso, eles usaram a mesma tecnologia usada em O Curioso Caso de Benjamin Button. Como base, o estúdio usou fotos dos atores mais novos.
O resultado não agradou muito ao público, mas ainda foi interessante ver essa tecnologia em ação.

8. Capitã Marvel

Quem assistiu Capitã Marvel percebeu que, em determinado momento, Nick Fury, interpretado por Samuel L. Jackson, parece ser 25 anos mais novo. O feito foi possível, de novo, graças a tecnologia usada em O Curioso Caso de Benjamin Button para analisar as feições do ator e rejuvenescê-lo algumas décadas, já que ele tem mais de 70 anos. O resultado ficou bem natural e eles nem precisaram usar uma pessoa parecida com ele, como aconteceu em outras obras desta lista.

9. O Hobbit: A Desolação de Smaug

Nem um elfo, que não envelhece escapou de ser rejuvenescido com a ajuda da tecnologia. Orlando Bloom, que deu vida ao arqueiro Legolas na trilogia O Senhor dos Anéis, precisou de uns retoques quando apareceu em O Hobbit: A Desolação de Smaug. O que acontece é que a obra foi lançada mais de 10 anos após a estreia da franquia original. Por isso, a equipe de produção usou efeitos especiais para fazer o ator parecer mais jovem e ainda aproveitou para destacar os olhos azuis do personagem.

10. Rogue One: Uma História Star Wars

O universo de Star Wars aparece novamente aqui, dessa vez, no longa Rogue One: Uma História Star Wars, que se passa antes do primeiro filme lançado da franquia, o episódio IV. Nessa obra, quem marcou presença graças à tecnologia foi a princesa Leia, interpretada originalmente pela inesquecível Carrie Fisher. A personagem aparece pouco e diz uma única palavra, “esperança”, que foi recortada dos filmes originais.

A atriz Carrie Fisher não participou das filmagens. Então, quem a representou foi Ingvild Delia, que estudou a intérprete de Leia por meses. No final, a equipe de produção usou tecnologia para colocar o rosto da atriz por cima.

A tecnologia é realmente impressionante. Inclusive, a usamos para prever como seriam os filhos de casais famosos do cinema e o resultado ficou adorável.

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados