Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Os ingredientes de certos produtos do dia a dia são de assustar

Todos os dias realizamos uma série de ações semelhantes: levantamos, tomamos café da manhã, vamos ao trabalho. Mas, ao comer pela manhã torradas com manteiga de amendoim, você já parou para pensar sobre o processo de fabricação dessa manteiga? Ou, tomando banho, pensou sobre do que é feito o seu shampoo?

No Incrível.club, encontramos algo que, para dizer o mínimo, nos surpreendeu. Dificilmente você conseguirá disfarçar amanhã o que verá em seguida neste post. Mas, ainda assim, nosso conselho é que deve se arriscar e ler até o fim!

1. Os excrementos de insetos são usados ​​para fazer o envoltório de drágeas e a cobertura de doces de goma

A cobertura usada para produtos de confeitaria é feita de uma resina natural, a goma laca. Essa resina, basicamente, não é mais do que o excremento de alguns insetos da família Kerriidae, os mesmos que parasitam algumas árvores tropicais e subtropicais do Sudeste Asiático e da Índia.

Além dos produtos alimentares, essa goma é usada para revestir os comprimidos de medicamentos e produzir o verniz que cobre a madeira. Na lista de ingredientes de medicamentos ou de doces, esta goma laca é descrita como aditivo alimentar E-904.

2. No processo de fabricação de produtos de confeitaria, existem níveis de impurezas permitidos, que incluem até o pelo de roedores

Talvez em algum lugar do mundo exista um sortudo que nunca encontrou um "pelo" estranho ou outro corpo estranho em um donut ou em uma rosquinha. Então, se você não teve essa sorte, deve saber que isso é porque, no processo de fabricação, existe um máximo de substâncias estranhas aceitas no produto.

Por exemplo, segundo as regras sanitárias de boa parte dos países, um total de 10 insetos por 225 gramas de passas processadas são uma quantidade permitida. Considera-se que o limite é excedido quando, em cada 225 gramas, há 20 "bichos". A lista dos itens classificados como impurezas inclui desde pequenos animais (roedores) a penas e pelos, além de insetos.

3. A gelatina é obtida a partir da pele do porco e do gado

A gelatina é uma substância utilizada na preparação de muitas sobremesas e geleias. Mas é pouco provável que você tenha parado para pensar do que é feita ao mastigar as gomas de ursinhos ou alguma outra delícia desse tipo.

A gelatina é produzida a partir de ossos e peles de gado, porco e também, por que não, até de peixes! É obtida durante um longo processo de cozimento de ossos e peles dos animais. Mas vale dizer que todos os resíduos passam por um controle rigoroso para verificar sua adequação ao consumo humano.

4. O corante alimentar carmim é extraído do ácido de insetos chamados cochonilhas

Cochonilha é o nome dado a várias espécies de insetos da família Dactylopidae. Das fêmeas desses insetos obtêm-se uma substância necessária para a preparação do corante da cor carmim.

Na antiguidade, esse corante era usado para colorir tecidos e fios, com os quais foram feitos tapetes e usados para escrever miniaturas de pergaminhos antigos. Hoje é usado como corante alimentar (aditivo alimentar E-120) e como um pigmento para perfume.

5. A composição de muitos batons inclui chumbo

Muitas mulheres usam batom diariamente, mas poucas sabem que na composição de alguns o chumbo pode estar incluído.

Algumas empresas de cosméticos diminuem os preços de certos batons, porque contêm chumbo. E o chumbo, de acordo com muitos estudos, contribui para o desenvolvimento de células cancerígenas. N

6. Os produtos de carne são infectados com vírus para eliminar bactérias

Existem vírus chamados de bacteriófagos. Eles atacam seletivamente as células bacterianas, multiplicando-se dentro das bactérias, para dissolvê-las.

O uso de bacteriófagos em alimentos e remédios foi aprovado nos EUA, desde 2006. Com sua ajuda, a carne de aves e de outros produtos com esse ingrediente se livram de bactérias nocivas e só então são consideradas adequadas ao consumo. Em 2007, as autoridades americanas liberaram (pelo menos naquele país) o uso desses vírus em todos os alimentos.

7. O pão contém um aminoácido obtido a partir de cabelos humanos

O pão contém o aminoácido chamado cisteína, que é obtido a partir de cabelos humanos ou do pelo de animais. Isso atua como um amplificador, que melhora a estrutura do produto. A cisteína altera a composição da farinha utilizada durante o processo de produção e também prolonga a data de validade dos produtos de panificação.

E você, conhece os segredos de produção ou de fabricação de alguns alimentos? Compartilhe seus pensamentos conosco nos comentários.

Imagem de capa RyanMcGuire, herbert2512