Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração
Incrível

12 Fatos sobre o corpo humano que ainda intrigam os cientistas

Existem muitos aspectos do corpo humano que já foram estudados e entendidos, mas isso não significa que a comunidade científica não tenha perguntas em aberto. A impressão digital é um desses aspectos intrigantes e que ainda geram dúvidas. Por exemplo, como explicar o fato de algumas pessoas não terem essas marcas? Quando perguntas como essas aparecem, é natural recorrermos aos cientistas; no entanto, a ciência nem sempre tem uma resposta para tudo e muitas vezes precisa trabalhar com suposições.

Pensando nisso, o Incrível.club separou 12 características e habilidades do corpo humano que ainda não foram completamente explicadas pela ciência.

1. Como alguém pode ficar até 20 minutos sem oxigênio

Segundo os cientistas, quando ficamos de 30 a 180 segundos sem oxigênio podemos perder a consciência. Após três minutos, o cérebro começa a ser afetado e aos dez minutos o mais esperado é que a pessoa entre em coma. No entanto, existem métodos de treinamento que ajudam o cérebro a sobreviver sem oxigênio por longos períodos.

Budimir Buda Sobat quebrou o recorde mundial ao permanecer embaixo d’água por 24 minutos e 33 segundos. Ele superou o recorde anterior de Aleix Segura em 30 segundos. A única coisa que ambos fizeram antes de entrar na água foi respirar oxigênio puro por alguns minutos.

2. Como alguém pode ficar acordado por 11 dias

Em 1963, um rapaz de 17 anos, chamado Randy Gardner, conseguiu ficar acordado por 11 dias e 25 minutos. Um pesquisador do sono o acompanhou o tempo todo, monitorando a forma como suas habilidades cognitivas eram afetadas, e enquanto as pessoas cuidavam para que ele não cochilasse, ele continuou ativo, jogando basquete. Durante os onze dias, seu olfato e paladar foram fortemente afetados.

Os cientistas ainda precisam realizar mais pesquisas para entender como o ser humano pode ficar acordado por tantos dias sem sofrer consequências muito graves. Contudo, a polêmica aqui inclui a pouca especificidade do termo “acordado”, afinal de contas, uma pessoa pode estar de olhos abertos e, ainda assim, ter o cérebro completamente “desligado”.

3. O número de dias que uma pessoa pode ficar sem água

Em geral, especialistas defendem que os humanos podem ficar sem água por até três dias. No entanto, essa quantidade depende de vários fatores, como idade, atividade física e saúde em geral. Outro aspecto relevante é a quantidade de alimentos com água que a pessoa ingere, entre eles frutas e vegetais.

Em 1979, um homem chamado Andreas Mihavecz ficou sem água por 18 dias seguidos e sobreviveu. Ele foi mantido em uma cela e acabou completamente esquecido pelos guardas responsáveis. Para se manter hidratado ele precisou lamber a água condensada das paredes da prisão, uma história que impressiona ainda mais porque ele ficou esse tempo todo sem receber comida.

4. Por que precisamos do apêndice

As muitas histórias de pessoas que tiveram o apêndice retirado, levam os cientistas a se perguntarem sobre sua real serventia. No entanto, segundo a bióloga Heather Smith, 533 espécies de mamíferos possuem apêndice, um número bastante alto e que parece sugerir uma grande importância desse órgão. O que já sabemos é que sua principal função é proteger o sistema imunológico.

Embora o apêndice hospede muitas bactérias “boas” que o corpo usa quando é afetado por uma doença, não há evidências de que as pessoas que tiveram esse órgão retirado, ficassem mais vulneráveis. Ou seja, os especialistas têm bastante conhecimento sobre a forma como o apêndice age no nosso corpo, porém, estudos mais detalhados ainda precisam ser conduzidos para que toda a sua complexidade possa ser explicada.

5. Por que temos uma das mãos dominante

Cerca de 85% das pessoas nascem com a mão direita dominante. Uma teoria para essa proporção defende que o hemisfério esquerdo do nosso cérebro, aquele que controla a fala e as habilidades de movimento, também controla os movimentos da mão direita; nesse sentido, os muitos anos de processo evolutivo fizeram com que nos inclinássemos para a fala e o uso da mão direita. Contudo, existe outra teoria segundo a qual essa proporção é explicada por meio da evolução, ligada ao uso de ferramentas dos primeiros humanos da Terra.

Até dois milhões de anos atrás, os humanos eram predominantemente destros, e todas as ferramentas eram feitas de acordo com essa tendência. Há uma teoria segundo a qual uma pequena porcentagem de canhotos existiu e que eles tinham vantagem na hora do combate: se o seu inimigo espera que você o acerte com a mão direita, mas você o acerta com a esquerda, sua probabilidade de vencê-lo é maior.

6. O que nos faz bocejar

Até pouco tempo atrás, muitas pessoas acreditavam que o bocejo era uma forma de levar mais oxigênio ao cérebro, uma ideia que se provou errada. Uma teoria também bastante popular defende que o bocejo é uma ferramenta do cérebro para despertá-lo e uma forma de diminuir a temperatura, quando o corpo fica mais quente que o normal. Essa teoria ainda não pode ser confirmada porque o estudo foi realizado com apenas 120 pessoas.

Segundo outra teoria, o bocejo tem um importante papel social: uma pessoa que o faz quando vê outra bocejando, mostra um nível de empatia bastante evoluído. Evidentemente, em muitas culturas as pessoas ainda acreditam ser um sinal de cansaço. Ou seja, a comunidade científica não consegue chegar a um consenso sobre o que nos provoca o bocejo.

7. Por que apenas as mulheres têm seios

No mundo dos primatas, as fêmeas tendem a formar seios somente após o parto; ou seja, o crescimento acontece apenas para armazenar leite e amamentar os filhotes. O mesmo não acontece com os humanos, que são os únicos mamíferos que desenvolvem seios na puberdade por conta dos hormônios e têm seios grandes a vida toda. De acordo com uma explicação, essa formação é um sinal de que a mulher está pronta para se tornar mãe.

Outra teoria defende que as mulheres precisam armazenar gordura — ou seja, energia — para alimentar os filhos, e esse armazenamento ocorre nos seios e nos quadris. Como homens não engravidam, não precisam passar pelo mesmo processo evolutivo.

8. O que causa o empurrão hipnótico

Nos primeiros momentos do sono não é raro as pessoas experimentarem uma perturbadora sensação de queda. Quando isso acontece, adquirimos uma espécie de consciência que gera um repentino movimento das pernas, o qual pode não nos acordar totalmente. Segundo alguns pesquisadores, cerca de 70% das pessoas já experimentaram essa sensação, pelo menos uma vez na vida.

Não há uma explicação definitiva para esse fenômeno, mas existem algumas teorias. As mais conhecidas defendem que ele pode acontecer por estresse ou ansiedade, pela prática de exercícios antes de dormir, privação de sono ou consumo de cafeína e nicotina. Além disso, alguns pesquisadores sugerem que os primatas desenvolveram o fenômeno como uma habilidade para não dormir em posições perigosas.

9. Por que algumas pessoas espirram ao olhar para o Sol

Embora o “espirro fótico” não seja incomum, ele é um fenômeno que provavelmente foi herdado. No entanto, os especialistas ainda não sabem exatamente qual é o gene envolvido nessa idiossincrasia genética, sabem apenas que quando isso ocorre, a maioria das pessoas espirra pelo menos duas vezes, e em casos extremos esse número pode chegar a 40. Outra teoria defende que a mudança na luminosidade pode irritar o nariz e provocar o espirro.

Há mais uma teoria, segundo a qual a exposição aos raios solares faz os olhos lacrimejarem, o que também acaba causando irritação no nariz. A mesma coisa pode acontecer com o uso de colírio, ou após comer alimentos apimentados. Infelizmente, não existem muitos medicamentos para tratar esse reflexo incomum.

10. Por que algumas pessoas não têm impressão digital

adermatoglifia é uma condição que consiste na ausência de impressões digitais. A doença também é conhecida como “doença no atraso da imigração”, já que causa problemas na hora de cruzar a fronteira entre países, mas ela é bastante rara.

Pesquisas recentes descobriram que essa desordem genética aparece devido a uma pequena mutação no DNA. No entanto, o que ainda intriga muito é como e por que essa mutação acontece, já que as impressões digitais se formam quando o bebê está no útero da mãe.

11. Por que o riso é contagiante

Muito provavelmente você já começou a rir porque alguém ao seu lado estava rindo, mesmo sem saber o motivo da risada. Segundo uma teoria, isso acontece porque quando ouvimos alguém dar risada, endorfinas são liberadas em uma área específica do nosso cérebro.

Outra teoria estabeleceu uma conexão entre o riso contagiante e a psicopatia. Segundo essa concepção, os meninos que não participam do riso com as pessoas que estão ao seu lado, têm uma probabilidade maior de desenvolver comportamentos psicóticos.

12. Como alguém pode passar fome por mais de um ano

Em 1966, Angus Barbieri ficou sem comer alimentos sólidos por 382 dias e perdeu um total de 120 quilos. Monitorado por médicos durante todo o processo, ele consumiu apenas chá, café, água e algumas vitaminas. As únicas coisas que foram acrescentadas à dieta na etapa final foram um pouco de açúcar e leite no chá.

Embora passar fome por tanto tempo pareça algo impossível, o corpo consegue encontrar uma alternativa para a falta de alimento. Os cientistas explicam que depois de 8-12 horas sem comer, nosso organismo começa a usar glicose e aminoácidos armazenados para ganhar energia. Portanto, a resposta para a pergunta aqui colocada não é simples, sobretudo porque o peso tem um papel importante no tempo que um indivíduo pode ficar sem comer. A probabilidade de alguém muito acima do peso sobreviver por mais tempo sem comida é maior que a de uma pessoa muito magra.

Qual desses fatos sobre o corpo humano te deixou mais surpreso? Compartilhe as suas impressões nos comentários.

Compartilhar este artigo