Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

12 Invenções latino-americanas que mudaram a história

Quase nunca paramos para refletir sobre as ferramentas, instrumentos e objetos que usamos no dia a dia. Muitos deles são o resultado de anos de pesquisa e carregam, na sua criação, criatividade, sabedoria e, sobretudo, suor. E, entre os objetos e instrumentos que mais usamos, muitos foram inventados por latino-americanos. São ideias que, em seu tempo, anteciparam o futuro e por isso merecem a nossa admiração.

Hoje, o Incrível.club traz alguns exemplos dessas invenções para ressaltar o poder criativo de todos os povos.

1. Foguete: idealizado pelo peruano Pedro Paulet

Ele é chamado de pai da Era espacial, nasceu na cidade de Arequipa, em 1874, e, quando ainda era uma criança, leu Da Terra à Lua, de Júlio Verne, que serviu de grande inspiração para trabalhar com a ideia de ir ao Espaço.

Pedro recebeu uma bolsa para estudar na Universidade Sorbonne, em Paris, e quando ainda estava na França, pensou em um projeto para construir uma máquina voadora que chegasse ao Espaço usando um motor alimentado por combustível líquido ao invés de pólvora. Paulet nunca viu o foguete ser construído, mas o mundo todo brigou pelo seu desenho e pela sua ideia de combustível, incluindo Hitler, que o queria para jogar mísseis, e Henry Ford, para o motor de seus carros.

Um exemplar pode ser visto no Museu Aeronáutico do Peru.

2. A televisão colorida, criada pelo mexicano Guillermo González Camarena

Guillermo nasceu em Guadalajara, em 1917, e ainda muito jovem se mudou para a Cidade do México. Ele era um rapaz muito inteligente e construía seus próprios brinquedos (alguns com motores elétricos). Seu interesse pela engenharia surgiu aos 17 anos, quando criou uma câmera com diferentes partes de um velho rádio.

A invenção o deixou muito animado a tentar criar uma televisão em cores. Aos 21 anos, Guillermo fez a primeira transmissão em cores no seu país graças ao que ele chamou de ’adaptador cromoscópico para aparelhos televisores’.

3. O avião foi inventado pelo brasileiro Santos Dumont

Santos Dumont nasceu no Brasil e, pouco tempo depois, foi com a família para Paris, onde passaria grande parte da vida. Em 1898, começou a construir globos esféricos que voavam pela cidade. Pouco tempo depois, percebeu que aquele formato não facilitava a elevação. Por isso, passou a construir objetos cilíndricos.

Suas inúmeras tentativas o transformaram em um homem muito famoso em Paris, principalmente quando ele lançou um serviço de viagens em suas máquinas. Após alguns anos, Santos Dumont passou a desenhar aeroplanos, chegando a voar 220 metros a 6 metros de altura com seu famoso 14 Bis, em 1906.

4. Pílula anticoncepcional, inventada pelo químico mexicano Luis E. Miramontes

Luis nasceu em Nayarit, no México, em 1925. Quando jovem, estudou engenharia química na Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM). Ele sempre se destacou como uma pessoa muito inteligente. Com apenas 25 anos, já trabalhava no laboratório Syntex onde, junto com o orientador da sua tese, Carl Djerassi, propôs a criação de um anticoncepcional oral produzido com esteroides. Um ano depois, Luis já havia descoberto o composto químico para a pílula, que foi produzida em conjunto com o médico Gregory Pincus.

5. Datiloscopia comparada: idealizada pelo argentino Juan Vucetich

Vucetich nasceu na Croácia e emigrou para a Argentina com sua família. Quando tinha 30 anos, começou a trabalhar para a polícia de Buenos Aires, onde criou um sistema de identificação de pessoas (isso aconteceu em 1891).

Com base em pesquisas de impressões digitais do cientista Francis Galton, Vucetich criou um sistema mais confiável de classificação de pessoas. Um ano depois, ele identificou a primeira suspeita de cometer um crime: Francisca Rojas, a primeira pessoa da história condenada por meio de uma prova de impressão digital.

6. O bypass vascular, produto do argentino René Favaloro

Favaloro nasceu em La Plata, em 1923, e estudou Medicina na mesma cidade. Ao se formar, começou a profissão como médico no Hospital Policlínico e depois se mudou para a aldeia rural de Jacinto Arauz.

Algum tempo depois, decidiu se especializar nos Estados Unidos em cirurgia do tórax, onde idealizou a técnica do bypass para restaurar a circulação de sangue em caso de artérias bloqueadas. Sua invenção ajudou a salvar muitas vidas, uma contribuição incalculável para a humanidade.

7. A tecnologia do telefone sem fio foi obra do brasileiro Roberto Landell de Moura

Roberto Landell de Moura foi um padre católico gaúcho, cientista e inventor que, em 1899, conseguiu transmitir uma mensagem de áudio a 7 km de distância sem usar fios. “O aparelho transmite cada palavra com toda a naturalidade”, anunciou o Jornal do Comércio do Rio de Janeiro.

Ele estudou Física em Roma e foi um dos primeiros a conseguir a transmissão de som e sinais telegráficos sem fio por meio de ondas eletromagnéticas, o que daria origem ao telefone e ao rádio. Contudo, para algumas pessoas esse pioneirismo ainda é motivo de polêmica.

8. Vacina contra a lepra, inventada pelo médico venezuelano Jacinto Convit

Enquanto estudava medicina na Universidade Central da Venezuela, o médico Martín Vegas convidou Jacinto Convit a acompanhá-lo a uma casa com pessoas que sofriam de lepra.

Naquela época, havia um enorme preconceito com os doentes. Alguns chegavam a ser presos. Jacinto, por outro lado, sempre mostrou uma maneira muito humana de tratar os seus pacientes. A experiência o inspirou a se especializar em Dermatologia, decisão que não mudaria apenas a sua trajetória, mas a história da Medicina. Foi assim que teve ferramentas para criar a vacina contra a lepra, após uma intensa e longa pesquisa.

9. A caneta foi invenção do argentino Ladislao José Biro

José Biro nasceu na Hungria e viveu no país até os 41 anos, quando se mudou para a Argentina. Ele se naturalizou argentino e ficou conhecido por ser o criador da caneta comum e a primeira pessoa a produzir e comercializar uma caneta de ponta redonda e tinta seca, a esferográfica.

Na década de 30, Biro descobriu que as tintas de impressão secavam rapidamente. Por isso, decidiu criar uma ponta com uma tinta parecida. Ao lado de seu irmão, o químico Georg, ele aperfeiçoou a fórmula da tinta. Pouco tempo depois, sua invenção foi patenteada e comercializada mundialmente. As esferográficas foram usadas pela primeira vez em aviões das forças aliadas durante a Segunda Guerra Mundial.

10. O brasileiro Hércules Florence, um pioneiro da fotografia

Junto com Niepce, Daguerre, William Fox Talbot e Hippolythe Bayard, Florence é considerado um pioneiro da fotografia. Em 1833, ele inventou um método fotográfico para reproduzir imagens em papel. Hércules foi o único dos 5 a chamar a criação de ’fotografia’.

Ele nasceu na França e veio ao Brasil ainda muito jovem. Em terras brasileiras, passou por algumas dificuldades financeiras e, em 1860, inventou a ’poligrafia’, a impressão por meio do pó. O que o inventor não sabia era que Niepce, Daguerre, William Fox Talbot e Hippolythe Bayard estavam pesquisando a mesma coisa do outro lado do oceano.

11. Os códigos Captcha, produto do gênio Luis von Ahn, da Guatemala

Quando Luis tinha 8 anos, queria muito um Nintendo de presente. Ao invés disso, sua mãe lhe deu um computador. Apaixonado pela informática, o presente mudaria a sua vida.

Com apenas 13 anos, Luis criou seu primeiro programa de computador. Ele estudou nas universidades de Duke e de Carnegie Mellon. O aprendizado o ajudou a criar um sistema que identifica quem é humano e quem é um robô digital em sites. Pouco tempo depois, o Google comprou sua invenção.

12. O stent foi ideia do argentino Julio C. Palmaz

Julio C. Palmaz estudou medicina na Universidade Nacional de La Plata e se mudou para os Estados Unidos para fazer uma especialização em radiologia na Universidade do Texas, onde criou o stent. Esse dispositivo expansível de forma tubular reabre as artérias obstruídas, evitando o entupimento das vias de sangue ao coração.

Sua contribuição é indiscutível e até hoje há pesquisas para pensar em novos dispositivos que possam salvar mais vidas.

Os dispositivos que mostramos são apenas alguns exemplos que deveriam encher os latino-americanos de orgulho. Se você conhecer alguma outra história, compartilhe nos comentários!