Estudo sugere que ganhar experiências é mais gratificante que receber objetos como presente

Você já parou para pensar, que, no seu aniversário ou no natal, por exemplo, o tipo de presente que recebe (independentemente do valor) pode fazer uma grande diferença? Um estudo publicado no Journal of Costumer Research avaliou os efeitos que os diferentes tipos de presentes podem fazer nas pessoas em termos de satisfação pessoal. Esses presentes foram divididos em experiências — como férias e jantares — e bens materiais — como roupas, joias e eletrônicos.

O Incrível.club ficou interessado em saber um pouco mais sobre esse tema e traz, em primeira mão, seus resultados.

Presentes materiais versus experiências

Primeiro, como a pesquisa definiu, os presentes materiais, como joias ou objetos eletrônicos, são aqueles dados para alguém ficar com eles. Já as experiências (como viagens ou ingressos para um concerto) são algo que tende a durar menos, mas a ser mais intenso.

Os resultados mostraram que ser presenteado com uma experiência é mais gratificante do que com um bem material. As experiências oferecem maior satisfação, menos arrependimento e geram mais felicidade. No entanto, parece que as pessoas estão mais inclinadas a dar presentes materiais. Segundo o estudo, 78% dos 279 participantes deram presentes materiais, porque acreditam na sua maior durabilidade.

As experiências geram emoções mais fortes

Diante do exposto, os pesquisadores anteviram que os presentes “experimentais” trariam maiores benefícios do que os materiais, porque uma experiência gera maior intensidade emocional. Com isso, lançaram duas hipóteses:

  • Por parte do receptor, os presentes experimentais fortalecem mais as relações do que os materiais, independentemente de o presente ser consumido junto com quem o recebeu.
  • Apreciar presentes experimentais tende a evocar emoções mais intensas do que “consumir” presentes materiais.

Para avaliar essas hipóteses, foram realizados 4 experimentos. No primeiro teste, várias pessoas receberam presentes de valores equivalentes a 61 reais — tanto experimentais quanto materiais — para entregar a algum conhecido.

No segundo teste, os participantes receberam uma xícara de café para dar a alguém que conheciam. No terceiro e quarto testes, os participantes se lembraram dos presentes materiais ou experimentais que já receberam.

As relações entre o doador e o receptor

Os resultados mostraram, a partir do primeiro teste, que os presentes experimentais melhoram as relações entre o doador e o receptor. Para o segundo teste, que buscou demonstrar se um presente material também pode alcançar o mesmo efeito, ficou claro que as pessoas ainda preferem presentes experimentais, sem se importar se gostaram ou não da xícara de café. Em um nível mais emocional, nas avaliações 3 e 4, os cientistas provaram que os presentes que oferecem algum tipo de experiência trazem mais benefícios positivos.

Nem todos os presentes são igualmente bons

A pesquisa demonstrou que nem todos os presentes são igualmente benéficos para todos. Os cientistas destacam que os presentes materiais são menos efetivos socialmente e que ganhar uma experiência é mais gratificante emocionalmente do que receber algo material.

E você prefere dar bens materiais ou experiências de presente? E na hora de ser presenteado, qual sua preferência? Conte para nós na seção de comentários!

Compartilhar este artigo