Incrível
Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração
Incrível

Por que criar uma garota muito boazinha é um dos piores erros que os pais podem cometer

Há pais que se esforçam para criar a filha perfeita. Uma mulher que seja respeitosa, gentil e que assuma o papel do estereótipo “garota ideal”, como a sociedade espera. Mas “treiná-la” para ser essa pessoa impecável ao longo da vida pode funcionar contra ela mesma, com resultados prejudiciais e até mesmo devastadores.

Nós, do Incrível.club, acreditamos que a gentileza é necessária no mundo, mas deve ser usada com cuidado e cautela. Aqui estão sete razões para isso:

1. Pode se tornar difícil para ela construir relacionamentos duradouros

Todo mundo quer ter uma amiga carinhosa. Mas se uma mulher estiver sempre focada em agradar as pessoas, há grandes chances de que seus amigos tirem proveito dessa atitude e só a procurem quando precisarem da sua ajuda. Portanto, os relacionamentos se tornam falsos e superficiais. E relacionamentos supostamente românticos podem se tornar sem sentido e infelizes ou, pior ainda, abusivos.

2. As pessoas podem desconfiar da sua bondade

Por ser muito altruísta, a garota pode passar a imagem de que não é tão digna de confiança. Isso ocorre porque as outras pessoas podem achar que existe um motivo oculto por trás da sua bondade e começarão a questionar essa atitude. Dessa maneira, ela não só será tratada com desconfiança, mas também pode ser vista como fraca por sempre ser subserviente aos outros e não ter voz própria.

3. Ela não terá tempo para si mesma

Existe um ditado que diz que você deve “se ajudar primeiro, antes de ajudar os outros”. O problema das pessoas muito boas é que tendem a colocar os outros em primeiro lugar. Se você criou uma princesinha perfeita e altruísta, ela fará todo o possível para servir e agradar as outras pessoas. Consequentemente, não será gentil consigo mesma e esquecerá de se cuidar, o que pode resultar em exaustão e doença.

4. Ela pode ser facilmente manipulada e colocada em perigo

Uma pessoa excessivamente compassiva e que cuida de todos pode ser ingênua e cega em situações prejudiciais e ter atitudes inadequadas. Além disso, dá oportunidade para as pessoas exercerem o controle sobre ela, aproveitando do seu bom coração e da sua aptidão em agradar todos. O desejo constante de ajudar os outros pode colocá-la em risco de ser abusada, por ser incapaz de dizer não.

5. Ela pode não ir muito longe em sua carreira

Muitas mulheres mais velhas tendem a se arrepender de “milhões de oportunidades perdidas”, sem motivo. E estudos revelam que ser excessivamente gentil pode “não ser positivo”, quando se trata de negócioscarreira. Por ser uma pessoa imensamente bondosa, atendendo às necessidades dos outros, uma mulher assim não conseguirá se concentrar em si mesma e em seus objetivos de carreira. Concentrar-se em fazer com que os outros tenham sucesso não permitirá que atinja todo o seu potencial e alcance seus sonhos e desejos.

6. Ela pode cair em maus hábitos

Agradar os outros e fazê-los felizes pode se transformar em um vício e pode retardar qualquer esforço para se tornar independente. O ato de servir demais os outros pode levar a outras atitudes prejudiciais e a alguns vícios, como comer demais, gastar demais e se doar demais, o que a deixará esgotada constantemente e a colocará em perigo.

7. Ela pode ter problemas de saúde mental

O ato de se doar constantemente pode ser exaustivo. A pessoa pode esconder seu cansaço e tristeza por trás de sorrisos, porque está sempre dando algo, mas não recebendo. Ao guardar tudo para si mesma, pode se tornar vítima de ansiedade, depressão e de outros comportamentos viciantes, fazendo com que se torne escrava da infelicidade.

Você acredita que existe algo positivo em ser uma pessoa muito boa? Ou talvez você fosse aquela criança que foi criada para ser sempre legal com os outros? Se isso ocorreu com você, quais os problemas e dificuldades que enfrenta agora, na fase adulta?

Compartilhar este artigo