Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Como eram na vida real algumas figuras históricas que só víamos nos livros

Em 1887, Hermann Schaaffhausen, um antropólogo alemão, foi o primeiro a tentar reconstruir a aparência de uma pessoa do período Paleolítico através de um fóssil do crânio. Hoje em dia, graças ao avanço da tecnologia, o método de reconstrução facial avançou suficientemente para podermos comparar a aparência real das figuras históricas com os retratos antigos e esculturas, e também ver como nossos antepassados mais antigos se pareciam.

Incrível.club preparou uma lista de como figuras históricas se pareceriam na vida real através do recurso de recriação facial a partir de retratos e do crânio. O resultado é surpreendente, confira!

Rainha Elizabeth I

Em 2018, o artista britânico Matt Collichow apresentou seu projeto “A Máscara da Juventude”, uma recriação do rosto da rainha Elizabeth I. Quando ela assumiu o trono, tinha apenas 25 anos. O reinado da rainha é chamado de “A Era de Ouro” da Inglaterra.

Nero

O artista espanhol Salva Ruano criou o projeto “Césares de Roma”, no qual reconstruiu os rostos dos imperadores romanos Nero, Augusto e Calígula. Para transmitir a aparência dos imperadores romanos com a maior precisão possível, o artista estudou moedas com imagens deles e todas as fontes que estavam disponíveis.

Nero tornou-se imperador aos 16 anos. No início de seu reinado, ele se mostrou um bom e prudente administrador, mas na segunda metade mostrou sua natureza tirana.

Augusto

Augusto era sobrinho-neto de César e foi o fundador do Império Romano. Ele expandiu significativamente as fronteiras do estado e se tornou o primeiro imperador romano no sentido moderno da palavra.

Calígula

O imperador Gaius Julius Caesar Augustus Germanicus, apelidado de Calígula, era um governante cruel e tirano, embora no início de seu reinado ele tenha se mostrado um homem moderado e piedoso. Ele governou o Império Romano por apenas 4 anos e foi assassinado em um golpe da guarda pretoriana.

Nicolau, o operador de milagres (Papai Noel)

Os cristãos chamam São Nicolau de Operador de Milagres. No Oriente, ele é considerado o santo padroeiro dos viajantes, órfãos e prisioneiros, e no Ocidente, é conhecido por todos como Papai Noel.

Em 2014, cientistas britânicos reconstruíram o crânio de São Nicolau. Sua altura era de cerca de 1,68 m, e sua cabeça era redonda e com uma mandíbula grande.

Calpeia, viveu há 7,5 mil anos

Em 1996, os restos mortais de uma mulher, que viveu há 7,5 mil anos durante o período neolítico, foram encontrados na península de Gibraltar. Ela recebeu o nome Calpeia — o nome da rocha onde a mulher foi encontrada. Seu crânio foi deformado, mas recentemente, com a ajuda de tecnologias de reconstrução facial, os cientistas conseguiram restaurá-lo e reconstruir a aparência de Calpeia em apenas seis meses. Eles descobriram que ela era morena, de olhos escuros e que morreu entre 30-40 anos de idade.

Senhor de Sipán

Em 1987, o arqueólogo Walter Alva descobriu uma tumba no norte do Peru, conhecida como tumba do Senhor de Sipán. Um governante do alto escalão da Civilização Moche que foi enterrado junto com 8 pessoas. Em 2016, os antropólogos reconstruíram sua aparência com ajuda do DNA e da tecnologia e descobriram que ele sofria de artrite e morreu entre 45 e 55 anos.

Maria Madalena

Em 2017, o antropólogo da Universidade de Versalhes, Philippe Charlier, e o especialista em reconstrução facial forense Philippe Froesch, reconstruíram a aparência de Maria Madalena. Para recriar sua aparência, eles tiraram mais de 500 fotografias do crânio, de diferentes ângulos, e criaram um modelo computadorizado tridimensional. No entanto, segundo os cientistas, eles não têm certeza absoluta de que o crânio realmente era de Maria Madalena.

Meritamon

Meritamon era a rainha do Egito Antigo e filha do faraó Ramsés II. Seu túmulo foi descoberto no início do século XIX por Karl Richard Lepsius, um arqueólogo alemão. Em 2016, cientistas australianos da Universidade de Melbourne reconstruíram o crânio da rainha. Para fazer isso, eles usaram uma impressora 3D e um aparelho de tomografia computadorizada. Demorou 140 horas para imprimir todos os fragmentos do crânio.

Robert I da Escócia

Robert I, ou Robert de Bruce como também era conhecido, foi um dos maiores monarcas escoceses e o fundador da dinastia Bruce. Foram feitas várias reconstruções faciais de Robert I. Os cientistas propuseram hipóteses de que ele sofria de hanseníase, mas se recusaram a tirar uma conclusão final devido à falta de dados, então recriaram a aparência do monarca em duas versões: com traços da doença em seu rosto e sem eles.

William Shakespeare

William Shakespeare é considerado um dos maiores dramaturgos do mundo. Após sua morte, havia muitas dúvidas sobre a autoria de suas obras. Um dos questionamentos era que o vocabulário do dramaturgo variava de 17.500 a 29.000 palavras, mas não havia nenhuma evidência de sua educação.

Em 1849, uma máscara mortuária de Shakespeare foi encontrada na Alemanha. Com base nela, um grupo de antropólogos britânicos da Universidade de Dundee recriou o rosto do famoso dramaturgo inglês.

Se você tivesse a oportunidade de conversar com qualquer figura histórica, quem seria? Conte para a gente na seção de comentários.