20 Pessoas revelam os segredos de empresas e nos fazem pensar: “Só pode ser brincadeira!”

Gente
há 11 meses

Ao longo do tempo em que trabalhamos em uma firma, não é incomum que ganhemos alguns direitos, benefícios, e claro, ainda mais experiência no cargo em que atuamos. Por outro lado, também acabamos descobrindo segredos que somente os funcionários sabem. Algumas pessoas, após se desligarem de suas respectivas empresas, contam o que elas gostariam de manter guardado a sete chaves — e nós, é claro, trazemos em primeira mão!

  • Ex-funcionário de uma fábrica de guardanapos: “O papel embalado é exatamente o mesmo, independente da marca. Nós usávamos várias embalagens de clientes diferentes e só mudava o rótulo. E por ser maquinário antigo, o serviço era, em sua maior parte, manual. Ou seja, passava na mão de muita gente até embalar, e não tinha como utilizar luvas”. © Carmen Van Boemel / Facebook
  • Trabalhei em um restaurante famoso no Rio de Janeiro e pode-se dizer que tudo era reaproveitado. Os bacons dos churrascos que voltavam nos pratos eram reutilizados para as farofas, feijão tropeiro, e etc., Além disso, havia uma lava-louças enorme que, apesar da água quente e do detergente da melhor qualidade, não garantia a higiene da comida, ainda que a louça em si saísse impecável. © Ana Cristina Dos Santos / Facebook
  • Ex-funcionária de um frigorífico de frango: “As carnes temperadas são as que permanecem muito tempo sem refrigeração e ficam com mal cheiro. Jogam dentro de uma máquina de tempero por 1 hora e embalam. Os embutidos são feitos de ossos, peles, e carnes ’perdidas’. Eles passam por uma máquina que tritura tudo e faz salsicha, steaks e linguiça”. © Rita de Cássia Silva / Facebook
  • Minha vizinha trabalhava em um hotel famoso que ficava em Balneário Camboriú. Ela contou que, após os hóspedes irem embora, as banheiras eram secas com as toalhas que eles haviam utilizado, para reaproveitá-las. © Jak Tina’s / Facebook
  • Minha família é dona de uma empresa de laticínios: O leite de verdade é bem mais saboroso, encorpado, levemente amarelado, e mais gorduro do que o “de caixinha” que parece água. De onde vocês acham que vem a manteiga, a nata fresca e o creme de leite? Sim, eles tiram tudo e vendem como leite o que sobra, aquela “água” que bebemos. © Claudia Cavichiolo / Facebook
  • Trabalhei para a indústria automobilística: Nunca compre o “carro do ano” de qualquer modelo, pois leva cerca de um ou dois anos para que os problemas que não foram detectados no processo de desenvolvimento apareçam, e os engenheiros possam consertá-los. © Top-Sundae-8458 / Reddit
  • Trabalhei seis anos como camareira em hotéis: cobertores pesados e edredons normalmente não são lavados toda vez que são usados. Eu poderia escrever um livro contando também as coisas que os hóspedes deixam e fazem nos quartos. Alguns usam toalhas de rosto como tapete de banheiro, mesmo tendo um. © Janaina Jesus / Facebook
  • Trabalhei em um restaurante finíssimo. Eu lavava as louças tão bem que fazia muita espuma, e demorava para enxaguar. Daí, uma moça que estava lá há mais tempo me mostrou como eles realmente lavavam as coisas: era uma gota de sabão, ou seja, basicamente lavavam somente com água. Pois diziam que assim era mais rápido. Fiquei apavorada! © Cinthya Fonseca / Facebook
  • Trabalhei em uma lavanderia que atendia quatro hotéis, e lavávamos as roupas de cama e toalhas desses locais. Os donos, para economizar com os produtos, faziam um serviço “meia boca” por “baixo dos panos”. Saí de lá por causa dessas imundices que eles faziam com os clientes. © Priscilla Costa / Facebook
  • Sou ex-funcionário da indústria de alimentos: Os milhos de pipoca “premium” e os comuns são os mesmos. Eles só colocam os grãos em embalagem diferentes com a finalidade de vender o produto bem mais caro. © Fabiana Reis da Costa / Facebook
  • Trabalhei numa empresa que terceirizava o serviço de call center para uma faculdade famosa. Eles obrigavam a cobrar as pessoas que apenas fizeram a inscrição para o vestibular como se elas estivessem matriculadas de fato, quando na verdade apenas não haviam feito nenhum tipo de cancelamento. O motivo era que: os vendedores, para ganhar comissão, davam os dados das pessoas como se já fossem alunos devidamente matriculados. Tinha gente devendo quase R$ 6 mil de mensalidades supostamente atrasadas, mas que nunca pisaram na Universidade. © John Elson / Facebook
  • Quando você está fazendo compras em lojas de departamento e ouve os alto-falantes dizendo códigos e números desconhecidos, saiba que, na maioria das vezes, eles são escolhidos aleatoriamente para o caso de alguém estar furtando um produto. Assim, essa pessoa ficaria paranoica pensando que está sendo observada e possivelmente desistiria do ato. © kimblebee18 / Reddit
  • Meu irmão estagiou na cooperativa de laticínios da minha cidade e contou que eles recolhiam o leite vencido no comércio, levavam para a empresa, embalavam novamente ou simplesmente remarcavam a validade. © Maria de Lourdes Silva / Facebook
  • Sou ex-funcionário de um supermercado de grande porte: A maioria dos queijos embalados manualmente são os que não venderam na embalagem original e estão vencidos. Nesse caso, modificam apenas a data de validade, colocando uma nova. Por isso agora não compro nada que não seja embalado de fábrica. © Raí Amaral / Facebook
  • Trabalhei em uma ótica, e sabe aquela armação maravilhosa que custa cerca de R$ 350? Para o dono da ótica, elas são passadas por menos de R$ 20, e inclusive chegam em saquinhos que não garantem nenhuma proteção. Quando seus óculos entortam, ou a armação quebra, saiba que nós a levamos para uma salinha e fazemos o que você poderia ter feito em casa com as próprias mãos, apertando com uma pequena chave de fenda, ou no máximo colocando em uma máquina de ar quente. Eu fiquei espantada quando descobri! © Brenda Lima / Facebook
  • Quando for dormir num hotel ou pousada, averigue as adjacências da cama e em baixo dela. Se encontrar bolinhas, a probabilidade de aquela cama ter percevejos é bem grande. © Caio Veras / Facebook
  • Trabalhei em padaria e os tais “pão de batata” e “pão de aipim”, que as pessoas consomem comumente, na verdade são pães caseiros. Eles vendiam três pães diferentes e só mudavam a embalagem. Fiquei indignada, mas precisava do trabalho na época. Depois de um tempo, contudo, acabei saindo. © Eudineia Costa / Facebook
  • Sou da indústria do turismo, e aqui vai uma dica: Se você procurar por um destino na alta temporada, esteja ciente de que haverá preços mais baratos no início e no final da temporada. Isso se dá porque os trabalhadores que fazem “um bico” nessa área estão ansiosos para começar a ganhar dinheiro no início, e demasiadamente esgotados no seu final. Por isso, cobrarão mais barato! © firebired_sweet / Reddit
  • A razão pela qual as celebridades sempre ficam bem com o que vestem é que as roupas são feitas sob medida para que fiquem perfeitas em seus corpos. Quem fica responsável por comprá-las opta ocasionalmente por um tamanho próximo ao que o famoso em questão veste e depois leva as peças para uma costureira, para aí sim, entregá-las. Isso vale, inclusive, para as camisetas. © EndlesslyUnfinished / Reddit
  • Quando o atendente do call center falar: “Só mais um momento” várias vezes e ficar progressivamente mudo, ele está ouvindo o que você fala e provavelmente conversando com o colega sobre outros assuntos, somente para segurar sua ligação. © Jaqueline Silva / Facebook

Há algo sobre uma das empresas em que você trabalhou, que muitos não imaginariam? Conte na aba dos comentários! Adoraríamos ouvi-lo! 😉

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados