Incrível
Incrível

A história de um pai que não se cansa de demonstrar o amor por sua filha

Foram raras as vezes que ouvi meu pai dizer “eu te amo”. Na verdade, eu mal consigo me lembrar da última vez que isso aconteceu. Ele não costuma me abraçar. Não que essas coisas sejam um problema. Meu pai decidiu dizer “eu te amo” com atitudes. Da infância à vida adulta, tive o privilégio de poder dividir muitos momentos de qualidade ao lado dele. Quando temos um pai tão presente assim, o resultado é ter lembranças impossíveis de serem esquecidas.

Meu nome é Dayse e, hoje, resolvi compartilhar com o Incrível.club momentos marcantes e de muito amor que tenho a oportunidade de viver ao lado do meu grande pai, Roberto. Confira!

Meu pai é daqueles que dizem apenas “Ok” em mensagens de WhatsApp, mas quando vou visitá-lo me enche de atenção. Ele está casado com minha mãe há mais de 40 anos. Sempre que chego à casa deles, logo na entrada, já sinto um delicioso aroma do jantar que meu pai está preparando. Um arroz fresquinho é sempre garantido. Por isso, papai faz questão de pedir que eu o avise quando aparecerei por lá, para poder me receber da melhor maneira possível.

Com meu pai aprendi muitas lições, sobre a vida e mesmo sobre matérias escolares. Meu pai não terminou os estudos, mas me ensinou coisas que não consegui aprender na escola.

Quando criança, muitas vezes precisei acompanhar meu pai até o trabalho para não ficar sozinha em casa. Na garupa da bicicleta, eu seguia com ele. Lembro-me de sempre me dizer “Cuidado com os raios, filha”, por receio de meus pés ficarem presos nos raios da bike. Esse também era um momento que podíamos conversar. Um tempo para lá de proveitoso no qual ele me ajudava a entender matemática. Sim! Enquanto pedalava, meu pai me ensinava algarismos romanos e tabuada, que eram minhas dificuldades escolares da época.

Vi meu pai construindo casas do alicerce ao acabamento. Um pedreiro e tanto. Ele lutou muito para que não faltasse nada em casa, em todos os aspectos, materiais e sentimentais.
Inclusive, preocupava-se muito com o meu bem-estar (talvez até mais que o seu próprio).

Tenho na memória uma situação que diz muito sobre isso: fiz um treinamento profissionalizante de uma semana, e o lugar era perto do trabalho do meu pai. No horário de almoço desse treinamento, meu pai aparecia todo feliz para me levar a marmita, que era bem caprichada. Enquanto comia, aproveitava para conversar com ele. Uma vez lhe perguntei: “Você já comeu, não é, pai?” E ele: “Sim, no serviço”.

Muito tempo se passou, cerca de dez anos ou mais, e em uma dessas conversas casuais de família, meu pai comentou que me dava a sua marmita, na época do treinamento. Fiquei sem reação, e ele me disse que comia um pouco e deixava o restante para mim. A marmita parecia intocada, por isso custei a acreditar que ele, de fato, tivesse aproveitado algo da refeição. Como disse, meu pai era pedreiro, um trabalho pesado, precisava se alimentar bem, mas, com o seu grande amor paterno, não viu problema em compartilhar a marmita comigo.

Sempre muito presente em minha vida, celebramos juntos minhas conquistas, me apoiou em momentos difíceis com seus sábios conselhos, e me fez rir várias vezes (mesmo das histórias e piadas repetidas). Eu crescia a olhos vistos. Cheguei à adolescência e foi a vez de comentar com meus pais que os apresentaria ao meu primeiro namorado. Meu pai, nitidamente emocionado (apesar de não derrubar uma só lágrima), disse: “Lembre-se de que você será sempre a minha menininha”, ou seja, que não importa o quanto eu cresça, o cuidado e o carinho dele permaneceriam iguais.

Certa vez, ouvi uma frase: “Uma filha nunca deve aceitar menos amor de um marido do que recebeu de seu pai”. Bom, não é por acaso que hoje estou casada com um homem maravilhoso. Sou mesmo uma mulher de sorte!

Conforme envelheço, reconheço mais e mais a forte influência que um pai pode exercer na vida de um filho. Existem muitas formas de dizer “eu te amo” a um filho, e meu pai decidiu fazê-lo com atitudes. Só quero que ele saiba que jamais o desampararei na velhice e que seus ensinamentos e seu amor nunca serão esquecidos.

Você concorda que um pai exerce forte influência na vida dos filhos? Qual foi o gesto que seus pais fizeram por você que mais te marcou? Compartilhe conosco nos comentários! Também adoraríamos ver suas fotos e conhecer suas histórias.

Incrível/Crianças/A história de um pai que não se cansa de demonstrar o amor por sua filha
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos