Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

17 Internautas que têm péssimas lembranças da infância quando o assunto é comida

As memórias dos pratos que comemos na infância podem permanecer conosco pelo resto da vida e influenciar nossas preferências na vida adulta. E os relatos do nosso post de hoje são exemplos disso. Afinal, algumas pessoas crescem acreditando que vegetais são ruins “apenas porque são saudáveis” e que, “se a comida não tiver uma crosta preta em cima, significa que ainda não está pronta”. No entanto, todos são unânimes: a comida da vovó era sempre a mais gostosa.

Nós, do Incrível.club, ficamos impressionantes com os relatos de internautas que cresceram em famílias nas quais a comida era tratada simplesmente como uma fonte de energia. O que é uma pena, pois acreditamos que uma comida gostosa é parte importante de uma infância feliz. Confira!

  • Tinha uma coisa que minha mãe chamava de molho de hambúrguer, mas à qual me refiro como ensopado de cola. Era feita apenas com água, carne de hambúrguer barata e farinha. Ela fervia a água e jogava a carne sem refogar. Então, adicionava a farinha para engrossar o caldo, transformando-o em algo que viraria um pudim se esfriasse. Um pouco de pimenta para dar sabor era adicionado no fim. Essa gororoba era servida com grandes quantidades de batata, que poderia até ser um purê, mas sem manteiga e leite. Pode não parecer uma receita muito boa, mas era barata, fácil e enchia nossas barrigas famintas. © Dan Hunter / Quora
  • As únicas lembranças boas da minha infância são frango frito e sopa de batata polonesa. Quase todo o resto era terrível. Entendo que a minha mãe estava com pressa e tentando alimentar 2 crianças famintas, mas lembre-se: quando você estiver com pressa, não tente fazer sopa de cebola francesa porque vai ficar ruim. A sopa, para ser devidamente preparada, deve ter as cebolas caramelizadas na manteiga por cerca de 45 minutos. Depois, basta adicionar o vinho branco, o caldo, o alho, o molho inglês e cozinhar por mais 30 minutos. Você também vai precisar de croutons, queijo Gruyère... Eu juro, minha mãe apenas cozinhava as cebolas no caldo e servia com uma fatia de queijo suíço. © tattooedBetty / Reddit
  • Ela era uma ótima mãe e sempre estava lá se eu precisasse dela, mas eu e meus irmãos evitávamos sua comida! Ela apenas descascava as batatas, as fervia até ficarem pastosas e, depois, as levava para o espremedor para fazer purê. O pior purê que já provei. Durante anos pensei que todo purê era igual e me recusava a comer. Hoje em dia, amo purê. Outro coisa ruim era a fritura. Se o fogo não estivesse alto, então não ia assar a comida; essa era filosofia da minha mãe. Linguiça, ovos, peixes... Na verdade, qualquer coisa frita, se não tivesse uma crosta preta, não estava pronta! O cheiro de bacon queimado impregnava a casa sempre que algo estava no fogo. Por fim, até comecei a gostar de linguiça queimada. © USCSS-Nostromo / Reddit
  • Quando era pequeno, achava que era normal os vegetais terem um gosto horrível. Na minha cabeça, eles eram como os remédios. Se faz bem para você, tem um gosto ruim. Só quando me tornei adulto e comecei a cozinhar para mim mesmo, percebi que não se pode cozinhar vegetais por mais de 20 minutos; caso contrário, eles viram uma pasta. Os brócolis cozidos demais são um pesadelo. Acontece que mesmo vegetais “ruins” podem ser deliciosos se feitos com o tempero certo. Eu amo muito minha mãe, mas, para além da sua sopa de lentilha “viril” (em que a colher fica, literalmente, reta quando colocada na tigela e que é capaz de alimentá-lo por uma semana), sua comida deixava muito a desejar. © Adam Greenan / Quora
  • A comida da minha mãe era... vamos dizer que tudo era extremamente bem cozido. Até demais. Noite de espaguete? Um horror! O espaguete da minha mãe consistia em macarrão excessivamente cozido e um daqueles pacotes de molho de tomate industrializado da seção de especiarias do supermercado misturado com água. Sem carne, sem queijo parmesão, apenas molho aguado e macarrão morto. Pizza? A primeira vez que vi queijo e outras coisas em uma pizza, recusei-me a comer. A pizza da minha mãe consistia em massa e molho de tomate. Acreditava seriamente que essa era a única pizza de verdade. Felizmente meus amigos me convenceram e eu experimentei uma fatia de pizza de queijo e pepperoni. Minhas papilas gustativas explodiram de alegria. © Stephen Wernick / Quora
  • Eu literalmente odeio tudo que meu pai cozinha. Ele pega uma carne excelente e a coloca em uma panela elétrica com nada além de água, deixando-a cozinhar por várias horas! Também coloca todos os ingredientes em uma frigideira sem antes aquecê-la, usa uma tábua de vidro para cortar as coisas e considera o micro-ondas “o melhor utensílio da cozinha”. © artgarfunkadelic / Reddit
  • Minha sogra é conhecida por ser uma péssima cozinheira. Existe até uma citação na família que diz o seguinte: “Cozinhe em fogo alto até que a comida esteja seca” — e isso se refere à sua culinária. Ela usa o alarme de incêndio como cronômetro de cozinha. Quando queimamos algo, fazemos uma brincadeira dizendo que é a “essência da mamãe”. Felizmente, minha esposa aprendeu a cozinhar com a avó e com o primo, não com a mãe. © zerbey / Reddit
  • Quando comecei a morar com meu marido, ele deixou claro o que gostava de comer e de quais alimentos não gostava. A propósito, ele come quase tudo, com exceção de sopa de vegetais (que considera “uma salada de entrada”; então sempre sirvo separada), macarrão à bolonhesa e vinagre — que já não posso adicionar à comida. Tudo bem, vivemos em paz sem bolonhesa. Mas, um dia, eu queria tanto comer macarrão que fiz uma panela pequena só para mim. Satisfiz meu desejo, e ainda tinha sobrado uma porção. Pensei na hora: “Amanhã como o resto quando voltar do trabalho”. E cozinhei para meu marido seu amado purê com carne. Então, no dia seguinte, quando voltei do trabalho, encontrei meu marido na cozinha comendo meu macarrão... Em sua defesa, ele disse que não gostava do prato porque, quando era criança, sua avó preparava bolonhesa com uma carne ruim e usava um óleo fedorento. Mas, quando viu o que fiz, decidiu olhar, cheirar — e o resto já sabemos. Acho que, no fim, ele percebeu a minha surpresa escancarada ao vê-lo devorar o meu jantar. © Lozbenidze / Pikabu
  • Finalmente consegui convencer minha mãe de que caldo de galinha e canja de galinha são duas coisas distintas. Ela também aprendeu que retirar a carne e os vegetais que ficaram fervendo por horas no caldo e, então, adicionar carne e vegetais frescos é muito melhor do que servir uma sopa de mingau e borracha. © DonOblivious / Reddit
  • Almôndegas. Malditas Almôndegas! Venho de uma família italiana, mas minha mãe as cozinhava tão mal que tinha certeza de que toda almôndega tinha gosto de plástico queimado. Minha bisavó e minha avó faleceram quando eu era muito pequena, mas minha mãe dizia que a receita era delas. Mas como era tão ruim? Nunca comia almôndegas em restaurantes, nas casas de amigos ou mesmo de outros parentes. Por que ninguém percebeu isso e me ofereceu uma almôndega de verdade antes de eu me formar no ensino médio? Hoje em dia, eu amo almôndega com molho e estou tentando recuperar meus últimos 15 anos perdidos. © FunkSiren / Reddit
  • Minha mãe não sabia cozinhar. Até mesmo um prato simples era humanamente impossível de comer. Então, quando meus pais se divorciaram, eu tinha 10 anos e aprendi a fazer uma sopa mais ou menos simples porque era única maneira de eu sobreviver. Em casa sempre havia de tudo, mas minha mãe sempre cozinhava algo ruim. Ela pegava aveia, por exemplo, e colocava muito mais do que o necessário na panela, de forma que era impossível que o cereal cozinhasse para formar mingau. Além disso, a água evaporava e minha mãe não era daquelas que adicionavam mais. Então, voilà — estava pronta a gororoba. Por três anos seguidos, durante o primeiro, segundo e terceiro anos do Fundamental, minha avó vinha do trabalho direto para minha casa, dava o mingau da minha mãe para os vizinhos do quinto andar (a propósito, não sei como o cachorro deles sobreviveu a esse mingau) e, então, cozinhava comida normal para mim. Essa foi a minha “triste” infância. © Ms.Yara / Pikabu
  • Minha mãe era maravilhosa em muitos aspectos, mas, gente, ela não sabia cozinhar. Você poderia dar um salmão à minha mãe que ela iria colocá-lo na pia até a casa ficar com um cheiro estranho e, depois, colocá-lo em uma travessa e, por fim, no forno. Nada mais... apenas... peixe quente. Nenhum tempero. Depois que cresci, comi alguns peixes e posso dizer que perdi muita coisa nesse tempo! © AmishHoeFights / Reddit
  • Quando eu era criança, achava que legumes cozidos e feijão tinham gosto de porco e sal. Ambas as minhas avós temperavam o feijão e outros vegetais com carne de porco gorda (ou bacon) e muito sal. Minha mãe continuou a tradição. Eu não sabia, até morar na minha própria casa, que vegetais cozidos podiam ter seu próprio sabor e não necessariamente tinham de ter gosto de carne de porco salgada. © Louise Sackville / Quora
  • Meus pais faziam um assado nos domingos que era meu pesadelo. Sem nenhum tempero, nem mesmo sal ou pimenta, ele era cozido na água até que se transformasse em uma sopa. As batatas e cenouras eram fervidas até virarem uma pasta. O prato era servido com uma fatia de pão branco. Você poderia comê-lo com uma colher; no entanto, a carne era tão fibrosa que minha mandíbula doía. Éramos muito pobres quando eu era pequeno, então essa era nossa refeição especial semanal. Quando eu tinha cerca de 30 anos, um amigo me convidou para comer um assado. Precisava superar o trauma, então aceitei. Chegando na casa dele, algo cheirava muito bem. Eles fizeram a carne no forno, com temperos e sabores de verdade, acompanhando couve de Bruxelas selada com pimenta. No fim, comi metade do assado, contei minha história sobre esse prato para o meu amigo e ainda acabei levando as sobras para casa. © miles_allan / Reddit
  • Meu marido odiava sopa de beterraba borsch porque minha sogra colocava limão na hora de cozinhar. Apenas cortava metade de um limão e colocava o suco inteiro na sopa. Ele sempre pedia para ela não fazer isso, mas era em vão. Hoje em dia, ele adora a borsch que preparo e costuma pedi-la com frequência. Faço de acordo com um livro clássico de receitas que tenho. Sem limões. © Rosa256 / Pikabu
  • Minha mãe queimava toda comida que fazia. Não que eu odiasse a comida dela, apenas deduzi que essa era a forma como cozinhava. Uma vez, comi um prato muito gostoso na casa de uma minha amiga e comentei a história com ela. “Provavelmente devem ter preparado de uma forma pouco saudável!” — disse ela. © shadywhere / Reddit
  • Quase tudo que eu comia era cozido. Se minha mãe precisasse fritar algo em uma frigideira, simplesmente adicionava água e preparava o alimento. Cozido, claro. A coisa era mais ou menos parecida com as comidas feitas no forno. Os vegetais eram cozidos até virarem um mingau. Às vezes, até para assar um peito de frango minha mãe deixava a carne por 45 minutos em temperatura máxima até ficar duro e borrachudo. Passei a maior parte da minha vida adulta aprendendo a cozinhar corretamente e, nos últimos dois anos, tenho treinado minha mãe. © unknown_author / Reddit

Como você se relacionava com a comida preparada por seus pais na infância? Tem memórias boas ou ruins dos pratos preparados por eles? Conte para a gente na seção de comentários.

Imagem de capa Lozbenidze / Pikabu
Compartilhar este artigo