Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

16 Pessoas que não se acham mesquinhas, apenas calculistas e cautelosas

Viver em uma sociedade de consumo não é nada fácil, ainda mais quando o seu círculo de amigos e familiares gasta o tempo todo ou lhe pede favores que envolvam algum tipo de recurso financeiro. Por exemplo, somos incapazes de proibir que um amigo em visita à nossa casa faça uma “boquinha” na geladeira. Ou ainda nos deparamos com pessoas que desenvolvem estratégias mirabolantes apenas para viajar de trem sem pagar nada. Os exemplos de pessoas “cautelosas” e econômicas são inúmeros e estão na Internet para quem quiser ver.

Os autores das histórias desta lista do Incrível.club tiveram de lidar com pessoas, digamos, sem muito ímpeto de gastar o próprio dinheiro. E parece que algumas delas criaram truques que merecem ser compartilhados. Confira!

Vendedor cara de pau e porcentagem desonesta

Decidi comprar novas camisetas e shorts para aproveitar o verão e, por sorte, a loja estava com ótimos descontos. Cheguei à loja. Não encontrei nenhum vendedor por perto e fui procurar os modelos que queria. Provei as roupas e tudo vestiu muito bem. Quando me dirigia ao caixa para pagar, um vendedor bloqueou o meu caminho e me entregou um cartão com um número.

Vendedor: “Você já escolheu as peças?”

Eu: “Sim”.

Vendedor: “Então leve este cartão e mostre no caixa”.

Eu: “Para quê?”

Foi então que me dei conta de que os vendedores que ajudam os clientes a escolher suas roupas ganham uma porcentagem da venda. E esse vendedor cara de pau simplesmente estava entregando seu cartão para as pessoas que já tinham escolhido e iam pagar, como se tivesse “ajudado” em alguma coisa. O caixa digitaria o número dele e, pronto, um bônus no final do mês.

Não levei o cartão e apenas o desejei um bom dia. Vocês podem ter opiniões diferentes sobre essa situação, mas eu não consigo digerir pessoas que querem se dar bem sem fazer qualquer esforço. Eu apenas acredito que o dinheiro deve ser ganho por trabalho honesto. © Fylhtq710 / pikabu

Como passei o aniversário de uma vizinha

Minha vizinha, Tatiane, me ligou: “Venha à minha casa, podemos bater um papo, sem contar que há um motivo especial — hoje é o meu aniversário”. Não tinha como recusar; disse que passaria lá para visitá-la rapidamente. Nessa hora, corri para procurar um presente. Comprei umas flores e uma torta. Pensei que tomaríamos um café rápido e eu iria logo para casa preparar o jantar.

Minha vizinha recebeu os presentes: colocou as flores em um vaso e a torta na geladeira. Então, começou a dizer que o aniversário dela era naquele dia mesmo, mas que iria comemorar com amigos no dia seguinte e, por isso, iria cozinhar enquanto conversava comigo. Sem problemas! Foi aí que eu notei que ela me chamou somente para eu ficar sentada, mesmo, e talvez pelos presentes.

Ela marinou a carne e começou a preparar os acompanhamentos. Nesse tempo todo nós discutimos sobre a escola das crianças, os preços altos das lojas e os pratos que ela estava preparando para o dia seguinte. Nem um café me ofereceu.

Não entendi por que ela me chamou e ainda enfatizou que era o seu aniversário. Falar dos preços dos produtos era algo que nós poderíamos ter feito em qualquer outro lugar e em qualquer outro dia. © Ехидная Леди / zen.yandex

“Está dando uma TV? Dá para trazer aqui em casa?”

Decidi me livrar da nossa “caixa” velha. Não queria simplesmente jogá-la no lixo, pois a TV estava funcionando perfeitamente. Por isso, resolvi doar para alguma outra família que estivesse precisando. Tirei uma foto e postei anúncios em diversos fóruns online e plataformas de troca e venda.

Cerca de 20 minutos após a publicação, recebi a primeira ligação. O homem começou a perguntar: está realmente funcionando? Por que você está dando de graça? E então adicionou: “Mas você poderia trazer aqui? Eu moro muito longe e não tenho carro”.

Ah, claro! É muito mais fácil para mim levar até você do que levar até o lixo ao lado da minha casa. 20 anos atrás, quando eu era um estudante sem muito dinheiro, se visse um anúncio desse, iria de metrô, ônibus e a pé, tudo para pegar uma TV de graça!

Um pouco mais tarde, recebi este comentário no post do anúncio: © Samorodok / pikabu

Quem vai pagar a conta?

Lembro da minha juventude estudantil. Tinha muitos amigos, e sempre nos encontrávamos e íamos para algum café bater papo. Mas somente 50% das pessoas ficavam até o final. Cada uma ia para o seu lado: alguns iam ao banheiro e não voltavam mais, outros (de repente) tinham compromissos urgentes e outros simplesmente sumiam.

Como resultado, as pessoas que restavam na mesa tinham de dividir a conta. Lembro que todos ficávamos chocados quando víamos o valor total. Eu sempre ficava com a minha parte e a de mais algumas pessoas. Hoje, penso: “Quanto dinheiro jogado no lixo! Por que eu não pedia minha conta separada, calculava logo quanto dava, sem ter de ser o patrocinador dos folgados?” Acho que eu teria parecido mesquinha se agisse de forma diferente. Ou ao menos me sentiria mesquinha. © Redisport / pikabu

Babás que vieram para comer

Durante mais de 3 anos, fui forçada a usar os serviços de babás. Enquanto discutíamos sobre a alimentação, o horário de sono e outros detalhes de cuidados do meu filho, nossa primeira funcionária disse que gostava apenas de bombons de chocolate, de carne e de peixe. Em relação aos produtos naturais que sempre estavam disponíveis, como frutas e legumes, ela não parecia estar interessada e dizia que não precisava comprar.

Resolvi perguntar (ironicamente): “Mas eu posso ao menos comprar para mim?” Ela respondeu num tom bastante sério: “Bom, aí é você que escolhe”.

Outra babá tinha o hábito de abrir literalmente todos os pacotes de comida da casa: biscoitos, presunto, queijo, doces, camarão, etc. Quando eu ia comer alguma coisa na geladeira, o produto já estava aberto há bastante tempo e comido pela metade. Eu tinha de comer os restos da babá. © Сергеева / zen.yandex

O colega que foi “enganado” pela contabilidade

Decidimos celebrar o Dia do Construtor com toda a nossa equipe de trabalho. Compramos comidas e carne para levar para o trabalho e resolvemos que iríamos dividir a conta igualmente entre todos. Um dos colegas disse que não iria comer o churrasco, pois tinha problemas no estômago. Nosso chefe, então, pediu ao pessoal da contabilidade para liberar uma quantia para comprarem comes e bebes para a celebração, fazendo assim com que ficasse tudo por conta da empresa. O colega que disse que não comeria mudou de ideia na mesma hora e começou a devorar desesperadamente. Ele não cortava a carne; comia o pedaço inteiro.

Todos ficaram um pouco chocados e ninguém teve coragem de interrompê-lo. As pessoas estavam começando a achar que não sobraria comida para o resto dos funcionários. Foi então que decidiram fazer uma leve brincadeira e pediram ao rapaz da contabilidade dizer o seguinte em voz alta: “Pessoal, infelizmente o dinheiro não poderá ser liberado mais e cada um precisará pagar por aquilo que comeu e bebeu”.

Vocês precisavam ver! Ele ficou pálido na mesma hora, quase engasgou com a comida e então disse: “Nossa, que bom que eu não comi muito!” © Almaalma / pikabu

Como meu avô consertou a geladeira de graça

Nossa geladeira pifou. O conserto foi estimado em aproximadamente 500 reais, mas depois resolvi simplesmente comprar uma nova. Após certo tempo, meu avô me ligou e perguntou: “Você ainda tem aquela geladeira quebrada?”

Eu: “Sim”.

Avô: “O que exatamente quebrou?”

Eu: “O compressor queimou”.

Avô: “Perfeito. Eu vou aí buscá-la hoje à noite e depois te explico”.

No prédio dele houve algum problema com a eletricidade e muitos inquilinos tiveram seus aparelhos eletrônicos queimados: televisões, geladeiras, máquina de lavar. A empresa responsável pela manutenção do prédio se responsabilizou pelos danos e ofereceu conserto gratuito para os aparelhos que foram danificados para todos os inquilinos. Na casa do meu avô nada havia queimado, mas ele resolveu se aproveitar da situação usando a minha geladeira. O conserto ficou de graça. © Albertino1989 / pikabu

Veja só quem engana os clientes honestos

Trabalho em uma grande loja virtual e o fluxo de clientes é bastante alto. Recebemos muitos pedidos de devolução com justificativas como “não preciso mais do produto”, “não coube”, etc. Tais itens são recolocados na seção de “usados” com um desconto de 30% do valor original. Não porque tenham qualidade inferior, mas por ser preciso vendê-los rapidamente devido à baixa demanda.

Um dos nossos clientes mais “espertinhos” descobriu esse sistema e resolveu tirar vantagem da situação: ele fazia um pedido pelo site, depois pedia a devolução e então comprava o produto novamente com 30% de desconto. Todos os pedidos são feitos pelo site e, assim, ele conseguia ver quando o produto apareceria com o preço mais baixo.

Como resultado, não oferecemos mais o preço reduzido a ninguém e os produtos que são devolvidos ficam em nosso estoque para evitar que situações do tipo voltem a acontecer. E, por isso, por causa de apenas uma pessoa folgada, todos os clientes honestos perderam essa boa oportunidade. © RussianMedeved / pikabu

Deixe os parentes distantes ficarem com você

Eu e minha esposa estávamos saindo do prédio quando vimos na entrada alguns homens sentados que pareciam ser pedreiros. Um deles tinha uns 50 anos e era parente da minha esposa, um primo de segundo grau que não víamos há muito tempo. Ele tinha vindo trabalhar na cidade grande recentemente. Nós o cumprimentamos, conversamos um pouco e fomos embora.

À noite, recebemos uma ligação da família da minha esposa pedindo que deixássemos o tal primo distante morar na nossa casa por alguns meses. Não sei por que eles acharam que só porque encontramos com o homem por alguns minutos em 10 anos, deveríamos deixá-lo morar conosco. Disse imediatamente que não seria possível para não criar confusão. Eles ficaram chateados, mas nos livramos de um problema. © Savelii53 / pikabu

O auge da “pão-durice”

Ontem, no supermercado, escutei sem querer um casal conversando. A esposa disse ao marido que estava planejando tomar um banho à noite. O homem ficou visivelmente nervoso e perguntou: “Por muito tempo? Não entendo o que você tanto faz em 2 horas no banho!”

“Me...lavar?”, — a mulher resmungou envergonhada e sorrindo timidamente. Depois, continuou a listar detalhadamente cada coisa que fazia no banho: lavar a cabeça, máscara facial, esfoliante nas pernas, etc. “Mas que máscara de rosto é essa?! — o homem indagou. — Natália, você esqueceu que nós pagamos conta de luz? Eu estou cansado dos seus banhos eternos! Eu levo no máximo 15 minutos e me limpo todo, você leva 2 horas!”

Eu não pude evitar pensar no que faria se morasse com alguém que limitasse quantas vezes eu poderia tomar banho e por quanto tempo. Não sei exatamente qual a situação da Natália, mas eu não aguentaria nem um dia. © Кабы замужем не пропасть! / zen.yandex

Um mendigo diferente

Eu estava sentado na área externa de um restaurante, bebendo o meu café ao lado de uma fonte. Vi então passar um rapaz de uns 30 anos, meio hipster, vestido com roupas bonitas e uma mochila de marca. Ele se aproximou e perguntou: “Amigo, você não teria um dinheiro pra me dar? Tô com fome”.

Eu respondi: “Amigo, eu não tenho dinheiro em mãos, só no cartão mesmo”. A resposta do sem noção foi: “Então peça uma comida para mim pelo aplicativo, pague no cartão”.

Disse isso de uma forma tão grosseira e séria que eu até engasguei com o café. “Não, não vou pagar nada”, eu disse. Ele respondeu: “Beleza, então” — e foi pedir para a próxima pessoa.

Fiquei chocado, pois ele não parecia estar com dificuldade financeira já que estava andando com uma mochila que devia custar pelo menos uns 400 reais. Vai entender! © kaegoorn48 / pikabu

Economize dinheiro no perfume e ande de trem sem pagar

Aumento de preço surreal

Decidimos comprar um apartamento novo e encontramos uma excelente opção de 2 quartos: 70 m², 2 varandas, que poderiam ser fechadas com vidro, andar alto. Precisava de obra, mas pouca coisa. Combinamos de dar a entrada. Na manhã do dia acordado, recebi uma ligação do corretor: “Nem sei como te falar, mas...meus clientes resolveram que querem aumentar o valor em 70 mil reais”.

Eu e meu marido entendemos que eles queriam nos fazer de idiotas e nem continuamos a conversa. Hoje, nos mudamos para um apartamento que nem se compara com aquele, mas continuei olhando o anúncio daquele imóvel no site.

O anúncio ficou por mais um ano e depois o apartamento foi vendido pelo preço inicial, que nós anteriormente deveríamos ter pago. Parece que eles estavam tendo brigas familiares, tentando se separar...algum esquema estranho. De qualquer forma, querer tirar vantagem dos outros só traz carma ruim para a vida. © prasolova.anastasia / instagram

Planos para o terreno novo

Minha sogra chegou para ver o nosso jardim pronto e disse: “Nossa, que lindo este lugar! Vocês fizeram um excelente trabalho, a horta vai ficar ótima aqui. Posso plantar berinjelas aqui, cenouras ali, umas petúnias aqui. E vou trazer alguns banquinhos e cômodas também”.

Sim, mas é óbvio. Eu e meu marido passamos 6 meses vindo a este local todo final de semana, carregando baldes e baldes de terra de um lado para o outro, tudo isso para que você, sogra, pudesse plantar as suas coisas. Aqui estão 5 canteiros reservados só para você e mais os vasos de plantas que compramos para não ter trabalho extra.

Quer um jardim? Nenhum problema. Eu e o seu filho vamos comprar um terreno inteiro para você fazer o que quiser lá. Na verdade, sogra, a escravidão foi abolida há bastante tempo e acatar os seus pedidos não será possível dessa vez. Ela obviamente ficou chateada: o filho é um ingrato, e a mulher dele é uma megera. © TonyProvenzano / pikabu

Quis economizar ou só estava com preguiça?

E o que você faria caso se visse em uma situação dessas? Comente!

Compartilhar este artigo