Incrível

A história da geladeira solidária e como ela pode mudar a vida de pessoas em situação de rua

Uma iniciativa que surgiu para ajudar pessoas carentes que não têm o que comer e ao mesmo tempo conscientizar aquelas que têm muito e desperdiçam a comida que poderia matar a fome de outros. Assim começou e tem se multiplicado a ideia da “Geladeira Solidária”.

Hoje, o Incrível.club vai te mostrar essa proposta de amor ao próximo que tem ganhado adeptos no País inteiro e aumentado os elos de carinho com as pessoas que precisam.

A ideia, que parece ter começado em outros países, está se tornando comum no Brasil e funciona de maneira bem simples: uma geladeira que fica em locais acessíveis — como calçadas e postos de combustíveis — e é bem sinalizada, com adesivos para chamar a atenção de todos que passam e indicando que faz parte da iniciativa.

Na maioria das vezes, há algumas regras de uso da geladeira para que a ideia funcione de maneira correta. Quem pode, deixa comida pronta, biscoitos, lanches, sucos, refrigerantes, legumes e frutas, tudo nas próprias embalagens ou em recipientes apropriados para alimentos, como vasilhas plásticas, marmitex ou sacos plásticos — de acordo com o tipo de comida.

De acordo com pesquisas, no Brasil foram desperdiçadas, em 2013, mais de 26 milhões toneladas de alimentos que poderiam matar a fome de milhares de pessoas — os dados são da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). Portanto, a ideia, além de acabar com o desperdício, pode contribuir para reforçar o senso de solidariedade nas pessoas — quem tem algum alimento sobrando em casa ou no trabalho, ao invés de jogar fora, pode deixar na geladeira para que alguém necessitado possa consumir.

Para ter acesso aos alimentos, as regras são mais simples ainda: só é necessário escolher a refeição e levar. A comida já fica do lado de fora para não constranger quem queira pegar. Não é necessário pedir a ninguém e nem pagar. Da pessoa que pegou, exige-se apenas que não desperdice para que outros também possam se alimentar.

O conceito mostra que, com amor e boa vontade, as pessoas podem ajudar quem precisa, fazendo o bem àqueles que estão passando por dificuldades. Um bom exemplo de que a melhor forma de ajudar os outros ainda é distribuindo amor.

Gostou da iniciativa? Já viu algo parecido na cidade em que mora? Você já fez algo hoje para ajudar quem precisa? Conte para nós.

Imagem de capa cesarfassina/instagram