Incrível

15 Hábitos peculiares dos sul-coreanos que confundem até os viajantes mais experientes

Muito se sabe hoje sobre a Coreia do Sul: do amor dos coreanos pelas cirurgias plásticas, das novelas coreanas e até mesmo que o dia 14 de fevereiro é um feriado exclusivamente para os homens. Por outro lado, a ideia de os coreanos serem obcecados por cachorros é só um estereótipo.

Mas as curiosidades não param por aí; a Coreia ainda tem muitas surpresas, até mesmo para os viajantes mais experientes. Você sabe, por exemplo, por que uma diferença de idade mínima entre dois amigos pode fazer uma enorme diferença no relacionamento entre eles e por que é comum receber papel higiênico de presente quando se muda de casa?

Nós, do Incrível.club, achamos que é sempre melhor se preparar com antecedência para os hábitos peculiares de um determinado país em vez de dar de cara com eles sem aviso prévio. Esse foi o motivo para criarmos a lista abaixo com alguns fatos interessantes sobre esse fascinante país. Acompanhe conosco!

1. Crianças coreanas são mais velhas do que as crianças europeias

A Coreia do Sul tem um sistema de cálculo de idade interessante para o Ocidente. Recém-nascidos são registrados com um ano de idade assim que vêm ao mundo, arredondando o tempo que passaram no útero da mãe. Logo depois, podem ganhar um ano a mais.

Yun Sol, de 2 anos, com os pais

A coreana Yun Sol nasceu no dia 31 de dezembro. E poucas horas depois, no dia 1º de janeiro, “completou” 2 anos. Isso pode se tornar um problema quando a pequena Yun começar o jardim de infância, visto que haverá uma diferença física e de desenvolvimento psicológico em comparação com as outras crianças. A contagem de idade oriental praticamente não existe mais na China, no Japão e no Vietnã. Na Coreia, no entanto, essa prática ainda é usada com certa frequência com exceção dos documentos de habilitação.

2. Os coreanos podem “não saber” que moram na Coreia

Encontro histórico entre Kim Jong-un (líder da República Popular Democrática da Coreia, ou RPDC) e Moon-jae In (líder da República da Coreia). O país foi dividido em 1945

O nome “Coreia” vem do antigo Estado “Goryeo” que existia no território da península coreana até sua queda em 1392. Os coreanos então mudaram o nome do país para “Choson”. Os estrangeiros, no entanto, continuaram usando o nome “Coreia” para se referir ao país — principalmente os europeus. Quando a Coreia se separou em RPDC e República da Coreia (Norte e Sul para o resto do mundo), o nome “Choson” foi mantido na Coreia do Norte, e a Coreia do Sul passou a se denominar “Hanguk”. A situação se mantém até hoje.

3. A diferença de idade, até mesmo de um ano, é algo muito significativo

A primeira coisa que os coreanos fazem quando conhecem alguém é perguntar a idade. O mundo ocidental, em geral, tenta fugir de perguntas relacionadas à idade, principalmente com as mulheres, pois isso pode ser visto como desrespeitoso. Mas para os coreanos essa informação é importante: assim eles conseguem determinar o “lugar” daquela pessoa no sistema hierárquico.

O autor do livro “Coreia e coreanos. Sobre o que os guias de viagem não falam” disse o seguinte: “Digamos que seu colega de classe é um ano mais velho que você. No começo, você usará um pronome de tratamento mais formal para falar com ele. Depois de um tempo, ele poderá usar pronomes informais para falar com você, mas você continuará usando a maneira mais formal para tratá-lo. Somente depois que vocês ficarem realmente amigos, ambos poderão usar os pronomes informais, mas, mesmo assim, você não deverá chamá-lo pelo nome. Nesses casos, é preciso usar uma expressão equivalente a ‘irmão mais velho’ como forma de demonstrar respeito. Chamar os outros pelo nome é apropriado somente para pessoas de mesma idade ou mais novos”.

4. É costume dar presentes “práticos” demais

Dar dinheiro de presente é considerado um bom gesto, caso a pessoa que esteja presenteando não seja seu parceiro ou parceira, familiar ou amigo próximo. Caso contrário, a pessoa que estiver sendo presenteada pode se ofender, pois pessoas próximas “deveriam” fazer maiores esforços. Para resolver esse dilema, basta recorrer ao clássico: roupa de marca, algum eletrônico ou cosméticos.

Como presente de inauguração de uma casa nova, os coreanos escolhem os presentes mais “práticos”. Eles podem ser tanto um sabão em pó ou sabonete como um papel higiênico! Você não deve se ofender se algum amigo da Coreia te presentear um rolo de papel higiênico após você se mudar para uma casa nova. Muitos coreanos realmente acreditam que isso pode ajudar a determinar por quanto tempo a pessoa morará na nova casa e essa é uma tradição curiosa. Hoje os fabricantes de papel higiênico não seguem um tamanho padrão, então quanto mais tempo a pessoa demorar para terminar o rolo, mais tempo morará na casa.

5. Algumas crenças e superstições coreanas são parecidas com as nossas, mas não tanto

Lembra de quando dizíamos que pular sobre uma pessoa que esteja sentada ou deitada faria com que ela não crescesse mais? Bom, para a grande maioria dos brasileiros essa crendice deixa de ser relevante na época do colegial, mas para os coreanos permanece até a idade adulta. Há uma outra superstição que os sul-coreanos levam bastante a sério: antes de provas, entrevistas ou outros eventos importantes, optam por não consumir frutos do mar e sopa de algas marinhas. Caso contrário, há a chance de “escorregar” entre as algas e todos os esforços serem em vão.

6. As coreanas amam saias curtas, mas não são adeptas dos decotes

Aparentemente, aqui se aplica a regra de “equilíbrio universal” ou “yin e yang”, pois as coreanas tendem a usar saias muito curtas, mas não gostam de mostrar o decote. A cultura do corpo ainda é um tabu em muitos países do Oriente, mas qual seria a lógica para o contraste entre as saias extremamente curtas e a timidez na hora de usar decote? Bom, há diversas explicações, mas a mais difundida é a de que muitas coreanas têm vergonha do tamanho dos seus seios que, em grande parte das vezes, não são avantajados. Curiosamente, no início do século XX, a moda era totalmente diferente: o costume era o de usar saias quase “varrendo” o chão, mas as blusas eram tão curtas e abertas que se pareciam mais com tops do que camisetas.

“Boné com apito? Por que não?!” — comentou uma usuária do Instagram na foto da garota acima. Na Coreia, principalmente em Seul, as pessoas investem na aparência e no estilo pessoal e, muitas vezes, elementos e acessórios diferentes são incorporados de forma incomum ao vestuário do dia a dia. Mas talvez nossos leitores conheçam formas mais “práticas” de usar um apito, certo?

7. Na Coreia há pessoas que são chamadas de “solo desde o ventre da mãe”

Na Coreia, há uma palavra especial para se referir a uma pessoa solteira — “solo”. E aqueles que nunca estiveram em um relacionamento amoroso na vida são chamados de “solo desde o ventre da mãe” (모태솔로). Essas pessoas, como é de se esperar, não ficam muito felizes de serem chamadas por esse apelido “carinhoso” e tentam sempre esconder o fato de que nunca namoraram. Somente amigos de infância, que cresceram lado a lado, poderiam confirmar algo do tipo, o que se torna muitas vezes motivo de piada em grupos de amigos.

8. Em casamentos, muitas vezes as meninas combinam quem irá pegar o buquê da noiva

Quando a noiva atira o buquê, normalmente apenas uma convidada específica fica pronta para pegar. O dinheiro que os convidados oferecem aos recém-casados vai, normalmente, para os pais do casal, que são responsáveis por organizar e pagar por toda a cerimônia.

Aliás, 15 anos atrás na Coreia do Sul era proibido casar com pessoas que tivessem o mesmo sobrenome. Em 2005, os membros da Assembleia Nacional aprovaram uma emenda a essa lei, segundo a qual a proibição se aplicava apenas a pessoas com algum parentesco entre si. Faz mais sentido, né?

9. Os coreanos celebram o ano novo de uma forma diferente da que estamos acostumados

Eles escalam as montanhas ou colinas mais próximas para apreciar a bela vista do amanhecer. Outra opção é ir para a costa leste de manhã cedo. As pessoas normalmente levam consigo chá, roupas quentes e, após ver os primeiros raios de sol do novo ano, fazem um pedido.

10. Nas universidades coreanas há uma matéria que é muito procurada

Chama-se “Casamento e Família”. Durante os 3 meses de aulas, os estudantes formam “casais”. Os Eles devem se sentar um ao lado do outro durante as aulas e realizar algumas tarefas (assistir filmes juntos ou conversar por telefone, por exemplo) para que possam entender o que significa estar em um relacionamento. Os exercícios são os mais diversos: planejar o dia de aniversário ou um encontro sem muitos gastos, calcular as despesas de um casamento etc. Muitas vezes não há um mesmo número de homens e mulheres e, por isso, os estudantes acabam formando casais ignorando as diferenças entre os gêneros.

11. Em alguns supermercados há pequenos armários não só para sacolas e bolsas, mas também para os animais de estimação

O interior dessas câmaras é climatizado com uma temperatura ideal, luz apropriada e no chão há um pano para as possíveis “emergências”. É claro que não é possível colocar um pastor alemão dentro desses locais, mas os coreanos normalmente preferem raças mais “compactas”.

12. Os coreanos chocam com sua franqueza

A coreana Hyeon dividiu suas impressões sobre as peculiaridades culturais no âmbito profissional após morar e trabalhar fora da Coreia por certo tempo. Ela observou que, em muitos países, quando alguém liga no trabalho pedindo para falar com uma pessoa que está ausente por estar, por exemplo, no banheiro, é comum escutar: “O fulano não está disponível no momento, ligue daqui a 10 minutos”. Na Coreia, no entanto, o funcionário pode responder: “O fulano está no banheiro”.

13. Separar o lixo incorretamente pode acarretar multas colossais

Em Seul, a capital da Coreia do Sul, todo o lixo deve ser devidamente separado para a coleta e reciclagem: vidro, papel, produtos orgânicos e plástico. A multa pela separação incorreta pode chegar a até mil dólares (mais de 4 mil reais). Para o empacotamento do lixo, são vendidos sacos especiais adequados para a reciclagem. Eles vêm em cores diferentes: para produtos orgânicos são usados sacos amarelos, e para o resto do lixo são usados sacos brancos. É proibido usar qualquer outro tipo de sacola: um cidadão que esteja infringindo as regras pode ser identificado facilmente pelas câmeras de segurança instaladas em todas as esquinas na Coreia.

14. A pior coisa para um coreano é estar envolvido em alguma situação constrangedora perante os amigos

Os coreanos são muito preocupados com a própria aparência e comportamento perante a sociedade. Diante de uma situação constrangedora, um coreano pode até parar de conversar com aqueles que o viram nessa situação. Por isso, se alguém, por exemplo, tropeçar na rua, dificilmente outras pessoas irão oferecer a mão para ajudar.

Uma história que ilustra esse tipo de situação aconteceu com um casal coreano recém-formado. Durante um dos primeiros encontros, a garota caiu no rio. O rapaz simplesmente se afastou para longe dela. Lá, é costume fingir que nada aconteceu: se ninguém notou o constrangimento, será como se ele nunca tivesse acontecido.

15. O país é muito seguro

A Coreia do Sul é conhecida pelo seu alto nível de segurança. Roubos e furtos acontecem por lá, sim, mas, de forma geral, muitos dizem que é perfeitamente comum deixar objetos de valor em lugares públicos sem risco. “Não sei se isso seria possível em algum outro lugar do mundo. Uma loja de vinhos em uma rua muito movimentada estava para abrir em algumas horas. Estas caixas contêm vinho que foi entregue e deixado na rua na entrada da loja” — comentou uma usuária do Instagram conhecida como katri_w.

Bônus № 1: táticas culinárias orientais

Bônus № 2: é comum dormir no chão

Muitos coreanos até os dias de hoje dormem no chão. É relativamente comum, inclusive, encontrar hotéis com quartos sem a cama no formato ocidental a que estamos acostumados — casos em que o chão costuma ser quente. Para tais quartos são oferecidos colchões.

Bom, podemos concluir que a Coreia do Sul ainda tem muitas surpresas para o Ocidente. Será que algum dia vamos ter, por aqui, algumas dessas características ou essas são peculiaridades exclusivas desse incrível país oriental?