Incrível
Incrível

12 Ditados populares de Portugal que podem dar um nó na mente dos brasileiros

Chegar a um novo país pode ser uma aventura com perrengues e histórias para ficar na memória. Mesmo quando o idioma é o mesmo, como acontece entre Brasil e Portugal, a forma de se expressar costuma ser bem diferente. E isso não se limita à palavras que têm significados diferentes, não! Se estende a gírias e ditados populares que podem “dar um nó” na cabeça de grande parte dos brasileiros em conversas com portugueses.

Para mostrar um pouco dessas frases inusitadas, a equipe do Incrível.club fez uma lista com ditados populares em Portugal, que têm um sentido que nós, brasileiros, poderíamos custar a entender num primeiro momento. Acompanhe com a gente.

1. Fiquei com um grande melão

Quando alguém diz isso em Portugal, não significa que teve sorte na feira da semana. Ao contrário, a expressão “grande melão” quer dizer “grande decepção”. Assim, é comum ouvir essa frase quando se quer dizer que nada saiu como esperado ou, ainda, em situações em que houve um desfecho inesperado, que desapontou a pessoa.

2. Dar uma no cravo, outra na ferradura

Sabe aquela pessoa que está sempre em cima do muro ou com o pé em duas canoas? Pois é, geralmente é a mesma que dará uma no cravo e outra na ferradura! A expressão representa uma situação ou pessoa que não assume uma opinião para não se comprometer. O ditado surgiu porque, para fixar a ferradura em cavalos sem assustar o animal, o ferreiro bate alternadamente no cravo (prego) e na ferradura.

3. Lá vem ele abrir o livro

O ato de começar a falar muito sobre um mesmo assunto, querendo demonstrar grande conhecimento sobre aquele tema, tem uma expressão bem característica: abrir o livro. E, de fato, quando uma pessoa fica muito tempo em torno de uma mesma história, parece até que está dando uma palestra, não é mesmo?

4. Vais fazer o fadinho

A música tradicional de Portugal é o fado, entoado em restaurantes, teatros e praças públicas. E quando há alguém “fazendo o fadinho”, o que será que quer dizer? A expressão não diz respeito a um pequeno fado, mas sim, à tentativa de “passar uma conversa” — é quando se tenta convencer a outra pessoa para que faça o que o outro deseja.

5. Isso é do tempo do arroz de quinze

O tempo do arroz de quinze é um passado muito distante, onde, segundo contam extra oficialmente, o quilo de arroz custava apenas 15 merréis. Na prática, quando alguém atribui essa qualidade a outra pessoa ou a alguma coisa, quer dizer que a pessoa é muito velha — ou o objeto é muito antigo.

6. Estás a fazer fincapé

A pessoa muito determinada, que não desiste facilmente de uma ideia, é descrita como alguém que “finca o pé” naquele propósito. Assim, a expressão “fazer fincapé” é uma forma de dizer que se é persistente em um objetivo até alcançá-lo. Também pode ser uma maneira de se referir a uma pessoa firme, que é o amparo da família, por exemplo.

7. É muita parra e pouca uva

Essa expressão antiga em Portugal descreve um resultado insignificante (poucas uvas) quando o que se esperava era algo grandioso e importante (o que o tamanho da parreira sugeria). Também é um jeito de descrever alguém que fala muito e faz pouco. Ou seja, é aquilo que, em bom português do Brasil, chamaríamos de “muito barulho por nada”!

8. Ela levantou o cabelo

Pode parecer apenas um estilo de penteado, mas não é. Ao contrário da expressão brasileira “ficar de cabelo em pé”, que usamos quando estamos preocupados ou assustados, em Portugal levantar o cabelo significa tornar-se esnobe e prepotente. Sabe aquela vizinha de “nariz empinado”? É a pessoas assim que esse ditado se refere!

9. Deus queira que o burrinho vá à feira

Quando você ouvir alguém fazendo intenção de que “o burrinho vá à feira”, não pense que em Portugal as feiras são frequentadas por animais, não... A expressão significa que a pessoa está torcendo para que uma situação termine bem, que tudo saia conforme o esperado. Fofinho, não é?

10. Nunca mais é sábado

Tem semanas em que o tempo custa a passar, não é mesmo? E, nessas situações, parece que o sábado não chega nunca! Então, é exatamente daí que vem a expressão: “nunca mais é sábado”. Aquela sensação de que as semanas se emendam, tornando mais longe o dia do descanso, quando uma tarefa pesada vai chegar ao fim.

11. A miúda está a pintar a macaca

Ao ouvir essa expressão, você pode bem imaginar alguém pintando um quadro com a imagem de uma macaquinha. Pode ainda, pensar em uma sessão de maquiagem tendo este animalzinho como modelo... E, na verdade, pode ser um pouco de tudo isso! A expressão, em Portugal, significa que alguém está fazendo bagunça ou traquinagem. É o nosso famoso “fazendo arte”!

12. Limpa-te com esse guardanapo

Se alguém contar uma história em que a reação de um dos envolvidos foi muito absurda ou inesperada, que ninguém previa, é comum que ela finalize a narrativa com a frase: “Limpa-te com esse guardanapo”, que quer dizer que alguém cometeu uma gafe ou ficou em uma situação inusitada. É algo como quem diz “dá para acreditar?”.

Conversas com os portugueses, especialmente para os brasileiros há pouco tempo no país, sempre podem trazer surpresas além da própria história. Você já conhecia alguma dessas expressões e ditados? Conte para nós qual deles tem um significado muito diferente do que imaginou.

Incrível/Gente/12 Ditados populares de Portugal que podem dar um nó na mente dos brasileiros
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos