Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

8 Alimentos saudáveis ​​que não devemos consumir em excesso

Há algumas décadas a chamada dieta mediterrânea tem sido considerada por pesquisadores um dos regimes alimentares mais saudáveis do mundo. E considerando a enorme quantidade de estudos divulgados anualmente associando a saúde à alimentação, a maioria das pessoas já sabe que, como diz um ditado, “nós somos o que comemos”. E se você já é uma dessas pessoas que escolhem com cuidado o que colocar no prato na hora da refeição, deve saber que não existe alimento perfeito, por mais saudável que seja. Portanto nem mesmo os chamados “superalimentos” são capazes de fornecer todos os nutrientes necessários ao organismo.

Hoje, no Incrível.club, analisamos o que pode acontecer quando você exagera no consumo de alguns alimentos considerados saudáveis.

1. Cenouras

As cenouras são repletas de betacaroteno, uma das substâncias que fornecem ao organismo a vitamina A. Infelizmente, o excesso desse pigmento pode provocar carotenemia, uma doença que deixa a pele amarelada. Felizmente esse problema desaparece gradualmente, à medida que o caroteno é processado, e não causa maiores danos.

2. Kombucha

A bebida de origem chinesa que conquistou o mundo gastronômico dos millennials é benéfica ao sistema digestivo, pois, segundo especialistas, aumenta as bactérias boas no intestino. No entanto, também contém um composto chamado FODMAP, um subproduto da fermentação de leveduras, que, se consumido em grande quantidade, pode causar inchaço e disfunção intestinal.

3. Água

O excesso no consumo de água pode criar um desequilíbrio eletrolítico no organismo, baixando muito os níveis de sódio. Outra consequência em casos extremos é o acúmulo de água no cérebro, causando inchaço e, com isso, um aumento da pressão, já que o crânio humano não é capaz de se expandir. Embora seja algo muito raro de acontecer, ambos os casos já foram observados em atletas que sentem uma necessidade compulsiva de se reidratar após uma longa sessão de treinamento ou em pessoas com problemas renais.

4. Abacate

O abacate contém fibras, uma grande quantidade de vitaminas e gordura. Também pode ajudar a diminuir o colesterol ruim (LDL) e a manter as células com um alto teor de gorduras monossaturadas. Mas, por causa da gordura, essa fruta é bastante calórica. Um único abacate contém 240 calorias, o que representa cerca de 10% a 20% da ingestão calórica ideal diária de uma pessoa, e o consumo de muitas calorias e gorduras pode levar a problemas como o entupimento das artérias. O melhor é consumir a metade ou um abacate por dia, se possível, cru.

5. Beterraba

A beterraba é uma ótima fonte de vitaminas e minerais. Ela também contém muitos óxidos nítricos, que são convertidos pelo organismo em nitratos, que, por sua vez, podem ajudar a diminuir a pressão arterial. Essas substâncias são transformadas em nitrosaminas, que também são encontradas na carne, o que significa que, em excesso, o consumo de beterraba pode levar a um aumento da chance de o organismo desenvolver doenças. Por isso, é melhor evitar a combinação de elevada ingestão de beterraba e carne vermelha.

6. Algas marinhas

As algas são um exemplo raro de um produto não animal rico em vitamina B12, tornando-se, assim, um ótimo substituto para a carne em dietas veganas e vegetarianas. Elas também são consideradas uma espécie de superalimento, capaz de ajudar na perda de peso, em função das fibras. Mas uma alta ingestão de iodo, substância presente nas algas, pode levar a problemas na tireoide e até ao ganho de peso. As algas também podem conter grandes quantidades de metais pesados, dependendo de onde crescem.

7. Soja e derivados

Os derivados soja são ricos em nutrientes, incluindo vitamina B, fibras, potássio, magnésio e proteínas de alta qualidade. O grão é considerado uma proteína completa porque contém todos os nove aminoácidos essenciais que o organismo não consegue produzir. Mas se você mudou de dieta recentemente devido a problemas na tireoide, cuidado: a soja pode interferir na medicação hormonal usada para tratar o hipotireoidismo em pacientes do sexo feminino. Embora os estudos não sejam conclusivos, vale a pena monitorar cuidadosamente a saúde.

8. Sementes de chia

Embora as sementes de chia sejam vendidas como um superalimento, por causa de seu alto teor de ômega-3, nenhuma evidência foi encontrada até o momento sobre seus benefícios reais à saúde — particularmente em relação às suas supostas propriedades de combate às doenças cardiovasculares. O ômega-3 contido na chia é mais difícil de ser absorvido do que o fornecido pelo salmão, por exemplo. Portanto, apesar de as sementes conterem maior quantidade dessa substância, você precisaria ingerir cerca de 100 gramas do produto para absorver a mesma quantidade que conseguiria com uma porção de peixe. A questão, aqui, é a de que 100 gramas de sementes de chia contêm cerca de 500 calorias, a mesma quantidade de um hambúrguer. E então, vale a pena?

Você procura manter uma alimentação saudável? Ou não se importa com isso? Quais os tipos de alimentos que consome em maior quantidade? Deixe seu comentário!