Incrível
Incrível

10 Coisas que podem não se manter com uma boa higiene nos restaurantes

Cozinhar todos os dias pode se tornar uma tarefa muito trabalhosa. Por isso, ir a um restaurante ocasionalmente, que nos sirva uma comida boa e ofereça um bom serviço, acaba sendo mais atraente. No entanto, às vezes o que temos à disposição nem sempre está totalmente limpo. Mudar certas técnicas de limpeza pode ser uma solução para que os restaurantes estejam sempre em bom estado.

Incrível.club te apresenta 10 elementos dos restaurantes que requerem um cuidado especial para que estejam em perfeito estado.

1. Luvas de látex

Enfim chegou o momento desejado: o garçom lhe serve o suflê que esperava comer há tempos. É tão delicioso! Ao terminar, você quer felicitar o chef pela magnífica obra. Então, se dirige à cozinha e vê as mãos do cozinheiro com luvas. Você até sente um alívio imenso, pois, acredita que isso assegure totalmente a higiene na manipulação dos alimentos. Infelizmente, não é bem assim! O uso de luvas pode gerar uma sensação de confiança em quem está usando, mas pode dar margem para a contaminação cruzada de alimentos, já que, após manipular os crustáceos, pode-se pegar os vegetais e depois a carne, o que causaria um intercâmbio de bactérias. O melhor é não utilizá-las ao preparar alimentos e lavar as mãos sempre que necessário.

2. Saleiros e pimenteiros

Seu prato ficou um pouco insosso e falta um toque de sal e pimenta? Espere um momento. Uma análise feita pelo programa de TV, Good Morning America, em parceria com a Universidade do Arizona, revelou que o pimenteiro pode chegar a ter 11.600 organismos. Sim, de fato, parece que as bactérias gostam muito de pimenta, então, de preferência, evite condimentar seus pratos, ou leve com você pequenos pacotes que contenham sal e pimenta para evitar tocar nos recipientes dos restaurantes que frequentar.

3. Cardápios

Aqui a história não é nada diferente. Segundo o mesmo estudo feito pelo programa televisivo Good Morning America e a Universidade do Arizona, os cardápios ocupam o primeiro lugar na contagem de bactérias, pois, cada um pode chegar a ter a considerável quantidade de 185 mil bactérias. E por quê? Porque são passados de mão em mão (certamente, você já tocou em algum que estivesse pegajoso) e isso favorece a proliferação de organismos. Portanto, o recomendado é fornecer aos clientes cardápios de papel no lugar dos de plástico, material que constitui um terreno fértil para que as bactérias se escondam e proliferem.

4. Panos de limpeza

Agora OK, se você vir um garçom gentilmente limpando com um pano a mesa na qual você se sentará, leia atentamente o que explicaremos a seguir: um estudo feito por pesquisadores da Universidade do Arizona e da Universidade de Sonora analisou os panos de cozinha utilizados em restaurantes, com os quais limparam as superfícies das mesas, para determinar a presença de bactérias. E... Surpresa! Encontraram coliformes em 89,2% dos panos de cozinha e em 70% das mesas. Da mesma forma, encontraram Escherichia coli em 54,1% desses panos e em 20% das mesas. O melhor é utilizar um líquido desinfetante e papel descartável.

5. Gelos

Beber algo quente ou em temperatura ambiente pode não ser muito legal, mas, talvez, não seja tão ruim quanto a presença das bactérias das máquinas de gelo dos restaurantes. Outra pesquisa apontou que no gelo de muitos estabelecimentos há mais organismos que nos próprios vasos sanitários. Isso se deve ao fato de, os últimos, passarem por constantes limpezas, ao contrário das máquinas de gelo. Elas têm uma higiene precária, pois, os funcionários desses estabelecimentos muitas vezes não sabem como limpá-las, ou como manipular os cubos de gelo servidos nas bebidas dos clientes. É importante programar uma limpeza periódica dessas áreas e lavar as mãos antes de servir os gelos.

6. Louça

Se você já se perguntou se a louça dos restaurantes está impecável, temos mais uma informação. Uma pesquisa revelou que bactérias como Escherichia coli e Listeria innocua podem sobreviver nos pratos com alimento seco, ou seja, que não foram lavados. O assunto se complica um pouco mais se os pratos ou copos apresentam rachaduras, pois, os organismos podem se alojar nelas. Para evitar que isso ocorra, deve-se lavar os pratos e copos a mais de 43 ºC e com produtos preferencialmente à base de amônia.

7. Pegadores para servir comida

Os buffets com saladas nos apresentam um mundo de opções para combinar. No entanto, os pegadores disponíveis para servir todas as opções em seu prato podem não ser muito higiênicos. Todos os clientes deveriam lavar as mãos antes de utilizar esses utensílios, ou utilizar guardanapos descartáveis para manipulá-los.

8. Cadeiras de alimentação ou cadeiras altas para crianças

Levar seus pequenos ao restaurante geralmente implica pedir uma cadeira alta, também conhecida como cadeira de alimentação. No entanto, esses móveis podem ser o lar de até 1.200 bactérias por centímetro quadrado. É normal que as crianças joguem a comida, espalhando-a por todos os lados. Esses restos podem se decompor e se transformar no lar de organismos indesejados. Para evitar isso, o melhor é utilizar líquido antibacteriano depois de cada uso, para assegurar o bem-estar da próxima criança a usá-la.

9. Pratos com molhos

Sim, nós sabemos: é praticamente impossível comer uma torrada sem nada. Quando servem guacamole, ou molho de queijo dip no centro da mesa, todos mergulham suas torradas, repetidas vezes. No entanto, dar uma mordida na torrada e voltar a colocá-la no recipiente poderia favorecer uma cultura de bactérias. Para que isso não aconteça, todos na mesa deveriam servir em seus pratos um pouco do molho, pois, assim, evita-se a contaminação com a saliva de todos.

10. Mãos

Por último, mas não menos importante, é indispensável que os trabalhadores dos restaurantes lavem as mãos constantemente. Às vezes pode acontecer de, pela rapidez com que devem servir os pratos, omitam esse passo, o que pode ocasionar uma contaminação com vírus e bactérias de todas as áreas. Por isso, os funcionários devem lavar as mãos com água e sabonete durante pelo menos 20 segundos, para eliminar qualquer sujeira.

Que outros detalhes você acredita que poderiam melhorar a higiene de alguns restaurantes? Comente!

Compartilhar este artigo