Incrível
Incrível

A verdadeira história de Paris Hilton — a socialite que mascarou sua verdadeira personalidade para esconder sua vulnerabilidade

Quase todo mundo sabe quem é Paris Hilton. Sua figura está especialmente associada ao dinheiro, glamour e luxo. No entanto, nem sempre a imagem de uma celebridade na mídia coincide com quem ela realmente é. E há muitas razões para acreditar que este é o caso de Paris.

Recentemente, a estrela lançou um documentário sobre sua vida, no qual provou que nascer em berço de ouro não é garantia de felicidade. E nós, do Incrível.club, vamos mostrar a você um lado da socialite completamente diferente. Confira!

Infância e educação rígida

  • Paris nasceu em 17 de fevereiro de 1981 na família de um empresário e uma socialite. Seu bisavô paterno foi o fundador da lendária rede de hotéis Hilton e o seu avô transformou o negócio em um verdadeiro império. No entanto, foram os filhos mais velhos que herdaram a fortuna do avô, enquanto os mais novos, incluindo o pai de Paris, ganharam a vida com o próprio trabalho. Por isso, aos olhos do público, o sucesso de Paris Hilton sempre estará associado às suas origens.
  • Quando era criança, Paris adorava animais e juntava dinheiro para comprar pets: macacos, furões e até cobras. Na quadra de tênis do avô, ela tinha uma cabra. Quando era questionada sobre o que queria ser quando crescesse, respondia: “Veterinária”.
  • Quando Paris entrou na adolescência, seus pais começaram a forçá-la a ser uma dama e proibiram muitas coisas: maquiagem, festas na escola e até mesmo passeios. A garota tinha de assistir aulas de etiqueta e sempre voltar estritamente na hora marcada.
  • Contudo, às vezes, uma represa não consegue conter um rio cheio de raiva. As excessivas restrições só exacerbaram o espírito rebelde da adolescente. À certa altura, Paris começou a quebrar as regras de casa: usar saia curta, ir para balada e não voltar para casa antes do amanhecer.
  • Sua mãe ficou horrorizada com o comportamento da filha. Ela resolveu trancar Paris em seu quarto para que não se metesse em problemas. Depois, a matriculou em uma escola reformatória para adolescentes problemáticos, onde a prática de trabalhos manuais pesados era muito valorizada.
  • A ida para a instituição foi uma completa surpresa para Paris. A garota dormia pacificamente em seu quarto quando, no meio da noite, um homem desconhecido entrou e a levou com o consentimento dos pais. Desde então, esse evento tem regularmente atormentado seus pesadelos.

Bullying na escola

  • Após tentativas malsucedidas de escapar da escola, Paris foi transferida várias vezes para outras instituições semelhantes. Na última delas, ela foi forçada a ficar sob o controle constante de uma equipe: por horas era obrigada a ficar sentada em uma cadeira de frente a uma parede sob efeito de remédios. E os pais nem sabiam de nada, pois os funcionários da escola proibiam o contato com a família com ameaças de punição.
  • Paris encontrou uma maneira de não tomar os remédios escondendo-os em um guardanapo, mas logo foi descoberta. Pela sua má conduta, foi trancada em uma sala fria, onde passou 20 horas sozinha. Segundo ela, nunca perdeu o bom humor, porque sempre estava sonhando em ser livre e bem-sucedida. Paris só conseguiu deixar o internato depois de atingir a maioridade.
  • Só agora a estrela foi capaz de expressar publicamente como as severas políticas da escola foram difíceis para ela na adolescência. A socialite ficou em silêncio por todos esses anos com medo de destruir sua imagem e prejudicar seus negócios, mas ela cansou de guardar tudo dentro de si. Junto a outras vítimas, Paris participou de um protesto que exigia o fechamento da instituição.
  • Paris contou que ser punida estava tão firmemente enraizado em sua mente que também afetou sua vida pessoal. Por isso, ela acabou caindo repetidamente em relacionamentos abusivos sem perceber.

A fama e o ônus

  • Quando a carreira de modelo estava ganhando impulso, um famoso vídeo da estrela caiu nas redes e a mídia toda noticiou. A opinião pública acusou Paris de vazar o próprio vídeo na internet para ganhar fama. No entanto, a loira admitiu que não queria isso. Ela sonhava em ter uma imagem impecável igual a de Grace Kelly, mas sua reputação estava arruinada.
  • De qualquer forma, a popularidade de Paris cresceu exponencialmente. Seu reality show The Simple Life foi assistido por milhões de espectadores. E foi graças ao programa que a imagem da socialite ficou estigmatizada como uma “personalidade fútil”.
  • Uma amiga do tempo do internato ficou chocada ao ouvir Paris dizer no programa que não sabia usar um esfregão. Segunda ela, na instituição a futura celebridade usava frequentemente essa ferramenta de limpeza. Além disso, ela era uma aluna brilhante em sala de aula.
  • Paris também se aventurou na música e no cinema. Por seu papel coadjuvante em A Casa de Cera, ela foi indicada ao Teen Choice Award na categoria Revelação do Ano, que se seguiram com papéis principais nos filmes Universidade do PrazerA Gostosa e a Gosmenta. O último longa foi massacrado pela crítica e rendeu o Framboesa de Ouro de Pior Atriz para Paris.

A verdadeira Paris

  • Alguns acreditam que foi por causa de Paris Hilton que as redes sociais têm seu formato atual. Ela foi uma das primeiras a começar a tirar selfies, quando esse termo ainda nem existia, e compartilhava sua vida glamorosa nas suas páginas. A estrela se arrepende: “Às vezes acho que ajudei a criar um monstro”.
  • A irmã da estrela não vê paralelos entre a verdadeira personalidade de Paris e sua imagem de uma garota mimada e fútil. “Na vida real, ela se parece mais com Homer Simpson”, disse a jovem Hilton.
  • Paris declarou que está pronta para uma nova etapa em sua vida. A estrela está planejando a maternidade com fertilização in vitro. E seu namorado, Carter Reum, compartilha do mesmo desejo de ter filhos. Ele a pediu em casamento. “Acredito que o sentido da vida é a família”, resume a famosa loira.

Você conhecia esse lado da história de Paris Hilton? Na sua opinião, os traumas da infância podem influenciar a personalidade de uma pessoa adulta? Conte para gente na seção de comentários.

Compartilhar este artigo