Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

20 Relatos de internautas que preferem as adaptações cinematográficas à leitura dos livros que as inspiraram

O número de pessoas que optam por assistir somente às adaptações cinematográficas em vez de ler os livros que as inspiraram cresce a cada ano. E isso é até compreensível, afinal atuações brilhantes, o trabalho espetacular de diretores e cinegrafistas e os efeitos especiais que podem dar vida a cenas que antes só podíamos ver em nossa imaginação são algo verdadeiramente tentador. No entanto, ainda há muitos que defendem que a leitura da obra original é sempre uma experiência mais enriquecedora. Adaptações cinematográficas que superaram os livros são o tema deste post.

Incrível.club selecionou opiniões de internautas que estão convencidos de que alguns filmes merecem muito mais atenção do que os próprios livros que os inspiraram. Confira!

  • Jojo Rabbit é bem melhor que o livro que o inspirou — O Céu Que Nos Oprime. Essa obra é tão sombria que parece até impossível adaptá-la às telonas de uma maneira diferente. © THACC-
  • Tubarão. Steven Spielberg disse que, ao ler o livro, se pegou torcendo para o tubarão, porque todos os personagens humanos eram muito desagradáveis. Além disso, o filme excluiu algumas tramas desnecessárias como o envolvimento do prefeito com a máfia ou o romance de Ellen Brody com Hooper. © Podlubnyi
  • O autor do livro Who Censored Roger Rabbit? gostou tanto de sua adaptação cinematográfica — Uma Cilada para Roger Rabbit  que reescreveu o livro para acompanhar a trama do filme. © LittlestSlipper55
  • Forrest Gump. Li o livro porque me apaixonei pelo filme. Inclusive, a trilha sonora foi meu álbum favorito durante o primeiro ano do colegial. Mas o livro... Bem, é bom, o autor Winston Groom conseguiu transmitir a atmosfera dos Estados do sul, especialmente do Alabama, mas o filme é muito melhor. © CandyAppleSauce
  • O livro O Silêncio dos Inocentes é insuportavelmente longo e o fato de terem excluído diversas das cenas no filme foi um grande acerto. O autor da obra descreve todos os acontecimentos de forma linear e a leitura desses detalhes, às vezes, é entediante demais. © dcbluestar
  • O Diabo Veste Prada. Adoro o filme e, por isso, decidi ler o livro. Mas tive de me forçar para terminar. Simplesmente odiei. Andy é tão antipática no livro que você se pergunta como ela consegue manter o emprego ou ter amigos e um namorado. Tudo que ela faz é reclamar. Fiquei feliz que os produtores foram capazes de adaptar o livro e fazer um filme maravilhoso, porque Meryl Streep é perfeita como Miranda Priestly. © aser2323
  • O Nevoeiro. Até Stephen King admitiu. © nuclear_lobster
  • O Fantástico Sr. Raposo. Esse é meu livro favorito, mas o filme é simplesmente incrível. O diretor Wes Anderson criou algo próprio, revelando cada personagem de uma maneira muito mais profunda. O Sr. Raposo é charmoso e inteligente, mesmo sendo 10 vezes mais arrogante em comparação com o personagem do livro. E ainda assim ele se redime no final do longa. E a história de fundo com o lobo é muito boa. A Sra. Raposa também é uma personagem muito melhor nas telonas, sem mencionar meus favoritos, Ash e Kristofferson. © oh-lawd-hes-vinda
  • Diário de uma Paixão. O livro carece do carisma e do talento da atriz Rachel McAdams. © cleo1844
  • Peixe Grande e suas Histórias Maravilhosas. O filme explora o maravilhoso mundo das histórias excêntricas de Edward Bloom, mas o livro não contém todas as produções visuais magníficas do filme, apenas a narrativa amarga de uma criança mimada que acredita que o pai não a amava o suficiente. © cavaliereternally

  • Stardust — O Mistério da Estrela. Não me interpretem mal, eu gosto do Neil Gaiman e seu livro é muito bom, mas o filme acabou sendo fascinante. Ver Robert De Niro como Capitão Shakespeare? Impressionante. Sem mencionar que o final é muito melhor. © twilighttruth
  • Acho que a versão cinematográfica de História da Sua Vida é melhor que a trama do próprio conto. E olhem que gostei do conto, mas o filme A Chegada consegue contar melhor a história de uma forma geral. © GreatTragedy
  • O Jardineiro Fiel. Sou um grande fã de John Le Carré, mas o livro me pareceu incrivelmente monótono. Os eventos do livro se desenvolvem de uma forma lenta e tudo é descrito com excesso de detalhes, embora eu aprecie essa característica no estilo do autor. Essa foi sua primeira tentativa de contar uma história que não estivesse relacionada com o período da Guerra Fria e acho que não deu muito certo. No filme tudo ganhou vida: desde os personagens até a paisagem e o próprio enredo. © Irish_Tom
  • Clube da Luta. O livro teve um final melhor, mas é escrito em um estilo tão estranho que lê-lo foi uma tarefa árdua. Além disso, o livro é curto. Até o autor, Chuck Palahniuk, gostou mais do filme do que do livro. © Driver_goon
  • Qualquer filme sobre James Bond. A maioria dos livros sobre ele é ruim. © BZH_JJM
  • Shrek. Os produtores pegaram um livro de 36 páginas e o transformaram no melhor filme de todos os tempos! © krakrocks

  • Dança com Lobos. No livro, Dunbar fica com os índios, mas senti que isso estava fora das características do personagem por tudo que tinha acontecido antes. Ele até arruma suas coisas para ir embora, mas é convencido a ficar. Sinto que o filme teve um final melhor. Além disso, as paisagens épicas e a caça aos búfalos se mostraram ainda melhores do que eu imaginava durante a leitura. Esse é um dos melhores filmes de faroeste de todos os tempos. © Krinks1
  • Onde os Fracos Não Têm Vez. O livro é ótimo, mas o estilo de escrita de Cormac McCarthy o torna muito difícil de ler e de seguir o fluxo do que está acontecendo. Enquanto isso, o filme o deixa aflito a ponto de se sentar na beira da poltrona, tem um ar misterioso e o elenco é muito bom. © TwoSnapsMack
  • Jurassic Park: O Parque dos Dinossauros. O livro é excelente, mas os dinossauros eram um pano de fundo para as reflexões do Dr. Malcolm sobre a Teoria do Caos. Certamente é uma leitura que vale a pena, mas o filme acabou sendo muito mais emocionante. © Gerreth_Gobulcoque
  • Para Todos os Garotos que Já Amei. Assisti ao filme e o amei tanto que comprei a trilogia dos livros. O filme é lindo, mas a leitura da obra me fez perceber que a cinematografia e a atuação são o melhor da história, mesmo o enredo sendo simplório. Além disso, os livros são escritos de uma maneira muito simples, pois o público alvo é muito mais jovem que eu. © cheesy

Você é do time que prefere ler os livros e acredita que eles promovem uma experiência mais enriquecedora ou prefere o conforto das adaptações cinematográficas? Adicionaria algum outro filme à nossa lista? Conte para a gente na seção de comentários.