Uma viagem pela sua pele

Curiosidades
há 7 meses

Imagine uma roupa que se encaixa perfeitamente em você, não amassa por anos, se restaura, é à prova d’água, tem ar condicionado e aquecimento e protege você contra danos e radiação. E é completamente de graça. Você a está usando agora. É a sua pele.

Sua pele consiste em três camadas: epiderme, derme hipoderme.
Nossa jornada começa pela epiderme. Esta é a camada mais externa da pele. É a sua armadura pessoal à prova d’água, que protege o corpo contra bactérias e danos. A armadura está equipada com queratina — a substância que fortalece os cabelos e as unhas.
A vida útil dessa armadura não é longa, mas as células antigas são completamente substituídas por novas após 4 a 6 semanas. A propósito, metade do pó encontrado na sua casa são células epiteliais velhas.

Nós também perdemos completamente a nossa pele. Isso acontece tão devagar que nem percebemos. Se você assistisse a esse processo em um vídeo com lapso de tempo, pareceria uma cobra descascando. Mas a pele humana é muito maior que a de uma cobra. Se espalhada, a pele de um adulto normal seria de 2 m2 e pesaria cerca de 9 kg. Isso é aproximadamente do tamanho de um cobertor de casal.
A epiderme parece uma fábrica com correias transportadoras de células sem fim. Mas essa não é a única proteção da pele.
Hora de viajar mais e conhecer os guerreiros imunológicos que vivem aqui, os linfócitos. Eles lutam contra bactérias e micróbios que tentam atravessar a armadura. Oi, pessoal! Não queremos problemas, estamos apenas dando uma olhadinha.

Nossa jornada vai mais fundo ainda, até o fundo da epiderme. A criação dessa armadura começa neste nível. Aqui, a armadura é macia e sobe lentamente até o topo. Também notamos células que criam melanina. As pessoas têm sua cor da pele e o bronzeado por causa da melanina. Mas não é apenas a luz solar que pode mudar a cor da sua pele. Ela também pode ficar alaranjada se você comer caroteno demais.
Mas o superpoder mais incrível da parte mais profunda da epiderme é que funciona como baterias solares. Graças a essa habilidade, a pele converte os raios solares em vitamina D, que fornece energia ao corpo.

Agora estamos indo para a derme — a segunda e mais espessa camada epitelial. Mas a espessura real depende da sua localização. A pele mais grossa fica nos calcanhares, a mais fina nas pálpebras. Estamos viajando pela pele de um braço, então ainda temos algumas coisas a fazer. Está escorregadio e molhado aqui dentro da derme.
A primeira coisa que vemos são redes e elásticos. Podemos pular neles como acrobatas! São duas proteínas e, graças a elas, nossa pele é elástica e se estica! Um último salto e pousamos perto de duas florestas.

A primeira é uma floresta de nervos e receptores. Ai! Não toque, é muito sensível. Os nervos registram o menor toque, as mudanças de temperatura e enviam sinais para o cérebro. O cérebro identifica esses sinais e faz você se sentir machucado, quente, frio, úmido, seco e até com cócegas.
Então, se a pele é tão sensível, por que você não consegue fazer cócegas em si mesmo? Quando tentamos isso, nosso cérebro sabe de antemão em que áreas da pele vamos fazer cócegas. Ele também sabe a força e a intensidade das cócegas. Quando sabemos disso, o cérebro diminui o nível de sensibilidade. Mas quando outra pessoa o faz, o cérebro aumenta a sensibilidade, para que o corpo responda rapidamente e se defenda.

A segunda floresta consiste em pelos que parecem árvores enormes. Eles crescem em todo lugar. Mas não é o terreno que os mantém enraizados, mas músculos minúsculos. Quando você está com medo, fica com frio ou até ouve uma música incrível, esses músculos contraem, deixando seu pelo ereto ou arrepiado.
Existem muitos vasos sanguíneos nessa área para controlar a temperatura do corpo. Quando você dá duro na academia, esses vasos se expandem para refrescar seu corpo. Se você estiver caminhando em uma rua fria sem roupas adequadas, seus vasos sanguíneos se contraem para manter o máximo de calor possível. Mas se você correr uma maratona sob o sol quente... Olhe! Sua pele está liberando suor a partir daqui. A propósito, o suor na verdade não tem cheiro. Ele só cheira mal quando entra em contato com bactérias da pele.

Agora que nos refrescamos, é hora de ir mais longe.
Este nível é tão bonito e fascinante. A estrutura de toda a pele depende da derme. É como a base de qualquer edifício. E, é claro, esse prédio exige segurança adicional. A derme possui guardiões imunológicos pessoais — os fagócitos, que lutam contra as bactérias.

Pode parecer que há apenas bactérias ruins ao nosso redor, mas também temos algumas bactérias amigas. Elas aparecem com o óleo criado por suas glândulas. Essas bactérias ajudam o sistema imunológico a combater os micróbios ruins.

É hora de mergulhar até o nível mais profundo da pele — a hipoderme. Aqui é muito macio e oleoso, por causa da gordura. A gordura está em toda parte! Mas é graças a essa gordura que podemos sentar confortavelmente. Mas... essa não é a única função boa da gordura. O corpo precisa de gordura quando estamos com fome. A gordura é usada como combustível e também como proteção para órgãos e músculos.
Mas o mais legal é que a gordura produz o hormônio leptina. Depois do jantar, você se sente satisfeito não porque o estômago está realmente cheio, mas porque o hormônio da leptina diz que já chega. É isso mesmo, a gordura é que controla o seu apetite, não o seu estômago.

Digamos que uma bactéria pequena, mas muito sorrateira, tenha conseguido se espremer e evitar os guerreiros da imunidade. Ela entra na derme, nada pelas glândulas sebáceas, atravessa a floresta capilar e foge dos fagócitos para mergulhar profundamente na camada adiposa. A bactéria passou por todos os níveis de proteção da pele e agora infectará o corpo. Mas, não tão rápido! Agora terá mais um grande problema.
A hipoderme também possui guardiões imunológicos chamados macrófagos. Essas células são criadas pela medula óssea. No primeiro alarme de problemas, esse grupo de guerreiros chega e destrói os invasores.

E agora vamos ver o melhor de todos os recursos de pele: a regeneração. Quando nos machucamos, a ferida é coberta com um coágulo de sangue. Essa “casca” fica dura do lado de fora para proteger o corpo de organismos estranhos. Então, fibroblastos aparecem dentro do coágulo. Esses caras reparam a ferida com tecido cicatricial. E o tecido cicatricial é importante aqui. A propósito, esses caras não fazem parte de um sindicato, mas trabalham mesmo assim.
Imagine que uma janela de sua casa tenha quebrado. Começou a chover e você precisa resolver o problema. O melhor faz-tudo da cidade está ocupado agora e você não pode esperar, porque a chuva está entrando na sua casa. Então, você chama um faz-tudo mais barato que pode substituir a janela de maneira rápida. A casa e a janela quebrada são sua pele com uma pequena ferida e a chuva é uma bactéria estranha. Qual é o faz-tudo mais barato? O Tecido cicatricial!

A pele normal consiste em fibras indo em todas as direções. Mas o tecido cicatricial tem apenas fibras paralelas. Os fibroblastos usam tecido cicatricial porque é muito mais rápido para a regeneração do que as fibras comuns. E sua ferida precisa de um reparo rápido. É por isso que a pele das suas cicatrizes tem uma aparência um pouco diferente.

E isso é apenas o “básico” do funcionamento da sua pele!

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados