Uma mulher abandona seu bebê na casa do namorado e ele decide criar a criança como se fosse sua

Crianças
há 3 meses

Existem muitas maneiras de tornar-se pai. Não precisamos necessariamente ter uma ligação biológica com a criança para amá-la como se ela fosse nossa. Muitas vezes, a vida nos surpreende, e a paternidade pode acontecer de maneiras inesperadas. É um caso assim que mostramos neste artigo. Esta história remonta a cerca de 25 anos atrás, quando Moisés Costa abriu a porta e encontrou sua namorada com um bebê.

A mãe da criança foi embora e nunca mais voltou

Costa só descobriu a gravidez de sua namorada quando ela já estava com 5 meses de gestação. No entanto, ele tinha a sensação de não ser o pai da criança. “Estávamos juntos, mas ela morava em uma área rural”, disse ele.

Então, um dia, ela ligou para ele dizendo estar grávida, desaparecendo em seguida. Quando a criança tinha cerca de 2 meses, a mulher voltou, disse que precisava fazer algumas compras e queria deixar o menino ali por alguns instantes. Desde aquele dia, ela nunca mais voltou.

Costa decidiu criar a criança como se fosse sua

Após o desaparecimento da mãe do bebê, Costa decidiu fazer um teste de DNA, que confirmou suas suspeitas: ele não era o pai biológico do bebê, Davyd. Mesmo sabendo disso, ele decidiu cuidar do menino. A mãe biológica de Davyd o visitou algumas vezes quando ele era mais novo. Costa, porém, notou que ela não tinha interesse em pegar o filho de volta nem em ajudar.

Agora, Davyd está com 25 anos e segue na companhia de Costa. “Ele é meu filho em meu coração. Embora possamos ser registrados como irmãos, ele é meu filho e meu melhor amigo, e farei de tudo para cuidar dele”, compartilhou Costa.

A descoberta de que Davyd sofria de uma doença crônica

Pouco depois de sua chegada, Davyd adoeceu e teve de ser levado ao hospital para receber atendimento médico. Naquela época, Costa e sua família não sabiam do estado de saúde do então garoto. Mais tarde, os médicos descobriram que ele tinha uma lesão cerebral.

De fato, o menino havia sido diagnosticado com paralisia cerebral, epilepsia e atrofia permanente dos membros. Além de ter essas deficiências, ele não consegue falar e precisa de supervisão constante, pois não pode ficar sozinho.

Apesar de todas as dificuldades financeiras, Davyd está em boas mãos

Cuidar de Davyd é uma tarefa desafiadora para Costa e sua mãe de 72 anos, tendo em vista a deficiência. O tratamento custa muito dinheiro e é preciso ter alguém por perto o tempo todo. À medida que o tempo passa, Costa se preocupa pensando em quem cuidará de Davyd no futuro. Atualmente, ele procura pelo pai biológico e por outros parentes do jovem, mas continua amando-o profundamente, sem querer deixá-lo sob os cuidados de outra pessoa.

“Davyd é o amor da minha vida. Não vou entregá-lo a ninguém”, disse Costa.

Você sabe que, aqui no Incrível, nos encantamos com a história de pessoas que superam os próprios limites em busca da felicidade. Um desses casos diz respeito à jovem que nasceu com atrofia muscular espinhal, mas isso não a impediu de realizar o sonho de ser mãe. E ela foi além ao registrar nas redes sociais toda a jornada que levou ao nascimento de sua pequena e saudável filha.

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados