O que você veria se pudesse entrar em um formigueiro

Animais
há 9 meses

Esta formiguinha parece perdida, mas na verdade, está vasculhando o ambiente em busca de comida. Ela saiu de perto de sua colônia e está farejando alguma coisa gostosa que está ali perto. As formigas têm visão ruim, então usam os feromônios para se comunicarem umas com as outras. Esses feromônios são o segredo do sistema organizado das formigas. São pistas químicas que elas deixam pelo caminho para que as outras saibam para onde ir e o que fazer.

Quando as formigas andam por aí, batem seu abdômen em diferentes superfícies para deixar rastros. Esses insetos podem liberar 20 sinais diferentes para finalidades diferentes. E isso é uma vantagem para o seu sistema de comunicação complexo. Alguns feromônios são um alerta para sair correndo de algum perigo. Outros convidam chamam formigas para pegar comida. (Ei, tá aqui!) E há feromônios que os insetos usam para pedir ajuda.

Aquela formiguinha que você viu mais cedo passa em cima de alguns galhos e pedregulhos. E de repente, ela encontra um grande pedaço de sanduíche que foi jogado fora. Após avistar esse grande tesouro, a formiga se vira rapidamente e encosta sua barriga no chão. Dentro de pouco tempo, outras formigas-caçadoras e trabalhadoras aparecem. As formigas-caçadoras se comunicam umas com as outras encostando suas antenas. E esse bla-bla-bla continua até que toda a informação necessária chegue ao ninho. Muitas formigas-caçadoras param o que estavam fazendo e seguem os rastros até o sanduíche.

Elas observam o pedaço gigante de comida que surgiu do nada e começam a pegar migalhas. Várias formigas-soldado maiores, cuja função principal é lutar e defender o ninho, patrulham aquela região. Assim, as outras podem coletar a comida em segurança.
Então, elas partem em uma perigosa jornada de volta ao ninho — afinal, elas têm uma colônia inteira para alimentar. Com a rainha botando 15 mil ovos por dia, elas precisam do máximo possível de comida. A formiga-rainha consegue botar milhões de ovos durante sua vida. Ela é a maior formiga da colônia inteira, e a única que pode dar à luz novas formigas. A rainha consegue viver anos a fio. Elas nascem quando sua mãe bota ovos especiais.

Eles são diferentes dos ovos comuns, que geram formigas trabalhadoras ou soldado. Esses ovos especiais são botados quando a colônia atinge certo tamanho. As formigas que nascem deles são maiores que as demais e têm asas. Elas são jovens rainhas ou formigas macho que estão aptas a participar do processo de reprodução.
As futuras rainhas saem dali e se aventuram no perigoso mundo lá de fora. Elas precisam encontrar um lugar para formar um ninho e depois uma colônia. Só uma em cada quinhentas rainhas consegue fazer isso.

Os ovos que a rainha bota são divididos entre duas categorias: formigas trabalhadoras não-reprodutivas, e formigas reais reprodutoras. As formigas nascem do mesmo tamanho, mas algumas ficam maiores dependendo do que comem quando ainda são filhotes. Se ficarem grandes, elas se juntam às fileiras e se tornam formigas-soldado. Se ficarem de tamanho médio, se tornam trabalhadoras ou caçadoras. E se forem pequeninas, sua função é cuidar das larvas e manter o ninho limpo e organizado. Mas no fim das contas, a missão de todas as formigas é servir à rainha, e só a ela.

As formigas cobrem o sanduíche inteiro, pegam as migalhas, e as carregam uma a uma para o ninho. Elas são capazes de carregar de 10 a 50 vezes seu próprio peso e tamanho. Isso as torna uma das criaturas mais fortes da Terra, considerando seu tamanho. Algumas formigas carregam coisas grandes, como pedaços de alface e queijo. Elas até arrastam pedaços grandes de pão com a ajuda de dezenas de outras formigas. Algumas formigas-soldado patrulham a região para garantir a segurança de suas companheiras. As formigas arrastam e carregam os pedaços. Elas sobem muitos morros e descem ladeiras até chegar ao formigueiro. Lá, as outras formigas já estão preparadas para a chegada da comida. Elas abriram o máximo possível de espaço para guardá-la.

Uma sombra enorme passa acima das formigas “entregadoras”. Elas continuam caminhando rumo à entrada da colônia, mas a sombra fica cada vez maior. É uma vespa grande, e ela quer uma parte do sanduíche. As formigas-caçadoras ficam alarmadas e liberam feromônios de alerta. Aí, as formigas-soldado captam o cheiro e se agrupam para formar uma parede protetora ao redor das caçadoras para que fiquem em segurança.
A vespa continua rondando acima delas, mas não consegue fazer nada. Reforços chegam e protegem as formigas que estão caminhando em direção ao ninho. A colônia inteira está alerta — e na defensiva.

Porém, mais vespas começam a sobrevoar a região, tentando roubar o pedaço de sanduíche. Por sorte, as formigas-soldado estão bem organizadas, e não baixam a guarda. A parede que elas formam fica cada vez mais grossa, até que as vespas desistem e vão embora. As formigas comemoram, e levam grande parte do sanduíche para a colônia.
Os túneis pelos quais elas passam podem ter quase dois metros de profundidade. Essa distância é maior que a altura da maioria dos humanos. A missão das formigas-trabalhadoras é cavar os túneis e proteger o ninho. A rainha bota ovos por todo o ninho, enquanto as formigas enfermeiras carregam as larvas. Elas precisam de temperaturas adequadas para sobreviverem. As formigas enfermeiras levam as larvas para perto do topo do formigueiro, onde a temperatura durante o dia é mais adequada.

Mas quando faz muito calor, as larvas são movidas pelo túnel para câmaras mais frescas.
Sobe e desce, sobe e desce — é assim que é a vida das formigas “babás”. Tudo para obter a temperatura certa até que as larvas cresçam e se transformem em formigas maduras que servirão a rainha.

O ninho é cheio de “rodovias” que conectam as áreas maiores. Há também túneis menores que levam a câmaras pequenas onde as formigas podem descansar, dormir e comer. Logo abaixo da superfície, outro sistema de túneis é construído. Como subir para a superfície passando pela entrada principal pode não ser seguro, esses túneis são feitos para trazer a comida para dentro do formigueiro. A única desvantagem desse sistema é que outras criaturas perigosas também podem passar por esses túneis e encurralar as formigas em seu próprio lar.

As formigas voltam para o ninho com seu troféu. Elas estão se preparando para um banquete. Mas como esses insetos também são criaturas extremamente limpas, sempre se certificam de que tudo que tragam para dentro de casa não cause uma bagunça.
De todo modo, a comida é distribuída entre centenas de milhares de formigas. Elas movem grande parte do sanduíche pelos túneis em questão de horas.

Não há pausas, só trabalho. Mas de repente, elas sentem o chão tremer. Várias formigas trabalhadoras e caçadoras correm para dentro dos túneis, em pânico. Começa a chover lá fora! As formigas são extremamente rápidas para lidar com situações de emergência. Elas partem rapidamente para a entrada principal do formigueiro e a fecham usando terra, para que a água não entre. Mas isso não impede que a chuva entre lá dentro: os formigueiros têm muitas entradas e rotas de fuga, e não dá tempo de bloquear tudo.

As formigas começam a correr para a superfície, tentando evitar a inundação. Muitas câmaras pequenas se enchem de água, mas as formigas-babás conseguem chegar à superfície. Embora a chuva ainda esteja caindo, os insetos vão para um lugar seguro e esperam até estiar.
O formigueiro ficou totalmente inundado. Isso quer dizer que as formigas precisam encontrar outro local e construir uma nova colônia. Elas começam a procurar por novos territórios, e se deparam com outros formigueiros no caminho, mas precisam ficar longe deles para sobreviver.

No começo, eram cerca de duzentas e cinquenta mil formigas. Agora, esse número caiu pela metade. Após horas de viagem, elas encontram um lugar que parece ser seguro o suficiente para morar. A rainha nunca parou de botar ovos. É por isso que, com suas incríveis habilidades organizacionais, as formigas conseguem construir um ninho em poucos dias.

Se a rainha desaparecer, as demais simplesmente param de trabalhar e deixam a colônia. Como esses insetos são muito leais e altruístas, acabam ficando sem propósito de vida. E a maioria não consegue sobreviver mais que uma semana por si só. Os primeiros insetos surgiram cerca de 400 milhões de anos atrás. No caso das formigas, elas viram a luz do dia cerca de 100 milhões de anos atrás. Elas andavam lado a lado com os dinossauros, e não eram o inseto mais dominante naquela época. Libélulas gigantes, baratas e cupins eram as criaturas mais poderosas do mundo dos insetos. Mas 60 milhões de anos atrás, as formigas tomaram para si o título de inseto dominante. Havia mais de 12 mil espécies habitando o mundo todo, menos a Antártica.

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados