O que acontece dentro dos seus olhos

Saúde
há 7 meses

Abra seus olhos e deixe o mundo entrar.
Venha comigo em uma jornada para dentro do segundo órgão mais complexo do seu corpo, depois do cérebro. Mas preste atenção agora. Tudo isso vai acontecer... num piscar de olhos.

Primeira tarefa: entrar. Vamos seguir essa partícula de poeira. Ela flutua e pousa sobre a córnea. Essa é a redoma externa que cobre seus olhos. Você pode sentir sua forma nesse momento! Feche as pálpebras, coloque os dedos indicadores sobre elas (lave as mãos primeiro!) e mova os olhos de um lado para o outro. Sente um calombo? É isso aí!
Não há vasos sanguíneos aqui — suas córneas recebem oxigênio diretamente do ar, portanto, seus olhos respiram! Mas eles são cheios de nervos supersensíveis. Quando sentes algo estranho, os músculos mais rápidos do corpo logo começam a funcionar. Seus olhos piscam, e a partícula de poeira é removida.

Hmm, vamos tentar novamente. A única maneira de entrar nos olhos é com a luz. É assim que a sua visão funciona e é por isso que você não pode ver no escuro. Dãã. (“Mas como vemos objetos que não emitem luz?”) A luz que tem origem em alguma fonte (seja uma lâmpada ou o sol) atinge o objeto. Um tanto dela é absorvida e outro tanto reflete e entra em nossos olhos. Falaremos mais sobre isso daqui a pouquinho...

Por enquanto, está muito escuro neste quarto, alguém liga a luz! Ah, assim está melhor. Vamos ver em detalhes... e na velocidade da luz passamos através da córnea. Ela tem a forma côncava para ajudar a focar a luz para onde ela vai na sequência: a lente.

Mas antes de chegarmos lá, passamos pela pupila. Ela não é um círculo preto no seu globo ocular — e sim um buraco! Preto, pois não há luz dentro do seu olho. Vermelho nas fotos com flash porque a luz da câmera passa e reflete na parte de trás do seu olho, que é cheia de vasos sanguíneos. E assim, suas pupilas brilham vermelhas!
Mas... Essa pupila é muito pequena, mal consigo me espremer para atravessá-la! Ah, a luz é brilhante demais! Os pequenos músculos das suas írises — que são a parte colorida dos seus olhos, que todos conhecemos e admiramos! — relaxaram para diminuir a pupila. Isso não deixa entrar muita luz e protege os olhos da claridade em excesso.
Diminua um pouco as luzes e os músculos da íris se contraem. A pupila aumenta à medida que o olho exige que passe mais luz. Aqui vamos nós! Passamos e encontramos as lentes do tamanho de uma aspirina.

Assim como seus ouvidos e o nariz, suas lentes continuam a crescer ao longo de toda a sua vida! E, assim como em uma câmera, elas focam a luz ainda mais. Dessa forma, atingem exatamente onde precisa para chegar na retina — que é a parte de trás do olho.

Eu posso ver que nosso humano aqui é míope — as coisas distantes estão embaçadas. Veja onde a lente está focando a luz em um único ponto — ela não está na retina, mas um pouco antes dela! Isso acontece quando seu olho é um pouco longo demais. Se você tem hipermetropia (as coisas de perto ficam embaçadas), esse ponto focal fica atrás dos olhos porque seu globo ocular é muito curto. Não se preocupe, nada que bons óculos não consertem!

É mais espaçoso do que eu pensava aqui dentro! Olááá! Bem, isso é porque você só vê cerca de 1/6 do seu olho quando se olha no espelho. O resto está dentro da sua cabeça. Seus olhos são do tamanho de bolas de pingue-pongue. E justamente dentro desse órgão aparentemente pequeno, existem mais de 2 milhões de peças componentes!
Opa, espere! Está tudo mudando para a direita! Agora para a esquerda! Nosso humano deve estar procurando alguma coisa!? Seus olhos se movem graças a 6 músculos que os mantêm no encaixe. Alguns se contraem e seu olhar muda de direção. Para cima, para baixo, para a esquerda, para a direita, ao redor!

Ok, as coisas se acalmaram, então vamos continuar seguindo a projeção da luz. Agora, você está olhando para uma maçã grande e reluzente, sobre uma mesa azul. Uma lâmpada amarela está pendurada acima dela. Se você pudesse ver a imagem aqui dentro, ela estaria de cabeça para baixo na “tela” traseira do seu olho. Isso é porque as lentes dobram o feixe de luz.
Mas você não consegue ver essa imagem na retina, pois os olhos não são projetores. Isso é apenas luz atingindo algum tecido na parede traseira do seu globo ocular. Existem nervos e receptores especiais lá atrás. Eles transformam a luz que entra no seu olho em impulsos nervosos para então o cérebro decodificar e dar sentido.

Então, continuamos a jornada! Aqui estão estes receptores. Eles podem ser cones ou bastonetes. Os cones são a razão pela qual seu olho incrível pode detectar até 7 milhões de cores! Surpreendentemente, porém, seus cones vêm em apenas 3 tipos: vermelho, verde e azul. É a combinação do trabalho deles que nos permite ver magenta, amarelo ou ciano!
Exceto para pessoas daltônicas. Para elas pode estar faltando um desses tipos ou eles não funcionam como deveriam. Assim, essas pessoas não veem determinadas cores, ou veem as coisas com cores que não são as verdadeiras. Por exemplo, se houver algo errado com seus cones sensíveis ao verde, verde e amarelo terão uma aparência marrom avermelhada.

Há também os bastonetes. Eles capturam preto, branco e mais de 500 tons de cinza no meio. Você também tem uma maior quantidade deles do que de cones, e os bastonetes são os principais responsáveis pela visão periférica. Sim, tudo fora do seu campo de visão direto parece como se fosse a imagem de uma TV antiga, em preto e branco! Os bastonetes também ajudam a ver quando há pouca luz.

Os fotorreceptores nos seus olhos são tão sensíveis que podem até projetar uma imagem quando ela nem está lá! Já olhou para uma luz brilhante, fechou os olhos ou apagou a luz e, ainda assim, pode ver a forma daquela lâmpada flutuando diante dos seus olhos? Isso são seus fotorreceptores que continuam enviando informações visuais ao seu cérebro.
Seus bastonetes e cones são conectados aos neurônios, para que os dados sejam transmitidos para lá e cheguem ao seu nervo óptico. É aqui que os vasos sanguíneos e o principal caminho para o cérebro entram e saem do globo ocular.

É também onde fica o seu ponto cego. Não há bastonetes nem cones aqui!
Você pode testá-lo também! Pegue um pedaço de papel e uma caneta. Faça um ponto no lado esquerdo e um sinal de mais a um palmo de distância, para a direita. Segure o papel no comprimento do braço, feche o olho direito e observe o sinal de mais. O ponto desaparecerá porque está no seu ponto cego. Caso contrário, mova o papel para mais perto ou mais longe até que o ponto desapareça. Faça o mesmo com o olho esquerdo fechado e observe o ponto com o olho direito. O sinal de adição desaparecerá quando entrar no seu ponto cego. Você não percebe esses pontos porque seu cérebro preenche as informações que faltam.

E então, viajamos ao longo do nervo óptico até o decodificador de mensagens: seu cérebro! Aiii! Levei um choque! Ah, sim, estamos no sistema nervoso agora, então estamos viajando com impulsos elétricos! O nervo óptico leva ao córtex visual do seu cérebro. É aqui que essa imagem invertida é traduzida em algo que entendemos. “Esta é uma mesa azul com uma maçã vermelha sobre ela. Uma luz amarela brilha acima.” E seu cérebro sabe o que é “em cima e embaixo” graças aos... seus ouvidos! Bem, seu sistema de equilíbrio, que fica principalmente nos seus ouvidos. Enfim...
Também é no cérebro que as peças que faltam no quebra-cabeça (como as que estão no seu ponto cego!) são preenchidas com informações com base na sua vasta coleção de arquivos. “O ponto à esquerda está no meu ponto cego, então vou preencher o espaço que falta e fazer com que o papel pareça continuar sem interrupções!”

Mas nossa jornada não começou quando entramos nos olhos com luz. Começou quando a luz de uma fonte ricocheteou em um objeto e depois para o olho. Por que vemos cores diferentes? Porque a luz visível viaja em ondas de diferentes comprimentos. A maçã vermelha em cima da mesa absorve outras cores e reflete as ondas de luz vermelha. A mesa reflete azul e assim por diante. Objetos pretos absorvem toda a luz, e coisas brancas refletem a maior parte dela. Essas ondas refletidas atingem os cones e bastonetes sensíveis a elas, e seu mundo fica repleto de cores!

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados