Mick Jagger faz declaração polêmica sobre herança que pode magoar seus filhos

Famosos
há 4 meses

Durante uma entrevista ao The Wall Street Journal, Mick Jagger, o líder da banda Rolling Stones, foi indagado sobre a chance de vender o catálogo pós-1971 da banda, estimado em US$ 500 milhões. O músico britânico compartilhou que, se decidisse vender, sua preferência seria destinar sua parte para organizações de caridade, em vez de deixá-la para seus filhos.

O renomado artista de 80 anos tem um total de oito filhos. Sua filha mais velha está com 52 anos e o mais novo com seis anos de idade

Além disso, é pai de Lucas, que tem 24 anos, resultado de um relacionamento com a modelo e apresentadora brasileira Luciana Gimenez.

“As crianças não precisam de US$ 500 milhões para viver bem, convenhamos”, contou o astro. Mas o discurso não acabou por aí, ele também mencionou que a doação para instituições possa “talvez fazer algo de bom para o mundo”.

O debate foi gerado devido a um problema que a banda está inserida

Os Rolling Stones enfrentam desafios por não possuírem os direitos de seu catálogo anterior a 1971, o qual engloba muitos de seus grandes êxitos, como “Satisfaction”. O domínio das obras desses anos ficaram sob responsabilidade do contador da banda, Allen Klein. Embora os membros tenham lucrado milhões de libras em royalties, não receberam tanto quanto teriam se fossem os detentores das músicas.

“A indústria era tão incipiente que não tinha o apoio e a quantidade de pessoas disponíveis para poder aconselhá-lo como fazem agora. Mas, você sabe, isso ainda acontece”, disse.

De uns tempos para cá, muitas pessoas têm optado por deixarem seus próprios filhos crescerem por si só durante a vida, sem ao menos depender dos pais. Os famosos também compartilharam algumas opiniões polêmicas sobre o assunto e geraram um certo bafafá na web.

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados