Estas 12 pessoas não tiram férias e estão totalmente felizes

Histórias
há 11 meses

É bem comum quem tira férias publicar fotos nas redes sociais. E os seguidores que estão no escritório têm de continuar enfrentando os engarrafamentos para ir ao trabalho, enquanto veem fotografias do sortudo aproveitando o mar e o sol.

Para aqueles cujas férias ainda estão longe de chegar ou que nunca tiram férias, o Incrível.club compilou 12 histórias sobre a vida de quem está no escritório ou em um emprego considerado ’chato’ e, que, sim, está feliz com isso.

  • Consegui um emprego em uma grande livraria. Constantemente recebemos caixas com livros novos, que acabaram de ser impressos, gosto de abri-los, de ouvir o barulho que fazem, de tirar virar que cheiram à tinta... Amo o meu trabalho!
  • No trabalho, é minha responsabilidade direta organizar viagens para as casas de repouso. Sempre tento colocar no mesmo grupo avós e avôs solteiros, para que se conheçam durante o passeio e, talvez, até se casem no futuro. E então, como sinal de gratidão, eles me trazem todos os tipos de presentes deliciosos. Acabo trabalhando como se estivesse numa agência de casamento.
  • Sou uma dessas pessoas que amam seu trabalho. Chego com um sorriso, leio conversas de grupo nos finais de semana, estou sempre online para meus subordinados, posso falar de trabalho por horas. No círculo de amigos, às vezes até tenho de mentir, dizendo que estou cansada de tudo, para que não achem que não sou normal.
  • Recentemente trabalhei como optometrista, selecionando óculos e lentes de contato. E, sabe, percebi que é exatamente isso que quero fazer na vida. Não consigo descrever com palavras o que sinto, quando meu cliente sorri, porque finalmente consegue enxergar! Me sinto ótima, porque posso melhorar a vida de alguém completamente desconhecido em um instante.
  • Trabalho como chefe de departamento em uma agência de publicidade bem conhecida. Minha tarefa é criar frases efetivas, que façam com que as pessoas corram comprar o produto. Os clientes pagam muito caro por esse trabalho e eu peço que esperem uma ou duas semanas, até a elaboração de todo o projeto e para que entremos em contato. A realidade é que consigo elaborar tudo em 10 a 15 minutos e, no restante do tempo, de 1 a 2 semanas, me divirto com meus empregados: assistimos aos seriados, comédias, comemos pipoca. Que sorte eu tenho com este trabalho!

  • Trabalho como professor de matemática. Estava tão cansado que, um dia, em casa, quando minha filha começou a falar comigo de um jeito mal educado, eu disse: “Você costuma falar assim em sua casa?”.
  • Mudei de local de trabalho e o novo escritório fica 200 metros mais distante do que o anterior. Em 3 semanas, pela manhã, por engano, fui 2 vezes ao meu antigo local de trabalho: liguei o equipamento, a luz, coloquei a água para ferver e ia começar a resolver as coisas. Aí, lembrava e falava palavrão, desligava tudo e seguia para o novo escritório. Em suma, em 3 semanas tive 2 atrasos. Depois de explicar para o chefe ele deu gargalhada e sugeriu que o escritório mudasse para lá.
  • Trabalho com chineses e sempre fico surpreso com o vício que têm pelo trabalho. Recentemente entrei em contato com uma asiática: tive de ligar para ela 5 vezes durante o dia, porque estávamos discutindo um contrato, mas ela estava em um lugar bastante barulhento. A barreira do idioma, além do barulho estavam atrapalhando a discussão de questões importantes. Perguntei por que havia tanta confusão, e ela respondeu que estava em um casamento (essas festas reúnem de 500 a 1000 pessoas). Pedi que fosse para um lugar mais silencioso, mas ela disse que não podia. Quando perguntei por que, respondeu que ela era a noiva.
  • Minha irmã é viciada em trabalho, falta até dormir no escritório. Ela sempre se queixa: “Em relação ao trabalho, só tenho dois pensamentos: ’Nossa, fui demitida!’ e ’Maldição, quando vão me despedir?’”
  • Desde que comecei a trabalhar, nunca saí de férias. Sonho em fazê-lo o tempo todo, até as planejo, mas nunca consigo descansar. Basicamente, porque no meu trabalho pagam muito pouco pelo recesso e, depois você tem de viver meio morto de fome, até voltar ao normal. Minhas férias consistem em abrir o Google Maps e “caminhar” pelas ruas de outras cidades ou, simplesmente, olhar para a parte do mapa onde está o mar. Abro fichas nos hotéis, olho para as fotos e imagino que estou descansando junto ao mar. Então desligo o Google e continuo trabalhando. É uma grande pena que eu só possa tirar esse tipo de “férias”.
  • Estou no trabalho conversando com um colega. Ele começa a se preparar para ir para casa, reúne suas coisas e desliga o computador, ou seja, executa todas as ações no final de um dia de trabalho. Ao mesmo tempo, continuamos conversando. Ele se levanta e se despede do restante da equipe. Eu, enquanto continuo a falar com ele sobre trabalho, me aproximo automaticamente dos outros caras e me despeço. Nós dois vamos juntos ao metrô. No caminho me dou conta de que não desliguei o computador, não trouxe minha jaqueta e ia ficar até tarde trabalhando.
  • Compreendi que trabalhava demais, quando acordei no meio da noite com o pensamento: “Dormi no escritório! Já anoiteceu, é hora de ir para casa!”, e comecei a me arrumar no escuro. Só quando coloquei meus sapatos, percebi que já estava em casa. Basta, é o suficiente, vou sair de férias!

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados